Repositório Digital

A- A A+

Evolução dos métodos quantitativos aplicados à plantas medicinais presentes nas cinco edições da farmacopeia brasileira

.

Evolução dos métodos quantitativos aplicados à plantas medicinais presentes nas cinco edições da farmacopeia brasileira

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Evolução dos métodos quantitativos aplicados à plantas medicinais presentes nas cinco edições da farmacopeia brasileira
Autor Mallmann, Litieri
Orientador Steppe, Martin
Co-orientador Nemitz, Marina Cardoso
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Farmácia. Curso de Farmácia.
Assunto Farmácia
Resumo As plantas medicinais constituem matéria-prima vegetal (MPV) para a produção de medicamentos fitoterápicos por indústrias farmacêuticas, as quais devem possuir um setor de controle de qualidade para garantir que os medicamentos cheguem ao consumidor com segurança, qualidade e eficácia. Este setor é responsável pela análise das MPV, que somente poderão ser utilizadas para fabricação de um produto se estiverem de acordo com especificações definidas pelos compêndios oficiais, como a Farmacopeia Brasileira (FB), que atualmente está em sua quinta edição. Existem diversas análises físico-químicas e microbiológicas para garantir a qualidade de uma MPV, porém um dos parâmetros mais importantes a ser determinado é a quantificação dos marcadores químicos das plantas. Para a finalidade de doseamento de substâncias, muitas técnicas analíticas podem ser utilizadas, e a escolha se baseia em qual método irá contemplar requisitos básicos de sensibilidade e especificidade, além de possibilitarem agilidade e simplicidade na sua execução. O objetivo deste trabalho foi observar o avanço tecnológico para doseamento de marcadores químicos de plantas medicinais ao longo das cinco edições da FB, bem como realizar um levantamento das monografias de plantas em sua última edição, relatando nome popular, nome científico, marcador químico e técnica analítica para doseamento, buscando também informações dos métodos quantitativos destas espécies nas demais edições. Os resultados mostraram que houve um aumento no valor percentual de análises quantitativas para as plantas medicinais na FB, pois da primeira até a quinta e atual edição a quantidade passou de 16,19% para 91,66%, respectivamente. Observou-se que técnicas menos precisas como volumetria, gravimetria e método semi-quantitativo tinham grande prevalência nas três primeiras edições, e técnicas mais específicas como espectrofotometria e cromatografia aumentaram seus percentuais nas duas últimas. A determinação de óleo volátil por rendimento de extração sempre esteve presente em todas as edições. No levantamento realizado para as plantas presentes na FB quinta edição, constatou-se que algumas possuem o mesmo método quantitativo entre diferentes edições, e outras apresentaram uma evolução quando em comparação à edições anteriores, e menos de 10% das monografias não apresentaram técnica de doseamento. Podese concluir que, de forma geral, houve avanço analítico para técnicas de doseamento de marcadores químicos de plantas medicinais, mostrando uma crescente preocupação da comissão da FB com as análises destas matérias-primas.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/96060
Arquivos Descrição Formato
000898676.pdf (327.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.