Repositório Digital

A- A A+

Efeito de hypericum caprifoliatum cham. & schltdl. (guttiferae) no modelo preditivo de depressão estresse crônico moderado e imprevisível, associado à natação forçada

.

Efeito de hypericum caprifoliatum cham. & schltdl. (guttiferae) no modelo preditivo de depressão estresse crônico moderado e imprevisível, associado à natação forçada

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeito de hypericum caprifoliatum cham. & schltdl. (guttiferae) no modelo preditivo de depressão estresse crônico moderado e imprevisível, associado à natação forçada
Autor Silva, Mariana de Andrade Pranke da
Orientador Rates, Stela Maris Kuze
Co-orientador Dalmaz, Carla
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Farmácia. Curso de Farmácia.
Assunto Atividade antidepressiva
Guttiferae
Hypericum caprifoliatum
Teste de nado forçado
Resumo O gênero Hypericum tem sido amplamente estudado e o nosso grupo tem demonstrado que espécies nativas do sul do Brasil têm apresentado atividade do tipo antidepressiva e antinociceptiva em roedores. Hypericum caprifoliatum mostrou resultados promissores no teste do nado forçado (NF). O estresse crônico tem sido proposto como um modelo de depressão em animais, induzindo um aumento no tempo de imobilidade no NF. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do tipo antidepressivo de um extrato n-hexânico purificado de Hypericum caprifoliatum (HCP) em ratos submetidos ao Estresse Crônico Moderado e Imprevisível (ECMI) seguido pelo nado forçado. A extração do material vegetal seco e triturado foi realizada com n-hexano por maceração durante 24 ou 48 horas, seguida de filtração e evaporação do solvente sob pressão reduzida à 45°C. Ratos Wistar, machos (280 g) foram submetidos ao estresse por 40 dias. Estressores foram aplicados em momentos diferentes do dia, sem seguir uma determinada sequência, tornando o teste imprevisível. Apenas um estressor foi usado cada dia. No 41º dia, 24h após a última sessão de estresse crônico, os animais foram expostos ao nado forçado durante 15 minutos (pré-teste). Imediatamente, o tratamento foi iniciado (180 mg/kg/dia durante 5 dias: 2 doses diárias de 90 mg/kg, pela via oral). No dia 46, os animais foram expostos ao NF durante 5 minutos (teste). O tempo de imobilidade foi registrado no pré-teste e teste. A atividade da enzima Na+,K+- ATPase foi medida em córtex e hipocampo. Os protocolos foram aprovados pela CEUA – UFRGS (projeto número 22091). O grupo Estresse (453,7+189,0, n=15) apresentou maior tempo de imobilidade no pré-teste comparado com o grupo controle (275,5+142,64, n=18) (p <0,01, Teste-t) demonstrando que foi induzido um comportamento do tipo depressivo. HCP reduziu a imobilidade apenas do grupo estresse (98,7+20,6, n=8) em comparação com animais tratados com veículo (184,1+65,2, n=7) (p <0,01, ANOVA de duas vias RM). Houve uma redução da atividade da Na+,K+- ATPase hipocampal dos animais que sofreram estresse e o tratamento com o extrato não foi capaz de reverter a situação. Podemos presumir que o efeito do HCP é mais pronunciado no contexto de um modelo de depressão onde a doença já está instalada. H. caprifoliatum apresenta efeito do tipo antidepressivo em um modelo que é suposto ter mais validade de construto do que o teste de natação forçada. Isso reforça a noção que H. caprifoliatum pode ser útil para desenvolver novos fármacos antidepressivos.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/96027
Arquivos Descrição Formato
000898082.pdf (675.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.