Repositório Digital

A- A A+

“Né que quando a gente morre a gente não vira estrela?”: a temática da morte na literatura infantil

.

“Né que quando a gente morre a gente não vira estrela?”: a temática da morte na literatura infantil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título “Né que quando a gente morre a gente não vira estrela?”: a temática da morte na literatura infantil
Autor Melo, Jaciara Lara de
Orientador Marcello, Fabiana de Amorim
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Pedagogia: Licenciatura.
Assunto Literatura infantil
Morte
Resumo A presente pesquisa emerge a partir de inquietações pessoais acerca da temática da morte. Com ênfase na literatura infantil, o objetivo é analisar a produção literária para crianças,notadamente,materiais que abordam a morte. O referencial teórico da pesquisa está sustentado em discussões de três conceitos fundamentais: literatura infantil, criança e imagem – sobretudo, a partir de autores como Zilberman (1985), Paiva (2008), Corazza (1996) e Cunha (2004). Metodologicamente, foram selecionados dois livros da literatura infantil para comporem o corpus da pesquisa: O coração e a garrafa, de Oliver Jeffers (2012) e Lino,de André Neves (2011).O critério de escolha das obras assumiu materiais que visavam romper com estereótipos mais recorrentes na literatura infantil em relação ao tratamento do tema. Ou seja, o critério foi o de livros que apresentassem narrativas que escapassem de abordagens com ênfase em fórmulas convencionais (“virou estrelinha”) ou que tomavam a morte como exclusivo da velhice (PAIVA, 2008). A análise das obras aponta para a potencialidade de materiais que compõem as histórias por meio de certos elementos: primeiro, o uso metafórico-lírico do tema, operando com uma linguagem que conduz o leitor à imaginação, convidando-o a exercer outra relação texto-imagem – que não aquela da ordem do previsível; segundo, o (não) silenciamento da morte, pois estas obras não abordam a morte explicitamente, mas potencializam o uso metafórico do tema; terceiro, a ênfase num final não “consolador”, mas que, antes, abre-se em direção a outras conclusões por meio de uma tessitura texto-imagem que sugere conclusões para além do previsível e, assim, investe no lugar incerto instalado pela ausência.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/88138
Arquivos Descrição Formato
000911560.pdf (471.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.