Repositório Digital

A- A A+

Caracterização morfológica, citogenética e molecular de híbridos da tangerineira 'Montenegrina'

.

Caracterização morfológica, citogenética e molecular de híbridos da tangerineira 'Montenegrina'

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Caracterização morfológica, citogenética e molecular de híbridos da tangerineira 'Montenegrina'
Outro título Morphological, cytogenetic and molecular characterization of hybrids of the 'Montenegrina' mandarin
Autor Brugnara, Eduardo Cesar
Orientador Schwarz, Sergio Francisco
Data 2006
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Agronomia. Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia.
Assunto Fruta cítrica
Fruticultura
Tangerina montenegrina
Variabilidade genética
Resumo A baixa diversidade de cultivares de citros do Brasil é um risco para a sanidade dos pomares. A obtenção de novos cultivares através do melhoramento genético, além de aumentar a diversidade, permite atingir nichos de mercado ainda não ocupados. Na Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul vêm sendo realizadas hibridações controladas envolvendo cultivares cítricas, em especial tangerineiras. O objetivo deste trabalho foi gerar informações úteis à escolha de híbridos superiores. O estudo envolveu duas populações de híbridos que tiveram a tangerineira ‘Montenegrina’ (Citrus deliciosa Ten.) como parental feminino e a tangerineira ‘King’ (C. nobilis Lour.) e a laranjeira ‘Caipira’ [C. sinensis (L.) Osb.] como parental masculino. Identificou-se a paternidade dos híbridos e se estimou a similaridade genética através de marcadores SSR. Os híbridos foram submetidos também a avaliação da ploidia em células em meiose e da fertilidade do pólen, determinada por coloração dos grãos de pólen com carmim propiônico. Foram realizadas ainda avaliações da morfologia, baseadas em descritores morfológicos, inclusive do tamanho de frutos e número de sementes por fruto, e da época de maturação. Os marcadores moleculares permitiram a identificação de 12 clones nucelares de ‘Montenegrina’, 25 híbridos de ‘Montenegrina’ x ‘King’ e 12 de ‘Montenegrina’ x ‘Caipira’. Os filhos da ‘King’ D18, C32, D06, C05 e D09 e os da ‘Caipira’ D12 e C20 foram geneticamente mais similares a ‘Montenegrina’ que seus irmãos inteiros. Todos os híbridos avaliados são diplóides e a fertilidade de pólen variou de zero a 98%. Houve variação em quase todas as características morfológicas avaliadas. Os cruzamentos da ‘Montenegrina’ resultaram em melhorias no tamanho dos frutos e número de sementes na progênie e época de maturação distinta em relação a ela.
Abstract Low diversity in citrus cultivars in Brazil is a risk for orchard’s sanity. Obtaining new cultivars trough breeding, beyond increasing diversity, allows attaining free market niches. At the Faculdade de Agronomia of the Universidade Federal do Rio Grande do Sul, controlled hybridisations have been performed involving citrus cultivars, especially mandarins. This work’s objective was to generate useful information to choose superior hybrids. The study involved two hybrid populations that had ‘Montenegrina’ mandarin (Citrus deliciosa Ten.) as female parent and ‘King’ mandarin (C. nobilis Lour.) and ‘Caipira’ sweet orange [C. sinensis (L.) Osb.] as male parent. Hybrids’ fatherhood was identified and genetic similarity was estimated trough SSR markers. The hybrids were submitted to ploidy determination in cells at meiosis and to pollen fertility evaluation by staining pollen grains with propionic carmine. Morphological evaluations using morphological descriptors, including fruit size and seed number per fruit, and estimates of ripening period were as well performed. The molecular markers allowed identification of 12 nucellar clones of ‘Montenegrina’, 25 hybrids of ‘Montenegrina’ x ‘King’ and 12 hybrids of ‘Montenegrina’ x ‘Caipira’. The ‘King’’s progenies D18, C32, D06, C05 and D09 and ‘Caipira’’s progenies D12 and C20 were genetically more similar to ‘Montenegrina’ than all their full sibs. All the evaluated hybrids are diploids and pollen fertility varied from zero to 98 %. There was variation in almost all the evaluated morphological traits. The crosses of ‘Montenegrina’ resulted in improvement of progeny’s fruit size and seed number and in different ripening period comparing to female parent.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/8856
Arquivos Descrição Formato
000589876.pdf (584.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.