Repositório Digital

A- A A+

Evolução e crítica do modelo de utilidade descontada

.

Evolução e crítica do modelo de utilidade descontada

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Evolução e crítica do modelo de utilidade descontada
Autor Sandes, Ariel Diniz
Orientador Araujo, Jorge Paulo de
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Curso de Ciências Econômicas.
Assunto Economia
[en] Discounted utility
[en] Growth models
[en] History of economic thought
[en] Hyperbolic discounting
[en] Time discounting
Resumo A racionalidade dos agentes econômicos é uma suposição fundamental dos modelos de alocação intertemporal. Apesar de sua formulação ter se tornado canônica, o próprio Samuelson não estava confiante nela. Neste trabalho traçamos o desenvolvimento do Modelo de Utilidade Descontada até sua axiomatização, observando que frequentemente a técnica matemática se impôs ao pensamento propriamente econômico. A partir da flexibilização dos postulados de estacionariedade e independência temporal, indicamos linhas de pesquisa que surgem questionando a formulação canônica, atentando para a emergência do Desconto Hiperbólico, mas pesando também a crítica feita a tal por Rubinstein. Por último, a partir do arcabouço de modelos de crescimento ótimo, mostramos que o desconto intertemporal implica uma escolha ética muitas vezes deixada de lado em favor de soluções matemáticas.
Abstract Rationality of economic agents is a fundamental postulate in intertemporal allocation models. Despite his formulation having become canonical, Samuelson himself was not confident of it. The present monograph presents the development of the Discount Utility Model until its axiomatization, noting that mathematical technique frequently trumped economic thought proper. By relaxing postulates of stationarity and time independence, we indicate that lines of research emerge which challenge the canonical formulation, taking specific notice of Hyperbolic Discounting, but also weighing its critique by Rubinstein. Lastly, within the framework of optimal growth models, we show that time discounting implies an ethical choice often overlooked in favour of mathematical solutions.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/97643
Arquivos Descrição Formato
000915187.pdf (850.1Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.