Repositório Digital

A- A A+

Efeitos de dois modelos de treinamento aeróbico realizados em diferentes meios sobre parâmetros cardiorrespiratórios, hormonais e metabólicos de pacientes com diabetes mellitus tipo 2 – um ensaio clínico randomizado

.

Efeitos de dois modelos de treinamento aeróbico realizados em diferentes meios sobre parâmetros cardiorrespiratórios, hormonais e metabólicos de pacientes com diabetes mellitus tipo 2 – um ensaio clínico randomizado

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeitos de dois modelos de treinamento aeróbico realizados em diferentes meios sobre parâmetros cardiorrespiratórios, hormonais e metabólicos de pacientes com diabetes mellitus tipo 2 – um ensaio clínico randomizado
Outro título Effects of two models of aerobic training performed in different environments on cardiorespiratory, hormonal and metabolic parameters in patients with type 2 diabetes mellitus - a randomized clinical trial
Autor Delevatti, Rodrigo Sudatti
Orientador Kruel, Luiz Fernando Martins
Co-orientador Schaan, Beatriz D'Agord
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano.
Assunto Corrida em piscina funda
Diabetes
Exercícios aquáticos
Treinamento aerobico
[en] Aquatic exercises
[en] Blood glucose
[en] Deep water running
[en] Diabetes
[en] Inflammation
Resumo Objetivo: Analisar os efeitos crônicos de dois modelos de treinamento aeróbico realizados em ambiente aquático e terrestre sobre parâmetros cardiorrespiratórios, funcionais, metabólicos, hormonais e de qualidade de vida em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 (DMT2). Materiais e métodos: Pacientes com DMT2 foram randomizados em um grupo de treinamento aeróbico aquático (n = 11) ou um grupo de treinamento aeróbico terrestre (n = 10). Ambos os programas apresentaram uma periodização de treinamento similar, diferindo basicamente no meio em que foram realizados. Estes programas tiveram duração de 12 semanas, sendo adotado o método intervalado, com intensidades variando entre 85 e 100% do segundo limiar ventilatório (LV2) e duração total das sessões de 45 minutos. Foram avaliados parâmetros cardiorrespiratórios, funcionais, bioquímicos e de qualidade de vida, todos nos momentos pré e pós-treinamento. Os dados foram descritos pelos valores de média e desvio-padrão. A comparação das variáveis dependentes entre grupos no momento pré-intervenção foi realizada através do teste t de Student para amostras independentes ou através do teste de qui-quadrado. A análise de variância de medidas repetidas com fator grupo foi usada para comparações entre os diferentes momentos em ambos os grupos, adotando-se um nível de significância (α) de 0,05. Resultados: As intervenções propostas resultaram em um aumento do percentual do consumo de oxigênio no segundo limiar ventilatório - %VO2LV2 (p = 0,032) e uma redução da frequência cardíaca de repouso - FCrep (p = 0,011) em ambos os grupos, não alterando significativamente as variáveis cardiorrespiratórias consumo de oxigênio de pico (VO2pico), consumo de oxigênio no segundo limiar ventilatório (VO2LV2), pressão arterial sistólica (PAS) e pressão arterial diastólica (PAD). A mobilidade funcional também melhorou em ambos os grupos, pois estes diminuiram seus tempos médios de realização do Timed Up and Go test em velocidade habitual (p = 0,019) e máxima (p = 0,014). Analisando os desfechos glicêmicos, ambos os grupos apresentaram uma redução significativa nos níveis de hemoglobina glicada – HbA1c (p = 0,035) e não sofreram alterações significativas nos níveis de glicemia de jejum (GJ) e glicemia pós-prandial (GPP) após as intervenções propostas. Este comportamento foi encontrado também na análise dos valores de insulina de jejum (IJ) e resistência a insulina (HOMA-IR), que apresentaram apenas diferença entre os grupos (IJ, p = 0,039 e HOMA-IR, p = 0,032). No perfil lipídico, apenas os valores de triglicerídeos (TG) não demonstraram alterações após o treinamento, tendo ocorrido redução significativa nos níveis de colesterol total - CT (p = 0,054), lipoproteína de alta densidade - HDL (p < 0,001) e lipoproteína de baixa densidade - LDL (p = 0,034). O mesmo comportamento ocorreu na atividade da renina plasmática - ARP (p = 0,035) e nos níveis de proteína C-reativa ultra-sensível - PCRus (p = 0,001). Ambos os grupos também apresentaram melhora significativa após o período de treinamento na qualidade de vida relacionada aos domínios