Repositório Digital

A- A A+

O avanço das monoculturas arbóreas e seus impactos no espaço rural de Arroio dos Ratos

.

O avanço das monoculturas arbóreas e seus impactos no espaço rural de Arroio dos Ratos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O avanço das monoculturas arbóreas e seus impactos no espaço rural de Arroio dos Ratos
Autor Gerlack, José Vanderlei
Orientador Silva, Leonardo Xavier da
Co-orientador Troian, Alessandra
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Curso de Tecnólogo em Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural a Distância.
Assunto Desenvolvimento rural
[es] Ambiental
[es] Desarrollo
[es] Exotic
[es] Forestación
[es] Modelo agrario
[es] Monocultivo
[es] Social
Resumo O florestamento de espécies arbóreas exóticas é uma realidade visível no Brasil, que vem sendo desenvolvida e incentivada há várias décadas, tendo sido adotado como alternativa para suprir as necessidades humanas, que demandam a madeira, como matéria prima. Arroio dos Ratos, no Rio Grande do Sul tem sido alvo do desenvolvimento dessa atividade em larga escala. Este trabalho foi desenvolvido, com o fim de compreender como as florestas exóticas ocuparam o espaço rural do município, e o que elas representam no âmbito social, econômico e ambiental. A metodologia utilizada para a realização deste trabalho foi através de revisão bibliográfica que aborda o assunto e de entrevistas junto aos produtores locais. O estudo constatou aquilo que já vem sendo referendado em vários estudos sobre o desenvolvimento dos modelos agrícolas adotados no País. O atual modelo agrário adotado em Arroio dos Ratos tem gerado problemas de ordem ambiental na região, preocupando-se somente com um acúmulo de renda, satisfazendo um modelo econômico movido pela geração de PIB, em detrimento da satisfação da população, na medida em que as necessidades de suprimento dos alimentos básicos e de renda têm sido desprezadas. Assim o modelo praticado é insustentável, gerando um desequilíbrio dos ecossistemas, e ignorando a necessidade e dever que as sociedades têm de garantir um ambiente saudável e com sua biodiversidade para as gerações futuras.
Resumen La forestación de especies exóticas es una realidad visible en Brasil, que ha sido desarrollado y promovido durante décadas, después de haber sido adoptado como una alternativa a las necesidades humanas, que requieren de la madera como materia prima. Arroyo de los Ratos, Rio Grande del Sur ha sido objeto del desarrollo de esta actividad en gran escala. Este trabajo fue desarrollado con el fin de entender cómo los bosques exóticos ocuparon las zonas rurales de la provincia, y lo que representan en la vida social, económica y ambiental. La metodología utilizada para este trabajo fue a través de revisión de la literatura que aborda el tema y entrevistas con los productores locales. El estudio encontró lo que ya se ha defendido en muchos estudios sobre el desarrollo de los modelos agrícolas adoptadas en el país. El Actual modelo agrario aprobada en Arroyo de los Ratos ha generado los problemas ambientales en la región, de que se trate sólo con la acumulación de los ingresos, satisfaciendo un modelo económico impulsado por la generación del PIB, en lugar de la satisfacción de la población, ya que las necesidades de abastecimiento de los alimentos básicos y los ingresos han sido ignorados. Así, el modelo practicado es insostenible, creando un desequilibrio de los ecosistemas, y haciendo caso omiso de la necesidad y la obligación de que las sociedades necesitan para garantizar un medio ambiente sano y la biodiversidad para las generaciones futuras.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/87494
Arquivos Descrição Formato
000909325.pdf (787.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.