Repositório Digital

A- A A+

Construção do conhecimento agroecológico : o processo das famílias produtoras de arroz no assentamento Filhos de Sepé, Viamão

.

Construção do conhecimento agroecológico : o processo das famílias produtoras de arroz no assentamento Filhos de Sepé, Viamão

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Construção do conhecimento agroecológico : o processo das famílias produtoras de arroz no assentamento Filhos de Sepé, Viamão
Autor Preiss, Potira Viegas
Orientador Dal Soglio, Fabio Kessler
Co-orientador Kubo, Rumi Regina
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural.
Assunto Agricultura familiar
Agroecologia
Assentamento Filhos de Sepé (Viamão, RS)
Produção agrícola
[en] Agroecological knowledge construction
[en] Land reform
[en] Rice production
Resumo É através de ações propositivas e da prática cotidiana que novas formas de desenvolvimento rural, com perspectivas localizadas, estão sendo experienciadas ao redor do mundo, estando o florescimento da Agroecologia entre estas respostas. O processo de construção do conhecimento Agroecológico tem auxiliado a fortalecer a gestão da base de recursos de agricultores familiares, criando sinergia entre diferentes formas de produção de conhecimento e dinâmicas sociais de desenvolvimento local. O presente trabalho tem como objetivo investigar como as famílias assentadas em Viamão que estão em processo de transição agroecologica percebem o processo de construção do conhecimento. O Assentamento existe desde 1998, em Águas Claras, município de Viamão. É composto por 376 famílias, que provem de 115 municípios do estado e apresentam uma diversidade de experiências em relação à agricultura, as formas de produção e cultivos. É o maior assentamento de reforma agrária no estado, com 9.450 hectares, dos quais 2.543,46 hectares são destinados ao Refúgio da Vida Silvestre Banhado dos Pachecos, obrigando as famílias a produzirem de forma orgânica desde 2008. Ainda que o processo de transição seja recente, pela narrativa das famílias é possível constatar que o envolvimento com a Agroecologia tem se mostrado mais adequado para a condição camponesa em que estas se encontram, permitindo a ampliação da autonomia e melhoria da qualidade de vida em vários contextos. Assim, ainda que o engajamento das famílias na transição agroecológica tenha envolvido uma imposição legal, a permanência tem sido uma escolha. Os posicionamentos divergentes no Assentamento ajudam a evidenciar a transição agroecológica como um projeto em construção e disputa dentro do MST. A atuação do Estado no que diz respeito a leitura e aplicação da legislação ambiental, tem contribuído para a reprodução e ampliação de um contexto de restrição sobre o uso dos recursos, colocando em risco o trabalho e modo de vida das famílias.
Abstract It is through purposeful actions and daily practice that new forms of rural development with local perspectives are being experienced around the world. The blossoming of Agroecology is between these responses. The process of construction of Agroecological knowledge has helped to strengthen the management of the resource base of farmers, creating synergy between different forms of knowledge production and social dynamics of local development. The present study aims to investigate how farmers settled at the Assentamento Filhos de Sepé envolved in agroecological transition perceive the process of building knowledge. The Settlement has existed since 1998, at Águas Claras, Viamão municipality. It consists of 376 families, who come from 115 cities in the state and bring a diversity of experiences in relation to agriculture, forms of production and culture. It is the largest Settlement of the Agrarian Reform in the state, with 9,450 hectare, from which 2543.46 hectares are allocated to the Wildlife Refuge Banhado dos Pachecos, forcing the families to grow organically since 2008. Although the transition process is recent, by the narrative of the families it can be seen that the engagement with Agroecology has being proved more suitable for the peasant condition in which they find themselves, allowing the expansion of autonomy and improvement of life quality in multiple contexts. Thus, although the engagement of families in agroecological transition has involved a statutory requirement, the their permanence has been a choice. The divergent positions help to highlight the agroecological transition as a project under construction and dispute within the Landless Workers' Movement - MST. The performance of the State regarding the implementing of environmental legislation, have contributed to the reproduction and expansion of a context restriction around the use of resources, endangering the work and way of life of the families.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/79025
Arquivos Descrição Formato
000892340.pdf (3.834Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.