Repositório Digital

A- A A+

Entre o maior e o menor : sentidos políticos dos valores da Revolução Francesa na Trilogia das Cores, de Krzysztof Kieślowski

.

Entre o maior e o menor : sentidos políticos dos valores da Revolução Francesa na Trilogia das Cores, de Krzysztof Kieślowski

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Entre o maior e o menor : sentidos políticos dos valores da Revolução Francesa na Trilogia das Cores, de Krzysztof Kieślowski
Outro título Between major and minor : political meanings of the French Revolution’s values in Krzysztof Kieślowski’s Three Colors trilogy
Autor Cunha, João Fabricio Flores da
Silva, Alexandre Rocha da
Resumo Este artigo tem como objeto de estudo a Trilogia das Cores, do diretor polonês Krzysztof Kieślowski (1941-1996), composta por Azul (1993), Branco (1994) e Vermelho (1994). Realiza-se uma argumentação de caráter teórico sobre o posicionamento no campo político dos princípios da Revolução Francesa na Trilogia. O objetivo é compreender como os valores revolucionários são micropoliticamente trabalhados em cada um dos filmes que a compõe. Sustentado por uma ideia de "cinema menor", este artigo desconstrói as associações sugeridas pela tradução brasileira do título dos filmes ao evidenciar como, paradoxalmente, valores como liberdade, igualdade e fraternidade são experienciados transversalmente no cotidiano dos personagens, e contradiz seu diretor ao reconhecer a indissociabilidade das estratégias molares e moleculares que fazem desta trilogia uma expressão do cinema político do fim do século XX.
Abstract This paper’s object of study is the Three Colors trilogy, by the Polish director Krzysztof Kieślowski (1941-1996), composed by Blue (1993), White (1994) and Red (1994). We discuss theoretically the positioning of the French Revolution’s values in the political field in the trilogy. The objective is to comprehend how the revolutionary values are micropolitically worked in each one of the movies that compose it. Based in an idea of a “minor cinema”, this article deconstructs the connections suggested by the Brazilian translation of the movie’s titles by showing how, paradoxically, values such as liberty, equality and brotherhood are experienced transversally in the characters’ quotidian, and contradicts its director by recognizing the inseparability of the molar and molecular strategies which make this trilogy one expression of the political cinema of the end of the 20th century.
Contido em Em Questão : revista da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS. Vol. 20, n.1 (jan./jun. 2014), p. 247-268
Assunto Crítica cinematográfica
[en] Communication
[en] Film
[en] Kieślowski
[en] Micropolitics
[en] Three colours
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/97202
Arquivos Descrição Formato
000920355.pdf (351.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.