Repositório Digital

A- A A+

Implantação da Escala de Braden em uma unidade de terapia intensiva de um hospital universitário

.

Implantação da Escala de Braden em uma unidade de terapia intensiva de um hospital universitário

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Implantação da Escala de Braden em uma unidade de terapia intensiva de um hospital universitário
Outro título Implementación de la Escala de Braden enuna unidad de cuidados intensivos de un hospital universitario
Outro título Introduction of the Braden Scale in an intensive care unit of a university hospital
Autor Bavaresco, Taline
Medeiros, Regina Helena
Lucena, Amália de Fátima
Resumo Estudo prospectivo, longitudinal, que teve por objetivos implantar a Escala de Braden (EB) como instrumento de predição de risco para úlcera por pressão (UP) e analisar os resultados do seu uso em uma unidade de terapia intensiva. A amostra foi de 74 pacientes, os dados coletados por instrumento contendo a EB, analisados pela estatística descritiva simples. Encontrou-se 58 (78,37%) pacientes com escore ≤ a 13 e uma incidência de UP de 25,67%. Em 45 (60,8%) pacientes houve o preenchimento diário da EB, destes 5 (11,1%) desenvolveram UP; em 29 (39,1%) não houve aplicação diária da EB, destes, 14 (48,2%) desenvolveram UP. Verificou-se aplicabilidade da EB, o que possibilitou identificar os pacientes em risco para UP. As dificuldades na implantação da EB foram referentes à periodicidade de seu preenchimento, que aponta à necessidade da conscientização e preparo dos enfermeiros para o uso desta ferramenta no cuidado ao paciente.
Resumen Estudio prospectivo, longitudinal, con el objetivo poner en ejecución la Escala de Braden (EB) como instrumento de predicción del riesgo de úlceras por presión (UP) y analizar los resultados en una unidad de cuidados intensivos. La muestra fue de 74 pacientes, los datos recogidos por el instrumento con la EB, analizados por estadística descriptiva simple. Encontramos 58 (78,37%) pacientes con una puntuación ≤ a 13 y una incidencia de 25,67% UP. En 45 (60,8%) fueron completando todos los días da EB, de estos 5 (11,1%) desarrollaron UP; en 29 (39,1%) hubo una aplicación diaria de la EB, de estos 14 (48,2%) desarrollaron. Se verificó la aplicalibidad de la escala, que nos ha permitido identificar a los pacientes en riesgo de UP. Las dificultades en la aplicación se relacionaron con la frecuencia de llenado, lo que apunta a la necesidad de concientización y preparación de las enfermeras a utilizar esta herramienta en la atención al paciente.
Abstract This is a prospective and longitudinal study which aimed to introduce the Braden Scale (BS) as an instrument to predict the risk of pressure ulcer (PU), and to analyze the results of its use in an intensive care unit. The sample was of 74 patients and the data were obtained by an instrument containing BS. Such data were analyzed by a simple descriptive statistic. 58 patients (78.37%) had a score ≤ 13 and PU incidence of 25.67%. In 45 patients (60.80%), BS was daily filled in. From these patients, 5 (11.10%) developed PU. In 29 patients (39.10%), BS was not daily filled in. From these patients, 14 (48.20%) showed PU. Results showed the efficiency of BS, which allowed identifying patients with PU risk. The difficulties of using BS refer to the periodic filling, which shows the need to educate and prepare nurses to use BS in the care of patients.
Contido em Revista gaúcha de enfermagem. Porto Alegre. Vol. 32, n. 4 (dez. 2011), p. 703-710
Assunto Úlcera por pressão
Unidades de terapia intensiva
[en] Intensive care units
[en] Pressure ulcer
[en] Risk assessment
[es] Medición de riesgo
[es] Úlcera por presión
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/86632
Arquivos Descrição Formato
000819443.pdf (47.89Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.