Repositório Digital

A- A A+

A caracterização inicial do bem supremo e a acusação de falácia em Ethica Nicomachea I

.

A caracterização inicial do bem supremo e a acusação de falácia em Ethica Nicomachea I

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A caracterização inicial do bem supremo e a acusação de falácia em Ethica Nicomachea I
Autor Ferreira, Leandro Borges
Orientador Spinelli, Priscilla Tesch
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Curso de Filosofia: Bacharelado.
Assunto Aristóteles 384-322 A.C.
Bem supremo
Ética
[en] Aristotle
[en] Ethics
[en] Fallacy
[en] Supreme good
[en] Ultimate end
Resumo Aristóteles pensava que havia algo que seria o maior bem que o ser humano poderia alcançar. Na tentativa de demonstrar o que ele acreditava que esta coisa era, ele propôs um argumento que se funda na noção de fim. Deste modo, o bem supremo seria uma espécie de fim. Em EN I.1 ele discute a relação entre fins e meios e firma que aquilo que é buscado é melhor que aquilo que é utilizado como meio para se obter o que se busca. Em EN I.2 ele argumenta de forma a demonstrar que o melhor dentre todos os fins será aquele buscado apenas por si mesmo e que nunca é tomado como um meio para se alcançar outra coisa. Ele também afirma que o bem supremo, o que quer que ele seja, terá que ser algo que possua tais propriedades. Mas alguns estudiosos afirmaram que seu argumento contém um grave erro lógico. O suposto erro foi primeiramente apontado por Geach e, à partir daí muitos outros estudiosos têm procurado interpretações alternativas da passagem em EN I.2, alguns defendendo Aristóteles, outros confirmando a acusação. O principal objetivo deste trabalho será mostrar que tal acusação se funda em uma interpretação que supõe que Aristóteles esteja ocupado em demonstrar a existência do bem supremo. Será defendida uma interpretação de acordo com a qual o objetivo dele era tão somente estabelecer algumas das características que algo precisaria ter para ser considerado o bem supremo e que, deste modo, a acusação de falácia é um equívoco.
Abstract Aristotle thought that there was something that would be the greatest good that human being could achieve. In an attempt to demonstrate what this thing was, he proposed an argument founded on the notion of end. Thus, the supreme good would be a kind of end. In EN I.1 he discusses the relationship between ends and means and states that that which is sought is better than that which is used as a means to obtain what is sought. In EN I.2 he argues in order to demonstrate that the best of all ends will be that which is sought only for itself and never as a means to something else. He also states that the supreme good, whatever it is, must be something that possesses such properties. Nevertheless, some scholars have said that his argument contains a serious logic error. Geach was who at first pointed out the supposed error, and then many other thinkers have sought for alternative interpretations of the passage in EN I.2, some of them defend Aristotle while others confirm the accusation. The main objective of this work is to show that such an accusation is founded on an interpretation that assumes that Aristotle is engaged in demonstrating the existence of the supreme good. It will be defended an interpretation according to which his goal was just to establish some of the characteristics that something must have to be considered the supreme good and that in this way the charge of fallacy is nothing but a misconception.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/90197
Arquivos Descrição Formato
000914271.pdf (620.1Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.