Repositório Digital

A- A A+

Reforço de pilares por encamisamento de concreto armado : eficiência de métodos de cálculo de capacidade resistente comparativamente a resultados experimentais

.

Reforço de pilares por encamisamento de concreto armado : eficiência de métodos de cálculo de capacidade resistente comparativamente a resultados experimentais

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Reforço de pilares por encamisamento de concreto armado : eficiência de métodos de cálculo de capacidade resistente comparativamente a resultados experimentais
Autor Araldi, Evandro
Orientador Rios, Roberto Domingo
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia Civil.
Assunto Engenharia civil
Resumo Este trabalho trata da eficiência de métodos de cálculo da capacidade resistente de pilares reforçados por encamisamento de concreto armado, quando comparados a resultados experimentais disponíveis na literatura. Durante a revisão bibliográfica, verificou-se que diversos autores analisam o cálculo da capacidade resistente de pilares reforçados utilizando hipóteses diversas, como a de que toda a seção do pilar (camisa de reforço e pilar original) contribui na resistência total ou de que somente uma parte da seção contribui. As diversas obras consultadas, que têm como tema a análise experimental ou teórica de técnicas de reforço em pilares, sugerem relativa importância ao estudo do confinamento. Em pilares reforçados com compósitos de carbono, por exemplo, o confinamento é o mecanismo responsável pelo aumento da resistência. Com o foco no reforço com concreto armado, foram sugeridos métodos de cálculo específicos para duas configurações de encamisamento: retangular/quadrado e por cintamento. Os métodos de cálculo de cada configuração são bem semelhantes, sendo que diferem apenas no modelo de confinamento adotado. Para cada tipo de encamisamento, foram consideradas seis fórmulas para o cálculo da capacidade resistente que, em linhas gerais, diferem apenas na questão da consideração ou não do cobrimento do reforço e da consideração ou não do fenômeno do confinamento do concreto, tanto pela armadura transversal do pilar original, quanto pela armadura transversal do concreto do reforço. Na análise dos resultados, mediu-se a eficiência de cada método através da diferença percentual da capacidade experimental com a teórica. Verificou-se que os três métodos de cálculo que utilizam a resistência do concreto do cobrimento são inseguros e pouco eficientes, pois superestimam a capacidade total. Os métodos que consideram o confinamento do concreto de reforço apresentaram resultados relativamente discrepantes dos experimentais, dependendo da configuração do modelo reforçado. Quanto àqueles que não consideram a área do cobrimento do concreto de reforço (os mais eficientes) não houve muita diferença entre a consideração ou não do confinamento do núcleo do pilar original. Tal observação foi evidenciada principalmente para os concretos de alta resistência, pois estes geram pressões de confinamento relativamente baixas. As capacidades teóricas foram obtidas com o auxílio de uma planilha eletrônica, que se encontra disponível para a realização de outros cálculos que possam vir a ser necessários futuramente.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/96237
Arquivos Descrição Formato
000914744.pdf (2.050Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.