Repositório Digital

A- A A+

Compreensões de jovens universitários sobre a violência : sob o olhar da corporeidade, da vulnerabilidade e do cuidado

.

Compreensões de jovens universitários sobre a violência : sob o olhar da corporeidade, da vulnerabilidade e do cuidado

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Compreensões de jovens universitários sobre a violência : sob o olhar da corporeidade, da vulnerabilidade e do cuidado
Outro título Comprehensions of young university people about violence : under the gaze of corporeity, vulnerability and care
Outro título Comprensiones de jóvenes universitários sobre la violencia : mediante el mirar de La Corporeidad, de la Vulnerabilidad y del cuidado
Autor Zanatta, Elisangela Argenta
Orientador Motta, Maria da Graça Corso da
Data 2013
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.
Assunto Adulto jovem
Cuidados de enfermagem
Estudantes de enfermagem
Violência
Vulnerabilidade em saúde
[en] Care
[en] Nursing
[en] Physicality
[en] Violence
[en] Vulnerability
[en] Young people
[es] Atención
[es] Corporeidad
[es] Enfermería
[es] Juventud
[es] Violencia
[es] Vulnerabilidad
Resumo Neste estudo, de vertente qualitativa,a pesquisa vincula-se à Linha de pesquisa Cuidado de enfermagem na saúde da mulher, criança, adolescente e família e ao Grupo de Estudos do Cuidado à Saúde nas Etapas da Vida (CEVIDA) do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O objetivo foi entender de que modo a violência é compreendida pelos jovens em seu vivido e as repercussões desse fenômeno em sua corporeidade, na perspectiva da vulnerabilidade; conhecer as vivências que os jovens universitários do Curso de Graduação em Enfermagem possuem e quais suas expectativas enquanto futuros cuidadores frente à violência. Os participantes foram 21 jovens, com idade entre 17 e 23 anos, acadêmicos de enfermagem de uma Universidade localizada em um município do Oeste Catarinense. Para a produção das informações foram utilizadas duas estratégias: construção do Genograma e Ecomapa, componentes do Modelo Calgary de Avaliação da Família de cada jovem e realização de Dinâmicas de Criatividade e Sensibilidade (DCS), preconizadas pelo Método Criativo e Sensível. A Pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul CAAE: 02870012.8.0000.5347. As informações foram interpretadas à luz da hermenêutica proposta por Paul Ricoeur, tendo como suporte os referenciais da vulnerabilidade e da corporeidade e delas emergiram cinco temas: desvelando as compreensões dos jovens sobre a violência a partir do discurso falado e escrito; repercussões da violência na corporeidade do jovem; formação profissional: percepções da violência; processo de cuidado em saúde – situações de violência percebida; expectativas e propostas dos jovens para a construção de uma cultura de paz. Os jovens compreendem que a violência faz parte do seu existir, está presente na família, na escola, nas ruas, nos espaços de lazer, no descaso do poder público, na corrupção. Definem a violência como um obstáculo em seus projetos de felicidade, um fenômeno que abala a sua corporeidade, provocando um vazio e deixando a vida sem cor, modificando seu modo de ser no mundo e na relação com o outro, condição agravada pela naturalização da violência no cenário atual.Na formação profissional reconhecem a violência simbólica, presente nas relações de autoridade entre docentes e discentes, e nas relações conflituosas entre profissionais dos serviços de saúde e acadêmicos. No processo de cuidado identificam, às vezes, a violência nas ações, de alguns profissionais de saúde, manifestada na falta de paciência, na negligencia em cumprir com algumas obrigações e na pouca atenção dispensada ao outro. Entendem que podem ser perpetradores da violência ao negligenciar o cuidado pela falta de habilidade técnica e dificuldade em visualizar o ser humano na sua integralidade. As expectativas dos jovens frente à violência estão relacionadas à possibilidade de realizarem mudanças em suas atitudes, controlando seus sentimentos de raiva, e na ação dos profissionais de saúde, especialmente do enfermeiro, no sentido de ajudar os jovens a serem construtores de uma cultura de paz na relação com o outro e no processo de cuidar em saúde. Acredita-se que a pesquisa revelou elementos importantes aos profissionais de saúde, em especial ao enfermeiro, para pensar a violência que co-habita o existir dos jovens; revelou informações essenciais para entender o jovem como corporeidade, como um ser que pode vivenciar situações de vulnerabilidade à violência nas dimensões individual, social e programática, que precisa ser e sentir-se cuidado pela família, pela sociedade, pelos profissionais de saúde, pelos professores, pois está se construindo enquanto um ser de cuidado; e ofereceu subsídios para repensar a prática do cuidado ao jovem nos diferentes cenário de saúde e educação.
Abstract In this study, with qualitative nature, the investigation is linked to the research line ―Nursing care in women‘s, children‘s, adolescent‘s and family‘s health" and to the Study Group of Health Care in the Life Stages (CEVIDA) from the Post-Graduate Program at the Federal University of Rio Grande do Sul. The aim was to understand the way in which the violence is comprehended by young people in their daily lives and the consequences of this phenomenon in their physicality, under the perspective of vulnerability; to know the experiences that the young college students of the Graduate Nursing Course have and what their expectations as future caregivers before the violence. The participants were 21 young people, aged between 17 and 23 years, nursing students from a university located in a municipality of the Western Region of the Santa Catarina State. For the production of information, we have used two strategies: building of the Genogram and of the Ecomap, components of the Calgary Model for Family Assessment of every young subject and conduction of Creativity and Sensibility Dynamics (CSD), recommended by Creative and Sensitive Method. The research was approved by the Research Ethics Committee from the Federal University of Rio Grande do Sul, under CAAE 02870012.8.0000.5347.The data were interpreted in the light of the hermeneutics proposed by Paul Ricoeur, having as support the benchmarks of vulnerability and of physicality. They gave rise to five themes emerged: unveiling the comprehensions of young people about violence from spoken and written speech; consequences of violence in the physicality of young people; professional training: perceptions of violence; health care process – situations of perceived