Repositório Digital

A- A A+

Erosão dentária em adolescentes de Porto Alegre, RS

.

Erosão dentária em adolescentes de Porto Alegre, RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Erosão dentária em adolescentes de Porto Alegre, RS
Outro título Dental erosion in adolescents of Porto Alegre, RS
Autor Brusius, Carolina Doege
Orientador Maltz, Marisa
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Odontologia. Programa de Pós-Graduação em Odontologia.
Assunto Adolescente
Erosão dentária
[en] Dental erosion
[en] Disease progression
[en] Epidemiology
[en] Incidence
[en] Prevalence
[en] Risk factors
Resumo Objetivo: O objetivo dessa dissertação foi estudar a prevalência, a incidência, a progressão e os fatores associados à erosão dentária na dentição permanente de adolescentes de Porto Alegre, RS – Brasil. Metodologia: Entre setembro de 2009 e dezembro de 2010, um estudo observacional transversal analítico foi desenvolvido em uma amostra representativa da população de escolares de 12 anos de Porto Alegre. Participaram do estudo 1.528 alunos, aleatoriamente selecionados em 42 escolas, sendo 9 particulares e 33 públicas (taxa de participação de 83,17%). O exame clínico foi realizado nas escolas, após limpeza e secagem dos dentes, por uma única examinadora calibrada. Os incisivos e primeiros molares permanentes foram examinados de acordo com o índice BEWE (Basic Erosive Wear Examination). Medidas antropométricas (peso e altura) foram registradas. Dois questionários foram utilizados: um destinado aos pais/responsáveis legais dos escolares (questões socioeconômicas, acesso a serviços odontológicos, hábitos de higiene oral, saúde geral, etc.) e outro respondido pelos próprios escolares (hábitos alimentares). Entre agosto de 2012 e maio de 2013, após um período de tempo médio de 2,5 anos (±0,35), 801 indivíduos foram reexaminados, representando 52,42% da amostra inicialmente examinada. O exame clínico foi realizado por outra examinadora calibrada e seguiu a mesma sistemática do exame anterior. Questões sobre hábitos de higiene oral, saúde geral e hábitos alimentares foram reaplicadas aos próprios escolares. Taxas de prevalência, incidência, progressão e seus respectivos intervalos de confiança foram estimados. A associação entre erosão dentária e seus possíveis indicadores/fatores de risco foi avaliada através de modelos de regressão de Poisson. Resultados: No exame inicial, 229 escolares apresentaram erosão, resultando em uma taxa de prevalência de 15% (95%CI=13.6-16.5). Na maioria dos casos observou-se a presença de erosão leve (n=207). Na análise dos indicadores de risco para erosão dentária (estudo transversal), foi encontrada associação com sexo masculino, alunos de escolas particulares, consumo diário de refrigerante e limão e distúrbios gastro-esofágicos. Ao longo do período observacional de 2,5 anos, foi observada uma incidência de erosão de 7,2% (95%CI=5.3-9.1) e uma progressão de 25,6% (95%CI=17.7-33.5). Gênero foi o único fator de risco significativamente associado com a incidência de erosão dentária na população em estudo. Os meninos foram 86% mais propensos a desenvolver a erosão dentária durante o período de estudo do que as meninas. Não foi observada relação entre a progressão da erosão e as variáveis explicativas estudadas. Conclusões: O presente estudo encontrou baixas taxas de prevalência e incidência de erosão dentária na população estudada, sendo erosão leve na grande maioria dos casos. Entretanto, um quarto dos indivíduos afetados apresentou progressão no período de 2,5 anos. Gênero masculino, tipo de escola, hábitos alimentares e distúrbio gastro-esofágico foram associados à erosão dentária na população estudada. Os resultados da presente dissertação sugerem que a maior incidência entre os meninos e a taxa de progressão de 25% deve ser levada em consideração no desenvolvimento de estratégias de prevenção e controle da erosão dentária.
Abstract Aim: The objective of this dissertation was to study the prevalence, incidence, progression and the factors associated with dental erosion in the permanent dentition of adolescents in Porto Alegre, RS - Brazil. Methods: Between September 2009 and December 2010, an analytical cross-sectional observational study was conducted in a representative sample of schoolchildren aged 12 years in Porto Alegre. 1,528 students were randomly selected in 42 schools, 9 private and 33 public (participation rate of 83.17 %). The clinical examination was carried out in schools, after cleaning and drying the teeth, by a single calibrated examiner. The first permanent molars and incisors were examined according to the BEWE (Basic Erosive Wear Examination) index. Anthropometric measurements (weight and height) were recorded. Two questionnaires were used: one for parents/guardians of students (socioeconomic issues, access to dental services, oral hygiene habits, general health, etc.) and another answered by the scholars (eating habits). Between August 2012 and May 2013, after an average period of 2.5 years (± 0.35), 801 subjects were reviewed, representing 52.42 % of the sample initially tested. Clinical examination was performed by another calibrated examiner and followed the same systematic examination. Questions regarding brushing frequency, general health and data on dietary habits were reapplied to the schoolchildren. Prevalence, incidence, progression, and their respective confidence intervals were estimated. The association between dental erosion and possible indicators/risk factors was assessed using Poisson regression models. Results: At baseline, 229 students had erosion, resulting in a prevalence rate of 15 % (95%CI=13.6-16.5). In most cases it was observed the presence of slight erosion (n = 207). In the analysis of risk indicators for dental erosion (cross-sectional) associations were found with male private school students, daily consumption of soda and lemon and gastro esophageal disorders. Throughout the observational period of 2.5 years, there was an incidence of erosion of 7.2 % (95%CI=5.3-9.1) and an increase of 25.6% (95%CI=17.7-33.5). Gender was the only risk factor significantly associated with the incidence of dental erosion in the study population. Boys were 86 % more likely to develop dental erosion during the study period than girls. No relationship was found between progression of erosion and the explanatory variables studied. Conclusions: This study found low rates of prevalence and incidence of dental erosion in the study population, with slight erosion in most cases. However, a quarter of affected individuals showed progression within 2.5 years. Male gender, type of school, eating habits and gastro -esophageal disorder were associated with dental erosion in the studied population. The results of this dissertation suggest that the greater susceptibility among boys and progression rate of 25% should be taken into consideration in the development of strategies for prevention and control of dental erosion.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/85193
Arquivos Descrição Formato
000907679.pdf (1.449Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.