Repositório Digital

A- A A+

Influência da desinfecção de elastômeros com ácido paracético e água eletrolisada ácida

.

Influência da desinfecção de elastômeros com ácido paracético e água eletrolisada ácida

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Influência da desinfecção de elastômeros com ácido paracético e água eletrolisada ácida
Outro título Influence of desinfection of elastomers with peracetic acid and acid electrolized water
Autor Paulus, Marília
Orientador Collares, Fabrício Mezzomo
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Odontologia. Programa de Pós-Graduação em Odontologia.
Assunto Acido peracetico
Desinfecção
Materiais odontologicos : Impressao
[en] Disinfection
[en] Impression materials
[en] Peracetic acid
Resumo O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia de duas soluções desinfetantes, ácido peracético e água eletrolisada ácida (AEA), na desinfecção de dois elastômeros, e a influência em suas propriedades de reprodução de detalhes e compatibilidade com o gesso. Um poliéter e uma silicona de adição foram manipulados, e a impressão de uma matriz apresentando três linhas (20, 50 e 75μm) de espessura e 25 mm de comprimento foi realizada. Após, os espécimes (n=3) foram imersos nas soluções de água destilada, glutaraldeído 2%, ácido peracético 0,2% e água eletrolisada ácida durante 10 minutos e, em seguida, o gesso tipo IV foi vazado sobre a impressão. Os materiais foram avaliados quanto à reprodução de detalhes e compatibilidade com o gesso. Posteriormente, biofilmes de Sthaphylococcus aureus foram cultivados sobre os espécimes durante 24 horas a 37°C. Após, os espécimes foram imersos durante 10 minutos nas soluções a seguir: solução salina estéril 0,89%, glutaraldeído 2%, ácido peracético 0,2% e água eletrolisada ácida. O biofilme presente em cada espécime foi coletado, diluído e alíquotas das diluições foram inoculadas em meio ágar sangue. Depois de 24 horas de incubação a 37°C, foi realizada a contagem do número de unidades formadoras de colônias bacterianas em cada um dos espécimes. Na reprodução de detalhes os resultados foram satisfatórios, pois a linha de 20 μm foi reproduzida em todos os espécimes. No teste de compatibilidade com o gesso, todos os grupos reproduziram a linha de 50 μm em todo o comprimento de 25 mm. Na análise antimicrobiana, os resultados mostraram que houve crescimento nos espécimes imersos em solução salina estéril (grupo controle negativo). Entretanto, não houve crescimento bacteriano nos espécimes imersos na solução de glutaraldeído 2%, ácido peracético 0,2% e AEA (p<0,001). Com base na metodologia realizada, concluiu-se que o ácido peracético e a água eletrolisada ácida não alteraram as propriedades dos elastômeros avaliados, e mostraram-se eficazes no processo de desinfecção destes materiais.
Abstract The aim of this study was to evaluate the efficacy of two disinfecting solutions (peracetic acid and acid electrolyzed water) in two elastomeric materials and the influence on its detail-reproduction properties and gypsum compatibility. Polyether and vinyl polysiloxane were handled, and impression of a metal mould with three lines (20, 50 and 75μm wide and 25mm long) was performed. After this, the impressions (n=3) were immersed in the following solutions, for 10 minutes: distilled water, glutaraldehyde 2%, peracetic acid 0,2% and acid electrolyzed water and then type IV gypsum was poured on the impression. The materials were evaluated as to detail reproduction the gypsum compatibility. Subsequently specimens were immersed for 10 minutes into the following solutions: 0.89% sterile saline solution, 2% glutaraldehide, 0.2% peracetic acid, and acid electrolyzed water. The biofilm in each sample was collected and diluted, and the aliquots of the dilution were inoculated in blood agar. After 24h incubation at 37°C, the colony forming units (CFU) were calculated. In the detail reproduction the results were satisfactory, as the 20 μm line was reproduced in all specimens. All specimens presented detail reproduction and gypsum compatibility after immersion. In the antimicrobial analysis, the results showed that the specimens immersed in sterile saline solution grew (negative control group). On the other hand, there was no bacterial growth in the specimens immersed in 2% glutaraldehyde, 0.2% paracetic acid, and acid electrolyzed water (p<0.001). Based on this study methodology, it is concluded that both peracetic acid and acid electrolyzed water did not influence the detail reproduction and gypsum compatibility were efficient in disinfecting the elastomeric materials.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/85194
Arquivos Descrição Formato
000907684.pdf (141.8Kb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.