Repositório Digital

A- A A+

Desempenho dos Questionários Massachusetts Male Aging Study (MMAS) e Androgen Deficiency in the Aging Male (ADAM) na predição da testosterona livre em pacientes com 40 anos ou mais atendidos em ambulatório de urologia

.

Desempenho dos Questionários Massachusetts Male Aging Study (MMAS) e Androgen Deficiency in the Aging Male (ADAM) na predição da testosterona livre em pacientes com 40 anos ou mais atendidos em ambulatório de urologia

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Desempenho dos Questionários Massachusetts Male Aging Study (MMAS) e Androgen Deficiency in the Aging Male (ADAM) na predição da testosterona livre em pacientes com 40 anos ou mais atendidos em ambulatório de urologia
Outro título Performance of Massachusetts Male Aging Sudy (MMAS) and Androgen Deficiency in the Aging Male (ADAM) questionnaires in the prediction of free testosterone in patients aged 40 years or older treated in outpatient regimen
Autor Cabral, Renan Desimon
Orientador Koff, Walter Jose
Data 2012
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas.
Assunto Adulto
Estudos de validação
Meia-idade
Questionários
Testosterona
Unidade hospitalar de urologia
[en] ADAM
[en] Free testosterone
[en] Male aging
[en] Screening questionnaire
Resumo Objetivo: Atualmente, a medição de Testosterona Livre calculada é considerado como sendo o padrão-ouro no diagnóstico do hipogonadismo em homens, porém, não está disponível para todos os indivíduos com suspeita de diminuição da função testicular. Portanto, avaliamos se o questionário Adrogen Deficiency in the Aging Male (ADAM) e o questionário Massachusetts Male Ageing Study (MMAS) poderiam ser utilizados como substitutos das determinações bioquímicas na identificação de hipogonadismo em homens com 40 anos ou mais. Métodos: Foram analisados 460 homens, com 40 anos ou mais de idade, participantes voluntários do programa de rastreamento de câncer de próstata do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Foi avaliada a capacidade dos questionários ADAM e MMAS de identificar homens com níveis baixos de Testosterona Total, Livre Calculara e Biodisponível. Resultados: A sensibilidade e especificidade do questionário ADAM, com relação à Testosterona Livre Calculada, foram de 73,6% e 31,9%, respectivamente. O uso de ADAM resultou em uma classificação adequada da nossa população em indivíduos normais ou hipogonádicos em 52,75% dos casos. Para o questionário MMAS, a sensibilidade foi calculada em 59,9% e a especificidade em 42,9%. Com o seu uso, a classificação dos pacientes foi realizada corretamente em 51,4% dos casos. Conclusão: Os questionários ADAM e MMAS têm uma sensibilidade adequada para identificar homens com baixos níveis de testosterona livre. No entanto, devido à sua falta de especificidade, estes testes não podem ser utilizados como um substitutos da dosagem de Testosterona Livre Calculada em homens com 40 anos ou mais em nosso meio.
Abstract Objective: At present, calculated free testosterone assessment is considered as the gold standard in diagnosing male hypogonadism. However, this assessment is not available for all individuals diagnosed with decreased testicular function. The investigators of this study were, thus, prompted to evaluate whether the androgen deficiency in the aging male (ADAM) and the Massachusetts Male Ageing Study (MMAS) questionnaires could be used to replace biochemical parameters in the diagnosis for hypogonadism in men aged 40 years and above. Methods: We evaluated 460 men, aged 40 years and above, all volunteers of a screening program for prostate cancer based at the Hospital de Clínicas of Porto Alegre. In this study, we assessed the efficiency of the ADAM and MMAS questionnaires in diagnosing Brazilian men with low levels of total, calculated free, and bioavailable testosterone. Results: The sensitivity of the ADAM questionnaire in diagnosing the calculated free testosterone was 73.6%, whereas specificity was 31.9%. ADAM could be used to properly classify our cohort into normal or hypogonadal individuals in 52.75% of the cases. The sensitivity of the MMAS questionnaire was 59.9%, whereas the specificity was 42.9%, resulting in a successful classification of 51.4% of the patients. Conclusion: The ADAM and MMAS questionnaires showed adequate sensitivity in diagnosing male patients with low levels of free testosterone. However, because of the lack of specificity, these tools cannot replace calculated free testosterone assessments in men aged 40 years and above.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/87182
Arquivos Descrição Formato
000910428.pdf (1.352Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.