Repositório Digital

A- A A+

O desenvolvimento do biosonar da toninha, PONTOPORIA BLAINVILLEI (ODONTOCETI: PONTOPORIIDAE)

.

O desenvolvimento do biosonar da toninha, PONTOPORIA BLAINVILLEI (ODONTOCETI: PONTOPORIIDAE)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O desenvolvimento do biosonar da toninha, PONTOPORIA BLAINVILLEI (ODONTOCETI: PONTOPORIIDAE)
Autor Correa, Guilherme Laizola Frainer
Orientador Moreno, Ignacio Maria Benites
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal.
Assunto Heterocronia
Nervo trigêmeo
Ontogenia
Pontoporia blainvillei
Sonar
Resumo Pontoporia blainvillei é o golfinho mais ameaçado do oceano Atlântico sul ocidental devido à intensa mortalidade acidental durante atividades pesqueiras. A alta taxa de captura de indivíduos com menos de três anos de idade sugere a imaturidade funcional no uso da ecolocalização. Neste trabalho é utilizado o diagnóstico por imagem a partir de tomografias computadorizadas (n=2) e ressonâncias magnéticas (n=3), bem como dissecações de cabeças frescas (n=4) obtidas a partir de animais acidentalmente capturados em redes de pesca, para investigar as mudanças ontogenéticas das estruturas envolvidas na produção e recepção de ondas sonoras para o comportamento de ecolocalização. Ainda, uma análise comparativa de uma série ontogenética de 69 sincrânios foi realizada para elucidar uma relação entre osteologia e as estruturas moles do biosonar (musculatura facial, passagem nasal e gorduras especializadas), bem como descrever as transformações da mandíbula ao longo do desenvolvimento. A tomografia computadorizada fornece uma sequência de cortes (slices) com 1 mm de espessura nos planos sagital, coronal e axial, sendo cada pixel de qualquer plano interligado nos três planos. Assim, com o auxílio do programa Materialise © Mimics torna-se possível a manipulação e quantificação (volume, superfície e densidade) das estruturas analisadas em ambiente tridimensional (3D). Os indivíduos analisados revelaram a alta variabilidade morfológica que as toninhas apresentam na forma do biosonar ao longo da ontogenia, e as distintas taxas de desenvolvimento entre estruturas de mesmo aparato funcional (aparato produtor e receptor de sons de alta frequência). A formação da Bursae cantantes e do osso maxilar, por exemplo, apresentam distintas taxas de desenvolvimento em sua forma e são importantes estruturas para a funcionalidade do aparato produtor do som. O complexo timpano-periótico representa a estrutura que se desenvolve mais precocemente; ao contrário da mandíbula, que até a fase adulta apresenta sinais de não maturação da estrutura. À luz da vasto conhecimento a respeito da história de vida da espécie ao longo de sua distribuição, como a biologia alimentar e reprodutiva, são discutidos não só para relacionar as modificações do biosonar com a crescente capacidade de explorar a diversidade de presas no ambiente ao longo da ontogenia, mas como a ontogenia pode interferir no sucesso adaptativo da espécie visto sua história evolutiva. O conhecimento das modificações na ontogenia do biosonar em Pontoporia blainvillei pode ajudar na compreensão das limitações do seu uso por indivíduos imaturos e gerar subsídios para a conservação da espécie.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/84941
Arquivos Descrição Formato
000902178.pdf (6.903Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.