físico (p = 0,019) e psicológico (p = 0,027), sem alterações significativas na qualidade de vida geral e nos demais domínios analisados. Conclusões: O treinamento aeróbico proposto ocasionou benéficos efeitos no %VO2LV2, na FCrep, em parâmetros funcionais, no controle glicêmico, nos níveis de CT e LDL, na inflamação sistêmica, na ARP e na qualidade de vida relacionada aos domínios físico e psicológico, independente do meio em que foi realizado. No entanto, mostrou-se inespecífico para melhorar os níveis de HDL e não impactou significativamente a maioria dos parâmetros cardiorrespiratórios, assim como os níveis insulinêmicos e a qualidade de vida geral e nos domínios ambiental e relações sociais.
Abstract Aim: To analyse the chronic effects of two aerobic-training models performed in water and on dry land on cardiorespiratory, functional, metabolic, hormonal and quality-of-life parameters in patients with type 2 diabetes mellitus (T2DM). Materials and methods: Patients with T2DM were randomized to a group of aquatic aerobic training (n = 11) or a group of aerobic training on land (n = 10). Both programs had similar training periodization, with training environment being the main difference between them. The training programs had a duration of 12 weeks and adopted the interval-training method, with intensities ranging between 85 and 100% of second ventilatory threshold (VT2) and total duration of 45 minute per session. We assessed cardiorespiratory, functional, biochemical and quality-of-life parameters before and after the intervention. Data were described by mean and standard deviation. Comparisons between groups in the pre-intervention were performed using the Student t test for independent samples variables and the chi-square test. The repeated-measures analysis of variance with group as a factor was used for comparisons between pre- and post-training values. A significance level (α) of 0.05 was adopted for all analyses. Results: The proposed interventions caused an increase in percentage of oxygen consumption at second ventilatory threshold - %VO2VT2 (p = 0.032) and a reduction in rest heart rate - HR (p = 0.011) in both groups, while no significant alterations were found in the cardiorespiratory variables peak oxygen consumption (VO2peak), oxygen consumption at second ventilatory threshold (VO2VT2), systolic blood pressure (SBP) and diastolic blood pressure (DBP). Functional mobility was also improved in both groups, since average time for completing the Timed up and Go test in usual (p = 0.019) and maximal (p = 0.014) speed was decreased. Regarding the glycemic outcomes, both groups showed a significant reduction in glycated hemoglobin levels – HbA1c (p = 0.035) and no significant changes in the levels of fasting glucose (FG) and postprandial glucose (PPG) after the interventions. The values of fasting insulin (FI) and insulin resistance (HOMA-IR) showed differences only between the groups (FI, p = 0.039 and HOMA-IR, p = 0.032). Considering lipid profile variables, only triglycerides (TG) showed no change after training, with total cholesterol level – TC (p = 0.054), high density lipoprotein – HDL (p <0.001) and low density lipoprotein – LDL (p = 0.034) being significantly reduced. The same pattern was observed for the plasmatic rennin activity - PRA (p = 0.035) and high-sensitivity C-reactive protein - CRP levels (p = 0.001). Both groups also showed a significant improvement in quality of life related to the physical (p = 0.019) and psychological (p = 0.027) domains in response to the intervention, although there were no significant changes in overall quality of life and in the other domains analyzed. Conclusions: The proposed aerobic training programs elicited beneficial effects in %VO2VT2, rest HR, functional parameters, glycemic control, levels of TC and LDL, systemic inflammation, PRA and quality of life related to physical and psychological domains. These benefits did not depend on training environment. Nevertheless, this training method appears to be nonspecific for improvements in HDL levels and did not affect significantly the majority of cardiorespiratory parameters, as well as insulin levels, overall quality of life and quality of life in environmental and social relations.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/83499
Arquivos Descrição Formato
000906631.pdf (1.711Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.