Repositório Digital

A- A A+

Práticas corporais na formação de oficineiros do Programa Mais Educação : afinal, que corpo é esse que está na escola?

.

Práticas corporais na formação de oficineiros do Programa Mais Educação : afinal, que corpo é esse que está na escola?

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Práticas corporais na formação de oficineiros do Programa Mais Educação : afinal, que corpo é esse que está na escola?
Autor Ghinato, Raquel Pires
Orientador Traversini, Clarice Salete
Data 2013
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Especialização em Educação Integral Integrada.
Assunto Corporeidade
Educação integral
Formação
Programa Mais Educação.
Resumo O presente artigo tem como objetivo analisar as percepções de corpo narradas por oficineiros que atuam nas escolas que desenvolvem o Programa Mais Educação no município de Guaíba/RS. Constitui-se de um estudo de caso de natureza qualitativa, que propõe a formação de oficineiros do Programa Mais Educação a partir da realização de oficina de práticas corporais e rodas de conversa acerca da relação entre o tema da corporeidade e da educação integral contemporânea. Os referenciais para responder a indagação proposta são a Educação Integral Contemporânea, Programa Mais Educação, Corporeidade, Práticas Corporais e Formação pela via corporal. A partir da análise da coleta de informações, organizou-se as unidades de significados aproximando por temáticas definidas em quatros categorias de análise: (1) Como percebem as práticas corporais: inquietações; (2) Relação do meu corpo e do corpo do outro na formação; (3) Relevância de uma formação pela via corporal; (4) Como observam o corpo na escola – diferença de atividades no currículo e no Programa Mais Educação. Essas análises evidenciaram que os oficineiros através da formação pela via corporal, tiveram um espaço para perceberem sua corporeidade enquanto totalidade e singularidade. Referiram que o tempo escolar não dá conta de perceber o aluno em suas múltiplas dimensões, reconhecendo que o Programa Mais Educação qualifica o processo de ensino-aprendizagem no momento em que oportuniza diferentes linguagens. Por fim, entende-se que a integralidade da educação passa necessariamente pelo reconhecimento da totalidade do corpo; corporeidade que precisa ser vivida, sentida, percebida.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/88094
Arquivos Descrição Formato
000910581.pdf (144.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.