Repositório Digital

A- A A+

Reprodutibilidade de medidas ecocardiográficas da massa ventricular esquerda no Estudo Longitudinal da Saúde do Adulto, ELSA Brasil

.

Reprodutibilidade de medidas ecocardiográficas da massa ventricular esquerda no Estudo Longitudinal da Saúde do Adulto, ELSA Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Reprodutibilidade de medidas ecocardiográficas da massa ventricular esquerda no Estudo Longitudinal da Saúde do Adulto, ELSA Brasil
Autor Tognon, Alexandre Pereira
Orientador Duncan, Bruce Bartholow
Data 2011
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto Ecocardiografia
Estudos longitudinais
Medidas em epidemiologia
Reprodutibilidade dos testes
Resumo Introdução: A hipertrofia ventricular esquerda é importante preditor de eventos cardiovasculares. A ecocardiografia é o procedimento não-invasivo de menor custo para realização das medidas necessárias para a estimativa da massa ventricular esquerda (MVE). Objetivo: Avaliar a reprodutibilidade da MVE avaliada localmente (em centros de aquisição – online) com aquela obtida em Centro de Leitura (offline) e, também, entre medidas realizadas por diferentes avaliadores no Centro de Leitura, no Estudo Longitudinal da Saúde do Adulto. Método: Exames contendo 3 ciclos cardíacos, realizados em 124 indivíduos, nos 6 centros de aquisição, foram transmitidos ao Centro de Leitura (CL) via sistema DICOM. Medidas foram realizadas no modo bidimensional localmente e no CL. Uma amostra desses exames (n=68) foi também lida por um segundo leitor no CL. Resultados: Dos 124 exames, 5 foram considerados não mensuráveis (4%). Dos 119 restantes, 72 (61%) eram mulheres, a idade média de 50,2 ± 7,0 anos, sendo apenas 2 com diagnóstico de miocardiopatia. As imagens foram consideradas ótimas/boas pelos centros de aquisição em 115 (96,6%) dos exames e pelo CL em 110 (92,4%). Não foram observadas diferenças significativas entre as médias da MVE obtidas online e offline (1,29g, IC 95% -3,60 – 6,19), sendo o coeficiente de correlação intraclasse (CCI) de 0,79 (IC 95% 0,72 – 0,85). Em relação à reprodutibilidade de medidas realizadas no CL por diferentes avaliadores, a diferença média da MVE foi de -10,50g (IC 95% -16,40 – -4,60) e o CCI foi de 0,86 (IC 95% 0,78 – 0,91). Conclusão: Não havendo diferença significativa entre as avaliações online e offline da MVE, e sendo o coeficiente de correlação intraclasse bastante bom e próximo ao observado na avaliação da variabilidade interobservador estimado no CL, é possível considerar como confiáveis as leituras offline.
Abstract Background: left ventricular hypertrophy is an important predictor of cardiovascular events. Echocardiography is the least expensive non-invasive procedure that allows for left ventricular mass (LVM) assessment. Objectives: to evaluate LVM reproducibility assessed locally (acquisition centers – online) compared to that assessed at a reading center (offline) and also between evaluations performed by different readers at the reading center, among participants on the Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto. Method: an image loop corresponding to three cardiac cycles, performed on 124 subjects, at the six acquisition centers were recorded in the DICOM format and transmitted to the reading center. Measurements were performed over bidimensional mode images locally and at the reading center. A subsample (n=68) was also measured by a second reader at the reading center. Results: Among 124 echocardiograms, 5 (4%) were considered not measurable. Among the 119 remaining, 72 (61%) were women, mean age was 50.2 ± 7.0 years and 2 were diagnosed with myocardiopathy. Images were considered to be optimal/good quality by the acquisition center on 115 (96.6%) and by the reading center on 110 (92.4%). There was no significant difference between online and offline measurements (1.29g, CI 95% -3.60 – 6.19) and intraclass correlation coefficient (ICC) between them was 0.79 (CI 95% 0.72 – 0.85). Regarding images read by two readers at the reading center, mean LVM difference was -10.50g (CI 95% -16.40 – -4.60) and the ICC was 0.86 (CI 95% 0.78 – 0.91). Conclusion: Since there was no significant difference between online and offline LVM measurements and the ICC between them were close to that observed between different measurements performed at the reading center, offline measurements were considered reliable.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/97258
Arquivos Descrição Formato
000920056.pdf (1.136Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.