Repositório Digital

A- A A+

(Des) naturalizando os "nossos naturaes" : poder político e escravização no Kongo, á época de Afonso I Mwemba Nzinga

.

(Des) naturalizando os "nossos naturaes" : poder político e escravização no Kongo, á época de Afonso I Mwemba Nzinga

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título (Des) naturalizando os "nossos naturaes" : poder político e escravização no Kongo, á época de Afonso I Mwemba Nzinga
Autor Oliveira, Robinson Gonçalves
Orientador Macedo, José Rivair
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Curso de História: Licenciatura.
Assunto África negra
Comércio internacional
Congo
Escravos
Historia da Africa
[en] Afonso I
[en] African perspective
[en] Atlantic slave trade
[en] Century XVI
[en] Enslavement
[en] Kongo
[en] Pre-colonial Africa
Resumo Este trabalho analisa, partindo de uma perspectiva internalista da história da África, o impacto que o processo de centralização política no Kongo exerceu sobre o comércio atlântico de escravizados, no período em que Afonso I esteve no poder de Mbanza Kongo (1509 – 1543). O estudo aponta para a existência de uma profunda contradição na estrutura de poder dos bakongo: de um lado, a existência de um modelo que preservava as antigas formas de organização sociopolítica, caracterizadas pela fragmentação do poder, e de outro, a emergência de um modelo estatal que procurava consolidar a unidade política no Kongo. Essa contradição foi responsável por gerar intensos conflitos que se manifestaram nas diversas instituições bakongo, desde a política até a escravidão. Assim, a atitude de D. Afonso impedir que os “naturaes do reyno” fossem encaminhados aos navios do atlântico como escravizados deve ser compreendida dentro do campo das disputas políticas do Kongo.
Abstract From the African perspective, this paper examines the impact that the process of political centralization in Kongo exercised over the Atlantic slave trade, during the period in which Afonso I controlled the power of Mbanza Kongo. The study points to the existence of a profound contradiction in the power structure of the Bakongo: on one side there was a model that preserved the ancient forms of sociopolitical organization, characterized by fragmentation, and the other side there was the emergence of a state model which sought consolidates political unity in Kongo. That contradiction was responsible for generating intense conflicts that were manifested in the Bakongo institutions: from politics to slavery. Thus, the attitude of D. Afonso protect those born in Kongo being shipped by atlantic ships as enslaved should be understood as an extension of political disputes Kongo.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/90190
Arquivos Descrição Formato
000911323.pdf (766.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.