Repositório Digital

A- A A+

Mobilidade urbana de Porto Alegre/RS : a participação atual e o interesse pela adesão à mobilidade cicloviária

.

Mobilidade urbana de Porto Alegre/RS : a participação atual e o interesse pela adesão à mobilidade cicloviária

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Mobilidade urbana de Porto Alegre/RS : a participação atual e o interesse pela adesão à mobilidade cicloviária
Autor Silva, Pedro Henrique Wobeto Niederauer da
Orientador Senna, Luiz Afonso dos Santos
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia Civil.
Assunto Engenharia civil
Resumo O crescimento das grandes cidades implica em maiores distâncias e tempos de deslocamento. Com isso, é comum o surgimento de problemas de mobilidade urbana como, por exemplo, congestionamentos, baixa aderência ao transporte coletivo e baixa qualidade das vias urbanas. Inserido neste contexto a utilização de meios de transporte não motorizados tem apresentado uma demanda crescente em diversas cidades do mundo. O presente trabalho apresenta uma estimativa de número de usuários da modalidade cicloviária para a cidade de Porto Alegre, estado do Rio Grande do Sul, por meio de uma pesquisa de preferência. Através da revisão da literatura que aborda temas de mobilidade urbana, contextualizou-se o problema e adotaramse critérios para o delineamento da pesquisa de preferência. A pesquisa foi dividida em duas etapas. A primeira etapa visou à obtenção dos dados para a referida estimativa e abrangeu a elaboração, o teste e a aplicação do questionário de pesquisa de preferência. Foram obtidas 618 respostas, das quais 565 foram válidas para o estudo e divididas entre 243 de mulheres e 322 de homens. Na etapa subsequente, os dados foram formatados, selecionados e analisados. Verificou-se que os quatro modos de transporte mais utilizados pelos respondentes são, respectivamente, ônibus, automóvel (motorista), a pé e bicicleta. Os deslocamentos diários totais, para a maioria dos respondentes, são de até 30 km e levam até 2 horas para serem percorridos. Dos respondentes que informaram fazer algum uso da bicicleta, os do gênero masculino apresentaram maior proporção de utilização da bicicleta para fins de transporte bem como maior frequência de uso da bicicleta. Para ambos os gêneros verificou-se que não houve influência significativa da instituição da Lei Complementar n. 626 com o início da utilização da bicicleta, porém há uma parcela considerável de respondentes que informou estímulo ao uso da bicicleta quando do estabelecimento do sistema de aluguel de bicicletas Bike PoA. O estudo apontou grande potencial da modalidade cicloviária para a cidade de Porto Alegre, indicando a possibilidade de se atingir índices de utilização próximos aos de países exemplares na utilização de bicicletas.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/78299
Arquivos Descrição Formato
000896990.pdf (19.88Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.