violence; expectations and proposals of young people to build a culture of peace. Young people understand that violence is part of their existence, is present in the family, at school, on the streets, in leisure areas, in the indifference of the public power, in corruption. They define violence as an obstacle to their projects of happiness, i.e., a phenomenon that undermines their physicality, by provoking vacuum and letting life without color, thus modifying their way of being in the world and in their relationships to others, which consists in a condition exacerbated by the naturalization of violence in the current scenario. Regarding professional training, they recognize the symbolic violence present in authority relationships between teachers and students, and in conflicting relationships between health professionals and academic students. As for the care process, they occasionally identify violence in actions of some health professionals, which is manifested in the lack of patience, in the neglect to comply with certain obligations and in the little attention given to other being. They understand that they can be perpetrators of violence by neglecting the care due to the lack of technical skill and difficulty in visualizing the human being in its entirety. The expectations of young people before the violence are related to the possibility of performing changes in their attitudes, by controlling their feelings of angry, and in actions of health professionals, especially from the nursing professional, in order to help young people to become builders of a culture of peace in their relationships to others and in the health care process. It is believed that the investigation has revealed relevant elements to health professionals, especially to the nursing professional, with a view to thinking on the violence that coexists with the existence of young people; it has revealed essential information to understand youth as physicality, as a being that can experience situations of vulnerability to the violence in the individual, social and programmatic dimensions, who needs to be and feel cared by family, society, health professionals and teachers, since it is being built as a being of care; and it has offered subsidies to rethink the practice of care shares towards the young people in the different scenarios of health and education.
Resumen En este estudio, de vertiente cualitativa, la investigación se vincula a la línea de investigación ―Atención de enfermería en la salud de la mujer, niño, adolescente y familia‖ y al Grupo de Estudios de Atención a la Salud en las Etapas de la Vida (CEVIDA) del Programa de Postgrado de la Universidad Federal del Rio Grande del Sur. El objetivo fue entender cómo la violencia es entendida por los jóvenes en su vida y las repercusiones de este fenómeno en su corporeidad, en la perspectiva de la vulnerabilidad; conocer las experiencias que los jóvenes universitarios del Curso de Graduación en Enfermería tienen y cuáles son sus expectativas cuanto futuros cuidadores frente a la violencia. Los participantes fueron 21 jóvenes, con edad entre 17 y 23 años, estudiantes de enfermería en una Universidad ubicada en una ciudad del oeste del departamento de Santa Catarina. Para la producción de las informaciones se utilizaron dos estrategias: la construcción del Genograma y Ecomapa, componentes del Modelo Calgary de Evaluación de la Familia de cada joven y la realización de Dinámicas de Creatividad y Sensibilidad (DCS), indicada por el Método Creativo y Sensible. La investigación fue aprobada por el Comité de Ética en Pesquisa de la Universidad Federal del Rio Grande del Sur, CAAE 02870012.8.0000.5347. Las informaciones fueron interpretados a la luz de la hermenéutica propuestas por Paul Ricoeur, teniendo como suporte las referencias de la vulnerabilidad y de la corporeidad y de ellas emergieron cinco temas: develando los entendimientos de los jóvenes sobre la violencia a partir del discurso hablado y escrito; repercusiones de la violencia en la corporalidad del joven; formación profesional: la percepción de la violencia, el proceso de atención en salud – las situaciones de violencia percibidas; expectativas y propuestas de los jóvenes para construir una cultura de paz. Los jóvenes entienden que la violencia hace parte de su existencia, está presente en la familia, en la escuela, en las calles, los espacios de ocio, en el descaso del poder público, en la corrupción. Definen la violencia como un obstáculo en sus proyectos de felicidad, es decir, un fenómeno que sacude a su corporeidad, provocando un vacío y dejando que la vida sin color, modificando su manera de ser en el mundo y en la relación con el otro, condición agravada por la naturalización de la violencia en el escenario actual. En la formación profesional reconocen la violencia simbólica, presente en las relaciones de autoridad entre profesores y alumnos, y en las relaciones conflictivas entre los profesionales de los servicios de salud y académicos. En el proceso de atención identifican, a veces, la violencia en las acciones de algunos profesionales de la salud, que se manifiesta en la falta de paciencia, en la negligencia en cumplir con algunas obligaciones y la poca atención con el otro. Entienden que pueden ser los autores de la violencia al descuidar la atención por la falta de habilidad técnica y la dificultad en la visualización del ser humano en su totalidad. Las expectativas de los jóvenes hacia la violencia están relacionadas con la posibilidad de hacer cambios en sus actitudes, controlando sus sentimientos de ira, y en las acciones de los profesionales de la salud, especialmente los enfermeros, en el sentido de ayudar los jóvenes a ser constructores de una cultura de paz en relación con el otro y en el proceso de cuidar en la salud. Se cree que la investigación reveló elementos importantes de los profesionales de la salud, en especial al enfermero, para pensar la violencia que co-habita la existencia de los jóvenes, reveló informaciones esenciales para entender el joven como corporalidad, como un ser que puede experimentar situaciones vulnerabilidad de violencia en las dimensiones individual, social y programática, que necesita ser y sentirse atendido por la familia, por la sociedad, por los profesionales de la salud, los maestros, pues está construyéndose como un ser de atención; y ofreció subsidios para repensar la práctica de atención al joven en los diferentes escenarios de la salud y educación.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/87247
Arquivos Descrição Formato
000911360.pdf (5.723Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.