Repositório Digital

A- A A+

Google, Apple and Microsoft : study of competitive strategies in the early 21st century software industry

.

Google, Apple and Microsoft : study of competitive strategies in the early 21st century software industry

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Google, Apple and Microsoft : study of competitive strategies in the early 21st century software industry
Autor Boff, Felipe de Moraes
Orientador Araujo, Jorge Paulo de
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Curso de Ciências Econômicas.
Assunto Economia
[en] Bertrand and stackelberg
[en] C7
[en] C72
[en] Cournot duopoly
[en] D2
[en] D23
[en] L
[en] L12
[en] L13
[en] L15
[en] Oligopoly
[en] Software industry
Abstract This work reviews the very brief history of the software industry, dividing it into three types of products — software contractors, corporate software products, and massmarket software. Here I demonstrate that mass-market software producers face an oligopolistic market, and I ask whether static oligopoly theory is suitable to analyse behaviour of firms when producing an operating system. Therefore, throughout this work, I formally analyse the strategic competition for market share, concerning three touchstone models of oligopoly theory— Cournot, Bertrand, and Stackelberg’s. Google, Apple, and Microsoft produced, in the early 21st century, mobile operating systems that are perfect substitutes. However, in their advertisements, these three giant mass-market software producers signalise their products as dissimilar. This work demonstrates that the core functions and performance of these operating systems are indeed very alike, and that consumers make purchase decisions considering the perceived quality as a variable of choice. With these results, I describe hypothetical strategic behaviour of the producers and their unfolding results.
Resumo Este trabalho analisa uma breve história da indústria de software dividindo-a em três tipos de empresas — desenvolvedoras de custom-software, desenvolvedores de software corporativo e desenvolvedores de software de mercado de massa. Será demonstrado, neste trabalho, que os produtores de software de mercado de massa enfrentam uma estrutura de mercado oligopolista. O problema de pesquisa abordado consiste em perguntar se a teoria estática de oligopólio é adequada para analisar o comportamento das empresas que produzem um sistema operacional. Portanto, ao longo deste trabalho, é formalmente analisada a competição estratégica a partir de três modelos referência na teoria do oligopólio— Cournot, Bertrand e Stackelberg. Google, Apple e Microsoft produzem, no início do século 21, sistemas operacionais que são substitutos perfeitos. No entanto, no mundo real, estes três gigantes produtores de software de mercado de massa sinalizam seus produtos como diferentes. Este trabalho demonstra que as principais funções e desempenho dos referidos sistemas operacionais são realmente muito parecidos. Além disso, encontra-se que os consumidores compram estes produtos utilizando como variável de escolha—a qualidade percebida. Finalmente, considerando o conjunto de estratégias dos produtores demonstrar-se-á resultados que emergem de tais escolhas.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/79237
Arquivos Descrição Formato
000900947.pdf (1.342Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.