Repositório Digital

A- A A+

Força muscular inspiratória, capacidade funcional e qualidade de vida em uma amostra de pacientes pós transplante cardíaco

.

Força muscular inspiratória, capacidade funcional e qualidade de vida em uma amostra de pacientes pós transplante cardíaco

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Força muscular inspiratória, capacidade funcional e qualidade de vida em uma amostra de pacientes pós transplante cardíaco
Autor Menezes, Marcio Garcia
Orientador Stein, Ricardo
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares.
Assunto Capacidade inspiratória
Capacidade residual funcional
Cuidados pós-operatórios
Pacientes
Qualidade de vida
Transplante de coração
Resumo Introdução: O transplante cardíaco (TRX) é a última alternativa que pacientes com insuficiência cardíaca (IC) têm para recuperar a função hemodinâmica cardiovascular. Objetivo: Avaliar a função muscular inspiratória, a capacidade funcional e a qualidade de vida em pacientes submetidos ao TRX. Métodos: Estudo transversal que arrolou uma amostra de transplantados há pelo menos um ano de dois hospitais de Porto Alegre, além de insuficientes cardíacos estáveis provenientes de um ambulatório terciário especializado da mesma cidade. Força muscular inspiratória (PImáx), teste de caminhada de 6 minutos (TC-6’) e o teste cardiopulmonar de exercício (TCPE) foram realizados O questionário de qualidade de vida de Minnesota (QQVM) também foi aplicado. Resultados: Dezenove transplantados (tempo médio pós TRX de 7±5 anos), com média de idade de 53 ± 15 anos, sendo 13 (68,5%) homens, além de 417 IC estáveis foram avaliados. A PImáx foi de 93 ± 30 pós TRX vs 60 ± 12 cmH2O (P<0,001). O TCPE evidenciou consumo de oxigênio de pico de 17,2±4 vs 15,9±4 mL.kg-1.min-1 (P=0,17). A distância percorrida no TC-6’ foi de 326 ± 73 e 349 ± 106 metros (P=0,19). Já o QQVM apresentou valores de 36 ± 20 vs 32 ± 15; (P=0,39). Conclusão: Pacientes que realizaram TRX há mais de um ano apresentam força muscular inspiratória superior, mas capacidade funcional e qualidade de vida semelhante a de pacientes estáveis com insuficiência cardíaca.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/87167
Arquivos Descrição Formato
000910637.pdf (880.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.