Repositório Digital

A- A A+

Avaliação da patogenicidade de amostras de Brachyspira pilosicoli através de técnicas histopatológicas convencionais e por imuno-histoquímica

.

Avaliação da patogenicidade de amostras de Brachyspira pilosicoli através de técnicas histopatológicas convencionais e por imuno-histoquímica

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação da patogenicidade de amostras de Brachyspira pilosicoli através de técnicas histopatológicas convencionais e por imuno-histoquímica
Outro título Assessment of the pathogenicity of Brachyspira pilosicoli strains by conventional histopathological techniques and by immunohistochemistry
Autor Barcellos, David Emilio Santos Neves de
Borowski, Sandra Maria
Paulovich, Fabiana Beatriz
Driemeier, David
Razia, Luís Eduardo
Coutinho, Tânia Alen
Prates, Aline Beatriz Heinen
Pescador, Caroline Argenta
Correa, Andre Mendes
Resumo O presente trabalho avaliou diferenças de patogenicidade entre 19 cepas de Brachyspira pilosicoli isoladas de casos de diarréia em suínos no Estado do Rio Grande do Sul, usando um modelo de infecção oral de pintos de um dia. Os animais foram inoculados com uma suspensão de bactérias vivas, 21 dias após foram sacrificados e os cecos examinados por histopatologia através da hematoxilina-eosina, coloração pela prata e a imunohistoquímica usando um anticorpo policlonal anti-Brachyspira pilosicoli. Com o uso das técnicas da prata e da imuno-histoquímica, respectivamente, 21,59% e 70,96% dos pintos mostraram colonização do epitélio do ceco por B. pilosicoli. Houve diferenças no tipo de colonização, ocorrendo aderência contínua, focal ou presença de bactérias livres na luz intestinal. A imuno-histoquímica foi considerada superior para a avaliação da colonização intestinal, pois foi capaz de detectar 49,37% de animais colonizados a mais do que com o uso da coloração pela prata. Em três cepas foram observadas figuras alongadas dentro do citoplasma das células epiteliais cecais de aves inoculadas.
Abstract The study assessed differences of pathogenicity among 19 strains of Brachyspira pilosicoli isolated from cases of diarrhea in swine in the State of Rio Grande do Sul, Brazil, using an one-day-old chick model. The chicken inoculated with live bacterial cultures were submitted to euthanasia 21 days later, and the cecum was examined histologically using hematoxylin-eosin, silver staining and immunohistochemistry with a polyclonal antibody anti-Brachyspira pilosicoli. With silver staining and immunohistochemistry, respectively, 21.59% and 70.96% of the chicken showed colonization of the cecal epithelium with B. pilosicoli. Differences in the type of colonization characterized by continuous adhesion, focal adhesion or free bacteria in the intestinal lumen were observed. Immunohistochemistry was more efficient to assess intestinal colonization, because 49.37% more colonized chicken could be detected with silver staining. With three strains, elongated figures inside the cytoplasm of epithelial cecal cells in the inoculated chicken were observed.
Contido em Pesquisa veterinaria brasileira. Rio de Janeiro, RJ. Vol. 24, n. 3 (2004), p. 144-148
Assunto Brachyspira spp. : Suínos
Imunohistoquímica
[en] Brachyspira pilosicoli
[en] Brachyspira spp
[en] Immunohistochemistry
[en] Pathogenesis
[en] Spirochetal colitis
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/78937
Arquivos Descrição Formato
000505636.pdf (942.1Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.