Repositório Digital

A- A A+

Informação e mercado frente ao risco alimentar associado à encefalopatia espongiforme bovina

.

Informação e mercado frente ao risco alimentar associado à encefalopatia espongiforme bovina

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Informação e mercado frente ao risco alimentar associado à encefalopatia espongiforme bovina
Autor Vaz, Fabiano Nunes
Orientador Dewes, Homero
Co-orientador Padula, Antonio Domingos
Data 2006
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Centro de Estudos e Pesquisas em Agronegócios. Programa de Pós-Graduação em Agronegócios.
Assunto Agronegócios
Comportamento do consumidor
Segurança alimentar
[en] Beef market
[en] Food safety
[en] Risk perception
[en] Scientific information
Resumo Este trabalho procura estabelecer a relação entre as informações científicas e da mídia, relativas a um presumido risco associado ao consumo de um produto agroalimentar, e o comportamento do mercado. O caso estudado se refere à ocorrência da encefalopatia espongiforme bovina (BSE) no Reino Unido, no final da década de 1980. O entendimento do processamento da informação científica pela mídia, e o seu efeito no comportamento de um mercado conhecido, pode auxiliar no estabelecimento de um modelo integrado de geração do conhecimento científico, sua difusão pela mídia e impactos no mercado, que refletem a percepção pública de risco alimentar derivada da informação. Este modelo pode auxiliar na análise prospectiva de mercados, frente à geração de novos conhecimentos, relativos a riscos no âmbito da segurança alimentar. O modelo também poderá expressar os efeitos do comportamento do mercado alimentar sobre a pauta futura da pesquisa científica sobre risco alimentar. As percepções de risco são disseminadas na população, em regra, pelas informações que chegam até a mesma, principalmente pela mídia escrita e digital. Analisando as publicações científicas e a difusão de notícias nos informativos da mídia, se buscou determinar se as variáveis de mercado da carne bovina são afetadas pelo número de informações publicadas sobre determinado tema, e se estas variáveis podem ser antecipadas pela produção científica e da mídia sobre risco alimentar. O trabalho consistiu em levantamentos bibliométricos nas bases de dados e fontes de informação on-line, correlacionando-se o número de informações publicadas com o comportamento do mercado da carne, antes, durante e após a crise da BSE. Esta análise permitiu caracterizar os fluxos e a dinâmica da informação, identificando os intervalos de tempo e a intensidade, com os quais a percepção de risco foi repassada pela mídia para a população. No caso estudado, observou-se que a difusão de notícias pelos semanários científicos ocorreu de forma rápida, e que estas notícias se correlacionavam com as variações de mercado ligadas ao consumo de carne bovina. As revistas dirigidas à área econômica trataram do risco alimentar apenas discretamente, enquanto que os jornais diários reagiram de forma rápida e massiva. Por isso, antes dos periódicos científicos e das revistas econômicas, são os jornais diários e os semanários de divulgação científica, as fontes de informação sugeridas para avaliar a percepção de risco da sociedade. Por outro lado, a análise dos dados bibliométricos permitiu constatar que, em resposta ao comportamento da população, novas pesquisas são realizadas sobre temas correlatos, cujas publicações realimentam os jornais e semanários. Essas novas informações contribuem para reduzir o grau de incerteza na sociedade, com reflexos positivos no mercado, independente da natureza e do grau do risco mensurado científicamente.
Abstract This work aims to establishing the relationship between the scientific information and the information published by the media, regarding a potential health risk associated to food consumption, and the market of this food. The case studied refers to the events on the bovine spongiform encephalopathy (BSE) occurred in the United Kingdom at the end of the 1980s. The understanding of the processing of the scientific information by the media, and its effects on the market behavior, might help in designing a conceptual model which integrates the production of scientific knowledge, its diffusion by the media, and its impacts no the market, which expresses the public perception of a potential risk, as derived from the information. This conceptual model might be helpful in the prospective analysis of a market, towards on emergent, new scientific knowledge on food risk and food safety. The model could also express the effects of the public behavior on the scientific agenda related to food safety. Risk perception is usually disseminated in the public by the media. By analyzing the scientific publications and the news, it was searched whether the beef market was impacted by the number of scientific publications on BSE, and its human version, and whether changes in this market could be anticipated by the analysis of the progress of the scientific research, and the behavior of the media regarding that food scare. Bibliometric data was gathered from open, public, online sources, correlating the number of publications on the BSE and its agents with the behavior of the beef market, before, during, and after the food scare crisis. The analysis allowed the characterization of the dynamic of the information, and the identification of the time intervals, and the intensity with which the risk perception was disseminated by the media in the population. In the case studied, one could find that the dissemination of information by the weekly scientific magazines occurred quite rapidly, and that the published news were correlated with the changes of the beef market. The magazines directed to the economic area have dealt the food risk with no special editorial emphasis, while the daily newspapers reacted rapidly and massively. Therefore, before the scientific journals, and the economic magazines, the daily newspapers and the weekly scientific magazines are the main sources of information for evaluating the evolution of the perception of food risk in the society. Further, the analysis of the bibliometric data suggested that, as a response to the public behavior, new scientific research is carried out on subjects related to the food scare. The new publications derived from this research supply newspapers and magazines with new information, and contribute to reduce the uncertainty of the society, and affect positively the behavior of the market.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/8149
Arquivos Descrição Formato
000569039.pdf (1.235Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.