Repositório Digital

A- A A+

Caracterização de produtos finais de glicação avançada (ages) em modelo animal de infarto agudo do miocárdio

.

Caracterização de produtos finais de glicação avançada (ages) em modelo animal de infarto agudo do miocárdio

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Caracterização de produtos finais de glicação avançada (ages) em modelo animal de infarto agudo do miocárdio
Autor Fracasso, Bianca de Moraes
Orientador Souza, Gabriela Corrêa
Co-orientador Andrades, Michael Everton
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Farmácia. Curso de Farmácia.
Assunto Infarto do miocárdio
Modelos animais de doenças
Produtos finais de glicosilação
Resumo Produtos finais de glicação avançada (AGEs) são continuamente gerados pelo organismo e sua produção pode ser estimulada em algumas enfermidades tendo impacto no processo inflamatório. A formação dos AGEs esta aumentada na insuficiência cardíaca e no infarto agudo do miocárdio (IAM) mas ainda faltam estudos de caracterização em modelos animais representativos dessas condições A partir disso, o objetivo deste trabalho é caracterizar a formação de AGEs em ratos submetidos ao IAM e acompanhados por 28 dias. Ratos Wistar machos foram randomizados para receber cirurgia sham (n=8) ou de indução de IAM (n=9). Coletou-se sangue nas primeiras 12 e 48 horas e 7, 14 e 28 dias após a cirurgia. Análises foram realizadas pelas técnicas de formação de browning, fluorescência e imunodetecção por dot blot. Os resultados encontrados não mostraram diferença significativa nos níveis de AGEs entre o grupo sham e o grupo IAM quando comparados dentro de cada tempo. Entretanto, o grupo IAM apresentou aumento progressivo na flourescência plasmática ao longo do tempo, diferente do grupo sham que apresentou retorno ao nível de AGEs no baseline (P < 0,05). Usando imudodetecção, encontramos aumento de AGEs no grupo IAM tanto 12 horas (99,6 ± 4,1 vs. 126,9 ± 9,2, sham e IAM, respectivamente; P < 0,05) quanto 48 horas (92,7 ± 5,0 vs. 135,5 ± 10,1, sham e IAM, respectivamente; P < 0,01). Os nossos resultados sugerem que o modelo da indução de IAM por ligadura da artéria coronária descendente anterior promove um aumento transitório precocemente de AGEs que não é sustentado ao final dos 28 dias de seguimento.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/96068
Arquivos Descrição Formato
000914734.pdf (925.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.