Repositório Digital

A- A A+

Avaliação da diferença arterio-venosa central de dióxido de carbono (ΔpCO2) como índice prognóstico em pacientes com instabilidade hemodinâmica

.

Avaliação da diferença arterio-venosa central de dióxido de carbono (ΔpCO2) como índice prognóstico em pacientes com instabilidade hemodinâmica

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação da diferença arterio-venosa central de dióxido de carbono (ΔpCO2) como índice prognóstico em pacientes com instabilidade hemodinâmica
Autor Araujo, David Theophilo
Orientador Friedman, Gilberto
Data 2012
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Pneumológicas.
Assunto Choque
Circulação sanguínea
Débito cardíaco
Dioxido de carbono
Hemodinâmica
[en] Cardiac output
[en] Central venous-arterial carbon dioxide gradient
[en] Hemodynamic instability
Resumo INTRODUÇÃO: Instabilidade hemodinâmica é uma condição comum nos pacientes críticos e usualmente associada aos quadros de choque. O débito cardíaco (DC) é o principal determinante da oferta de oxigênio, e uma importante variável a ser monitorizada nestes pacientes. A diferença arterio-venosa central de dióxido de carbono (△pCO2), é um índice que mostrou-se correlacionar inversamente com o DC em diversos estudos. OBJETIVOS: O objetivo deste estudo é avaliar o valor prognóstico do △pCO2 (utilizando uma amostra venosa central) em uma série heterogênea de pacientes com instabilidade hemodinâmica. MÉTODOS: Estudo prospectivo observacional conduzido em uma UTI geral de 18 leitos do Complexo Hospitalar da Santa Casa de Porto Alegre. Variáveis hemodinâmicos, coleta de gasometria arterial e venosa central, e lactato, foram realizadas na admissão e após 6, 12, 18 e 24 horas. A gravidade da doença foi avaliada pelo escore APACHE II e a a severidade da disfunção orgânica pelo escore SOFA. RESULTADOS: 60 pacientes foram analisados. A mortalidade ao fim de 28 dias foi de 43% (26/60). Não se observou diferença entre os valores médios de △pCO2 entre sobreviventes e óbitos em 28 dias. O tempo de permanência na UTI foi maior entre os pacientes com um △pCO2 “alargado”. Os valores médios de saturação venosa central de oxigênio (SvcO2) foram maiores no subgrupo de pacientes com △pCO2 normal. CONCLUSÃO: Este estudo mostrou que o △pCO2, em pacientes com instabilidade hemodinâmica, está relacionado com desfecho secundários importantes como uma maior permanência em UTI. A explicação fisiológica para isso deve-se a uma maior redução no fluxo sanguíneo (como sugerido por uma SvcO2 mais baixa) causando uma oferta inadequada de oxigênio na fase aguda da doença, resultando em maior tempo de recuperação.
Abstract BACKGROUND: Hemodynamic instability is a common condition in critically ill patients and is usually associated with shock. Cardiac output (CO) is the major determinant of oxygen supply and an important variable to be monitored in these patients. The venousarterial difference of partial pressure of carbon dioxide (△pCO2) ,is an index that have shown to be inversely correlate with the CO in several studies. OBJECTIVES: This study aims to evaluate the prognostic value of the △pCO2 (using a central venous sample) in a heterogeneous series of critically ill patients with hemodynamic instability. METHODS: A prospective observational clinical study was conducted in a 18-bed general ICU of the Santa Casa de Porto Alegre Hospital Complex. Hemodynamic measurements, collection of arterial and central venous blood gases, and lactate were performed on admission and after 6 , 12, 18 and 24 hours.The severity of patient’s disease was evaluated by the APACHE II score and the level of organic disfunction was evaluated by the SOFA score. RESULTS: A total of 60 patients were analyzed. The mortality rate at 28 days was 43% (26/60). There was no difference observed in mean △pCO2 between deaths and survivors after 28 days.The ICU stay was longer among patients with “enlarged” △pCO2.Mean central venous oxygen saturation values were higher in patients with normal △pCO2. CONCLUSION: This study showed that the △pCO2 in patients with hemodynamic instability is correlated with important secondary outcomes like higher ICU stay. The physiologic explanation is a reduction on blood flow (as suggested by lower ScvO2) causing a inadequate oxygen tissue delivery in the acute phase of the disease, resulting in a greater recovery time.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/96654
Arquivos Descrição Formato
000919552.pdf (622.1Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.