Repositório Digital

A- A A+

Aderências peritoniais, colágeno tipo I, III e total nas telas de polipropileno e polipropileno revestido : estudo experimental em ratos

.

Aderências peritoniais, colágeno tipo I, III e total nas telas de polipropileno e polipropileno revestido : estudo experimental em ratos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Aderências peritoniais, colágeno tipo I, III e total nas telas de polipropileno e polipropileno revestido : estudo experimental em ratos
Autor Rossi, Lucas Félix
Orientador Trindade, Manoel Roberto Maciel
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas.
Assunto Modelos animais de doenças
Próteses e implantes
Resumo Introdução: A correção herniária é um tratamento realizado rotineiramente na prática cirúrgica. O aprimoramento da técnica operatória e dos materiais disponíveis trouxe sem dúvida enorme benefício na qualidade dos resultados da cirurgia. A inserção de próteses para correção herniária é bem embasada na literatura e tornou-se o padrão de tratamento quando abordamos este tipo de doença. O objetivo deste trabalho é avaliar duas próteses disponíveis: a de polipropileno e a de polipropileno revestido em modelo experimental. Métodos: Foram inseridas sete próteses de cada tipo em ratos Wistar (Ratus norvegicus albinus) na parede abdominal anterior do animal em contato direto com as vísceras. Após o seguimento de noventa dias fizemos a análise das aderências intra-abdominais, bem como avaliação por imuno-histoquímica e videomorfometria do colágeno total, tipo I e tipo III. Ainda fez-se a análise histológica com hematoxilina-eosina para avaliação dos tipos celulares presentes em cada tela. Resultados: Aos noventa dias as aderências não foram diferentes entre os grupos (P=0,335). O colágeno total igualmente não foi estatisticamente diferente (P=0,810). O colágeno tipo III foi estatisticamente maior no grupo polipropileno revestido (P=0,039) enquanto o colágeno tipo I não diferiu entre as próteses (P=0,050). Os linfócitos foram estatisticamente mais presentes no grupo polipropileno (P=0,041). Conclusão: A prótese revestida não foi diferente da de polipropileno na variável aderência. O colágeno total e tipo I não foram diferentes entre os grupos enquanto que o colágeno tipo III é mais presente na tela revestida. O número de linfócitos foi maior na tela de polipropileno.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/78489
Arquivos Descrição Formato
000898753.pdf (1.820Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.