Repositório Digital

A- A A+

Ultrassonografia musculoesquelética em artrite reumatoide e fibromialgia

.

Ultrassonografia musculoesquelética em artrite reumatoide e fibromialgia

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Ultrassonografia musculoesquelética em artrite reumatoide e fibromialgia
Autor Chakr, Rafael Mendonça da Silva
Orientador Brenol, João Carlos Tavares
Data 2011
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Artrite reumatóide
Dor musculoesquelética
Fibromialgia
Ultrassonografia
[en] Arthritis
[en] Doppler
[en] Fibromyalgia
[en] Rheumatoid
[en] Ultrasonography
Resumo INTRODUÇÃO Fibromialgia (FM) está presente em 20% dos pacientes com artrite reumatoide (AR), podendo superestimar escore de atividade de doença com 28 articulações (DAS28) e interferir no uso de medicamentos modificadores do curso da doença (MMCD). Escore ultrassonográfico com sete articulações (US7) para quantificação de proliferação/efusão sinovial por escala de cinza (US7-EC) e de vascularização sinovial por power Doppler (US7-PD) são medidas objetivas de sinovite. OBJETIVOS Avaliar o impacto da FM nos escores US7-EC e US7-PD em pacientes com AR. MÉTODOS Estudo de caso-controle pareado por duração da AR e positividade do fator reumatoide, aninhado a coorte de pacientes com AR. Pontuação de imagens feita de forma cegada. Coeficientes de concordância kappa intraobservador e interobservador com observador externo mais experiente e cegado foram calculados. Coeficientes de correlação de Spearman (rs) para DAS28, US7-EC e US7-PD entre grupos foram calculados. Valores de P<0,05 foram considerados estatisticamente significativos (bicaudal). RESULTADOS Setenta e duas mulheres com 57,5 (49,3-66,8) anos de idade, AR há 13 (6-19) anos e em uso de MMCD convencional (97%) e biológico (18%) foram incluídas: 36 com FM (casos) e 36 sem FM (controles). DAS28 foi maior entre casos: 5,2 (4,3-6,3) vs. 4,0 (3,3-4,6), P<0,001. US7-EC e US7-PD foram iguais entre casos e controles: 10,0 (7,0-11,0) vs. 9,0 (7,0-11,0), P=0,37 e 3,0 (1,0-5,8) vs. 4,0 (2,0-5,0), P=0,87, respectivamente. DAS28, US7-EC e US7-PD se correlacionaram em ambos os grupos (rs=0,35 a 0,39, P<0,05), exceto DAS28 e US7-PD na presença de FM (rs=0,12, P=0,50). CONCLUSÃO FM não impacta a avaliação de sinovite por US7-EC e US7-PD em pacientes com AR. US7-PD parece ser melhor do que US7-EC na identificação de pacientes com AR com DAS28 superestimado pela FM. Estudos longitudinais com alvos terapêuticos baseados em escores clínicos e ultrassonográficos permitirão comparar acurácia dos métodos, bem como conhecer os efeitos no valor do tratamento.
Abstract BACKGROUND Fibromyalgia (FM) is present in 20% of rheumatoid arthritis (RA) patients. FM may overestimate RA disease activity score with 28 joints (DAS28) and impact disease modifying antirheumatic drugs (DMARD) treatment decision. Gray-scale 7-joint ultrasound score (US7) for synovial proliferation/effusion (US7-GS) and power Dopper for synovial vascularization (US7-PD) are objective measures of synovitis. OBJECTIVE To study the impact of FM in US7-GS and US7-PD among RA patients. METHODS This is a case-control study matched by RA duration and rheumatoid factor positivity, nested by a cohort of RA patients. Image scoring was blinded. Intra- and inter-rater kappa agreement coefficients with an experienced blinded external assessor were calculated. Spearman´s rank test correlation coefficients (rs) among DAS28, US7-GS and US7-PD were calculated. P values<0.05 were considered statistically significant (two-tailed). RESULTS Seventy two women aged 57.5 (49.3-66.8) years, with RA for 13 (6-19) years, in use of conventional (97%) and biologic DMARD (18%) were included: 36 with FM (cases) and 36 without FM (controls). DAS28 was greater among cases: 5.2 (4.3-6.3) vs. 4.0 (3.3-4.6), P<0.001. US7-GS and US7-PD were similar among cases and controls: 10.0 (7.0-11.0) vs. 9.0 (7.0-11.0), P=0.37 and 3.0 (1.0-5.8) vs. 4.0 (2.0-5.0), P=0.87, respectively. DAS28, US7-GS and US7-PD correlated in both groups (rs=0.35 to 0.39, P<0.05), except for DAS28 and US7-PD in the presence of FM (rs=0.12, P=0.50). CONCLUSION FM does not impact synovitis appraisal by US7-GS and US7-PD in RA patients. US7-PD may be better than US7-GS to identify RA patients with DAS28 overestimated by FM. Longitudinal studies with clinical and ultrasound-based scores as treatment targets are necessary to compare both methods accuracy and their effects on treatment value.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/87209
Arquivos Descrição Formato
000910505.pdf (545.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.