Repositório Digital

A- A A+

Videolaparoscopia flexível por acesso perianal em equinos

.

Videolaparoscopia flexível por acesso perianal em equinos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Videolaparoscopia flexível por acesso perianal em equinos
Outro título Flexible endoscopic perianal access videolaparoscopy in abdominal exploration of equines
Autor Rocha, Andre Luiz de Araujo
Orientador Beck, Carlos Afonso de Castro
Data 2013
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Veterinária. Programa de Pós-Graduação em Medicina Animal: Equinos.
Assunto Cirurgia laparoscópica animal
Equinos
Laparoscopia veterinária
Videocirurgia : Animais
[en] Horse
[en] Laparoscopy
[en] Minimally invasive surgery
[en] Video surgery
Resumo A técnica de videolaparoscopia exploratória da cavidade abdominal utilizada atualmente em equinos implica em uma série de dificuldades. Há necessidade do acesso cirúrgico bilateral da cavidade abdominal ou anestesia geral para acesso ventral com a finalidade de obter uma avaliação adequada das vísceras e, consequentemente, um diagnóstico mais preciso. Esse procedimento prolonga o tempo e aumenta os riscos de complicações transoperatórias e pós-cirúrgicas. Apesar de ser uma técnica bem estabelecida com situações em que as vantagens de sua utilização são evidentes, alguns fatores ainda limitam sua difusão, entre eles podemos destacar: o custo do equipamento que limita a utilização fora de Universidades, Centros de Pesquisas ou clínicas particulares especializadas em cirurgias veterinárias. Com o objetivo de minimizar os aspectos negativos dessa técnica e viabilizar seu uso na rotina clínica e cirúrgica de equinos, surgiu a ideia de buscar uma nova via de acesso à cavidade abdominal e utilizando o videocolonoscópio, equipamento de menor custo. No presente estudo, foi analisado o uso do endoscópio flexível na exploração abdominal de equinos machos castrados e fêmeas pelo acesso perianal. A técnica foi avaliada quanto à viabilidade de permitir ou não o acesso à cavidade e identificação das vísceras abdominais em equinos. Além disso, buscou-se verificar se o endoscópio flexível permite a obtenção de amostras de tecido hepático para avaliação histológica. Os animais foram, alimentados, desverminados e avaliados diariamente por meio de exame clínico geral durante o período do experimento. Colheitas de amostras de sangue para hemograma e dosagem de fibrinogênio foram realizadas antes e após o procedimento cirurgico para posterior analise. Todos os cuidados de rotina em relação à antissepsia cirúrgica foram devidamente tomados e os animais submetidos a protocolo de sedação e analgesia. Os procedimentos de pós-operatório como terapia analgésica, anti-inflamatória, inspeção e higienização diária do local de incisão foram prestados. O procedimento cirúrgico teve início com incisão na região perianal laterodorsal direita entre o ânus e o musculo semimembranoso utilizando bisturi e tesoura, seguida de divulsão romba com o dedo ao longo da parede retal até alcançar uma profundidade aproximada de 10 cm, momento no qual foi introduzida cânula metálica com 56 cm de comprimento e 16 mm de diâmetro (Ø). Por meio desta cânula foi introduzido o endoscópio flexível (videocolonoscópio), sendo o restante da introdução da cânula acompanhada por visualização indireta em monitor. A cânula foi forçada lentamente até atingir a cavidade peritoneal, momento a partir do qual foi realizada exploração da cavidade abdominal. As vísceras observadas foram anotadas em ficha especialmente desenvolvida para esta finalidade. Como parte da avaliação hepática foi realizada biópsia e o material obtido analisado no setor de patologia da Faculdade de Veterinária da UFRGS. Após dez dias de pós-operatório, quando em plenas condições de saúde, os equinos receberam alta. Os resultados permitem inferir que, o uso do endoscópio flexível na identificação das vísceras abdominais por meio de laparoscopia perianal é viável na rotina clínica e cirúrgica de equinos e possibilita obter amostras teciduais para avaliação histológica. No entanto, o emprego da técnica exige o treinamento da equipe cirúrgica, principalmente do cirurgião, bom planejamento e um diagnóstico pré-operatório incompleto que necessite complementação diagnóstica.
Abstract The technique of exploratory laparoscopy abdominal cavity used currently in horses involves a series of difficulties. There is need for bilateral abdominal cavity surgical access or general anesthesia for ventral access for the purpose of obtaining an adequate assessment of the viscera and, consequently, a more accurate diagnosis. This procedure extends and increases the risks of post-surgical complications and transoperatórias. Despite being a well-established technique in situations where the advantages of its use are evident, some factors still limit its spread, some of them are: the cost of equipment that limits the use out of universities, research centers or private clinics specialized in veterinary surgeries. In order to minimize the negative aspects of this technique and enable its use in routine clinical and surgical equine, the idea of seeking a new route to the abdominal cavity and using videocolonoscópio, lower equipment cost. In the present study, we analyzed the use of the flexible endoscope in the abdominal exploration equine barrows and gilts for access perianal. The technique was evaluated on the feasibility of allowing or not the access cavity and identification of the abdominal viscera in horses. In addition, sought to verify that the flexible endoscope allows obtaining liver tissue samples for histological evaluation. The animals were fed, wormed and evaluated daily by a general clinical examination during the period of the experiment. Sampling of blood for blood count and fibrinogen were measured before and after the surgical procedure for subsequent analysis. All routine care in relation to surgical antisepsis were duly taken and animals undergoing sedation and analgesia protocol. Procedures as postoperative analgesic therapy, anti-inflammatory, inspection and cleaning daily incision site were provided. The procedure began with surgical incision in the right laterodorsal perianal region between the anus and the semimembranosus muscle using a scalpel and scissors, then blunt dilatation of the finger along the rectal wall until it reaches an approximate depth of 10 cm, at which the metal cannula with 56 cm length and 16 mm in diameter (Ø) was introduced. Through this cannula was inserted flexible endoscope (videocolonoscópio), the remainder of the introduction of the cannula followed by indirect viewing monitor. The cannula was forced slowly to the peritoneal cavity, the time from which it was held exploration of the abdominal cavity. The cannula was forced slowly to the peritoneal cavity, the time from which it was held exploration of the abdominal cavity. The viscera were observed in annotated form specially developed for this purpose. As part of the evaluation of the liver, biopsy was performed and the obtained material analyzed at the pathology of the Veterinary School of UFRGS. After ten days postoperatively, when in full health, horses were discharged. The results allow us to conclude that the use of the flexible endoscope in the identification of abdominal viscera through perianal laparoscopy is feasible in routine clinical and surgical equine and enables to obtain tissue samples for histologic evaluation. However, the use of the technique requires training of the surgical team, especially the surgeon, good planning and a preoperative diagnosis requiring incomplete diagnostic workup.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/81206
Arquivos Descrição Formato
000904438.pdf (2.498Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.