Repositório Digital

A- A A+

Educação necessária para ir além movimento dos trabalhadores desempregados do Rio Grande do Sul

.

Educação necessária para ir além movimento dos trabalhadores desempregados do Rio Grande do Sul

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Educação necessária para ir além movimento dos trabalhadores desempregados do Rio Grande do Sul
Autor Machado, Rita de Cássia Fraga
Orientador Ribeiro, Jorge Alberto Rosa
Co-orientador Paludo, Conceição
Data 2013
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
Assunto Desemprego
Movimento social
Trabalhador
[en] Class education
[en] Movement of unemployed workers
[en] Necessary labor
[en] Social movement
Resumo Educar neste trabalho assume uma característica revolucionária. Educar está ligado à emancipação humana e à superação do capital. O educar necessário é para o não trabalho explorado, uma inserção subordinada ao capital na forma de emprego alienado. O educar nesta tese é para o trabalho que liberta e se apresenta como valor de uso capaz de criativamente libertar-se do valor de troca, do mercantil simples, ou seja, do trabalho como valor de troca. O trabalho e a educação para a reprodução da vida das desempregadas a que se refere este trabalho se apresentam como enfrentamentos às formas alienantes e subordinadas do capital e, ao mesmo tempo, como projetos de superação do mesmo. Fundamentamo-nos, principalmente, nos estudos de Marx, Oliveira, Gramsci, Engels, Iasi, Manacorda, Freire e Saviani. O trabalho é fundante do ser social e no conjunto de atividades intelectuais e manuais organizadas pela espécie. Para Marx (2010), os homens, para existirem, devem ser capazes de se reproduzir enquanto seres humanos. Uma forma específica desta reprodução é dada por uma peculiar relação dos seres humanos com a natureza através do trabalho. A categoria do trabalho emerge, desta forma, como categoria central do ser social. O conceito de educação esta baseado na definição da formação humana. A questão, portanto, que necessita ser examinada neste trabalho é em que consiste a formação humana de mulheres historicamente desempregadas e socialmente sobrantes nos meios de produção. Estamos aí diante de uma questão filosófica e de educação por excelência, ligada ao problema da possibilidade, do sentido, do valor e dos limites do trabalho. A metodologia da pesquisa-ação, cuja referência principal foi Fals Borda (2007, p. 103), permitiu que refletíssemos sobre “la justicia de las mayorías hoy ausentes, explotadas, ignoradas y sin voz lo cual llevaría a trabajos bastantes originales y, ante todo, útiles para la sociedad”. O método dialético permitiu reconstituir o movimento dos múltiplos determinantes que sintetizaram a possibilidade de alterações qualitativas em parte do contingente em questão. Concluímos basicamente que: a) a metodologia adotada nos possibilitou reflexões em torno da problemática mais próximas da realidade; b) as mulheres do MTD são sujeitos sociais mesmo que na condição de sobrantes, porque lutam e se organizam num Movimento Social por trabalho, educação e moradia; c) a educação necessária a estas mulheres precisa ir além, sendo necessário articular este processo à luta maior dos trabalhadores pela superação do capital. Defendemos, portanto, a tese de que a educação necessária é fundamentada no trabalho necessário socialmente útil, e não trabalho alienado, como valor de troca numa inserção subordinada ao capital. O educar, nesta tese, é para e no trabalho que liberta e se apresenta como valor de uso, capaz de criativamente construir processos de trabalho. Por fim, e não menos importante, esta tese pretende criar alternativas populares de transformação das estruturas sociais que tornam tal ‘vida’ exigente de ser sempre ‘melhorada’. Este fundamento teórico e político nem sempre se realizava na prática e transformava em ação social.
Abstract In this dissertation labor/work takes on a revolutionary characteristic, as it is connected to human emancipation and the overcoming of capital. The education that is necessary is education for non-exploited labor, labor that is not subordinated to capital in the form of alienated employment. In this dissertation education is for a labor that liberates and presents itself as use value capable of creatively freeing itself from labor as exchange value. The work and the education for the reproduction of life of the unemployed women to whom this dissertation refers are opposed to the alienating and subordinated forms of capital and are projects designed to overcome it. The dissertation is based mainly on studies by Marc, Oliveira, Gramsci, Engels, Iasi, Manacorda, Freire and Saviani. Labor is foundational for social beings in the ensemble of intellectual and manual activities organized by the human species. For Marx (2010), human beings, in order to exist, must be able to reproduce. A specific form of reproduction takes place through their peculiar relationship with nature through labor/work. Thus, labor emerges as a central category of social beings. The concept of education is based on the definition of the process of becoming fully human. Thus, the issue discussed by this dissertation is what this process means for women who are historically unemployed and socially excluded from the means of production. Thus, it faces a philosophical and educational question par excellence that is connected to the problem of possibility, meaning, value and the limits of work. The methodology of action research, whose main reference is Fals Borda (2007, p. 103), enables the author to reflect on “justice for the majorities who today are absent, exploited, ignored and voiceless, which would lead to works that are very original and mainly useful to society”. The dialectical method helped reconstruct the movement of the multiple determinants related to the possibility of qualitative changes in part of the women concerned. She basically concludes that (a) the methodology adopted facilitated reflections on the topic that were closer to reality; (b) the women of the Movement of Unemployed Workers are social subjects even if they are “left out”, since they struggle and organize in a social movement that pursues work, education and housing; (c) the education that is necessary for these women must “go beyond” in the sense of being articulated with wider struggle of workers for the overcoming of capital. Thus, she advances the thesis that the necessary education is based on the socially useful necessary work, rather than on alienated work, i.e. work as exchange value in subordination to capital. This means education for and in work that liberates and presents itself as use value capable of creatively constructing work processes. Last but not least, this dissertation intends to contribute to the creation of popular alternatives for the transformation of social structures that make such ‘life’ demand constant ‘improvement’. This theoretical and political foundation was not always realized in practice did not always become social action.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/94709
Arquivos Descrição Formato
000914889.pdf (3.026Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.