Repositório Digital

A- A A+

Investigação da interferência de sanitizantes na avaliação de superfícies por atp bioluminescência

.

Investigação da interferência de sanitizantes na avaliação de superfícies por atp bioluminescência

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Investigação da interferência de sanitizantes na avaliação de superfícies por atp bioluminescência
Autor Silva, Aline Oliveira e
Orientador Tondo, Eduardo Cesar
Co-orientador Casarin, Letícia Sopeña
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências e Tecnologia de Alimentos. Curso de Engenharia de Alimentos.
Assunto Higiene do alimento
Sanitizante
[en] ATP bioluminescence
[en] L. monocytogenes
[en] Sanitized surfaces
[en] Sanitizers
Resumo O método de ATP bioluminescência utilizado para monitoramento de higiene de superfícies depende da quantidade de matéria orgânica presente na superfície avaliada. Quanto maior a quantidade de matéria orgânica, maior será a quantificação de Unidades Relativas de Luz (URL). A lise celular bacteriana e subsequente liberação de matéria orgânica, resultante da utilização de sanitizantes sobre superfícies higienizadas, pode influenciar no número de URL medidas por um luminômetro. O objetivo deste estudo foi avaliar a interferência de cinco sanitizantes comumente utilizados na higienização de superfícies em indústrias de alimentos sobre o número de URL gerados pelo método de ATP luminescência. Para isso, placas de corte de polietileno de 32x23cm foram divididas em 8 quadrados (5x5cm2) e artificialmente contaminadas com ~104 UFC/mL de Listeria monocytogenes, utilizando uma esponja esterilizada para espalhar o inóculo. Quatro quadrados de cada placa foram amostrados com o 3M™ Quick Swab e os outros quatro quadrados foram amostrados com o swab de superfície 3M™ Clean Trace, visando enumeração microbiana e de URL, respectivamente. As amostras foram coletadas antes e após a utilização de hipoclorito de sódio (1 % e 2%), biguanida (0,6 % e 1,2 %), álcool etílico (70 % e 96%), quaternário de amônio (2% e 4%) e ácido peracético (1 % e 2 %). As contagens foram estatisticamente analisadas através dos testes de Wilcoxon e Mann-Whitney e do teste T de Student, utilizando o software Minitab®. Os resultados indicaram que ~103 UFC/cm2 de L. monocytogenes aderiram às placas de polietileno e depois da desinfecção não foram detectadas bactérias viáveis. A média dos valores de URL nas placas contaminadas variaram entre 437 e 47638 URL. Os valores de URL nas placas higienizadas foram reduzidos para contagens entre 36 e 127 URL para todos os sanitizantes e concentrações testadas. Comparando os valores de URL das placas higienizadas com as controles (sem tratamento e não contaminadas), os resultados demonstraram que a menor concentração de ácido peracético causou redução nas contagens de URL, enquanto todos os outros sanitizantes e concentrações elevaram as contagens de URL. Porém, nenhuma dessas interferências foi estatisticamente significativa.
Abstract The ATP bioluminescence system used for surface hygiene monitoring depends on the quantity of organic matter present on a surface. The greater the amount of organic matter, the higher the quantification of Relative Light Unit (RLU) will be. The cell lysis resulting after the usage of sanitizers may influence in the numbers of RLU measured by this detection system. The aim of this study was to evaluate the interference of five commonly used sanitizers for surface disinfection in food industries in the RLU counts generated by ATP swab detection system. So, polyethylene cutting boards (n=3) of 32x23 cm were divided in 8 squares (5x5cm2) and artificially contaminated with ~104 CFU/ml of Listeria monocytogenes, using a sterile sponge to spread the inocule. Four squares of each board were swabbed with 3M™ Quick Swab and the other four squares were swabbed with 3M™ Clean Trace Surface swabs, aiming microbial and RLU enumeration respectively. Samples were taken before and after the use of sodium hypochlorite (1% and 2%), biguanide (0.6% and 1.2%), ethylic alcohol (70% and 96 °GL), quaternary ammonium (2% and 4%) and peracetic acid (1% and 2%). Counts were statistically analyzed using Wilcoxon and Mann-Whitney and T-test, using Minitab® software. Results indicated that ~103 CFU/cm2 of L. monocytogenes were adhered to polyethylene cutting boards and after sanitizing viable bacteria were not detected. The average of RLU values in the contaminated boards were from 437 to 47638 RLU. In the sanitized boards RLU counts were reduced to values ranging from 36 to 127 RLU to all sanitizers and concentrations tested. A comparison made between the RLU values of sanitized boards and control (untreated and uncontaminated) demonstrated that peracetic acid at the lowest concentration caused a quenching effect on RLU counts, while all other sanitizers and concentrations caused an enhancement effect on RLU values. However, none of these interferences were statistically significant.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/87558
Arquivos Descrição Formato
000910223.pdf (824.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.