Repositório Digital

A- A A+

Efeito da manipulação de aminoácidos na dieta de gestação e da inclusão de arginina na dieta de lactação sobre o desempenho de matrizes suínas e leitões

.

Efeito da manipulação de aminoácidos na dieta de gestação e da inclusão de arginina na dieta de lactação sobre o desempenho de matrizes suínas e leitões

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeito da manipulação de aminoácidos na dieta de gestação e da inclusão de arginina na dieta de lactação sobre o desempenho de matrizes suínas e leitões
Autor Dallanora, Djane
Orientador Bortolozzo, Fernando Pandolfo
Co-orientador Bernardi, Mari Lourdes
Wentz, Ivo
Data 2014
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Veterinária. Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias.
Assunto Aminoácidos
Arginina
Fisiopatologia
Gestação animal : Suínos
Lactacao : Dietas
Reprodução animal : Suínos
[en] Amino acids
[en] Arginine
[en] Gestation
[en] Lactation
[en] Piglet birth weight
[en] Swine
Resumo O objetivo central dos dois estudos que compõem essa tese foi estudar a manipulação de aminoácidos em linhagens hiperprolíficas, nas quais o desafio do crescimento e produção de leite é ainda maior. No primeiro trabalho, foram utilizadas leitoas Landrace x Large White gestantes distribuídas em quatro tratamentos: Argiblend – oferta de 1% de arginina do D25-D80 e de 20g de blend do D81-D112 de gestação; Arginina – oferta de 1% de arginina do D25 ao D80; Blend – oferta de 20g de blend do D81 ao D112, e Controle - dieta controle durante toda a gestação. Não houve efeito (P>0,05) dos tratamentos sobre o peso e ganho de peso das matrizes, bem como para número de nascidos totais, nascidos vivos, natimortos, mumificados, peso ao nascer, coeficiente de variação do peso ao nascer, percentual de leitões ≤850g e ≤1000g, peso de placenta, eficiência placentária e expressão do fator de crescimento do endotélio vascular. Houve efeito da interação do tratamento e classe de prolificidade (P<0,05) sobre os percentuais de leitões leves. Na classe de baixa prolificidade (até 14 leitões nascidos), menores percentuais de leitões com peso ≤850g foram observados nos tratamentos Arginina e Blend em comparação ao Controle (P<0,05). Ainda dentro das fêmeas de baixa prolificidade, o tratamento Blend teve maior peso de leitegada e peso médio de nascidos, além de menor percentual de leitões com peso ≤1000g do que as fêmeas Controle (P<0,05). O uso de suplementação de arginina 1% do D25-D112, blend de aminoácidos do D81-D112 ou a combinação de ambos, não afeta o peso médio ao nascer e nem o coeficiente de variação do peso, em leitegadas de matrizes hiperprolíficas. Porém, arginina e blend diminuem o percentual de leitões leves e blend aumenta o peso médio ao nascer nas leitegadas com até 14 leitões. O objetivo do segundo estudo foi investigar o efeito da suplementação de arginina na dieta de lactação sobre a composição do leite, desempenho e sobrevivência de leitões lactentes. Sessenta e quatro matrizes lactantes de linhagem Landrace x Large White de ciclo 1 a 7 foram distribuídas em dois tratamentos: 1) suplementação diária com 1% de Arginina via top dressing durante toda a lactação e 2) Controle. Não houve efeito do tratamento sobre o peso médio individual, peso da leitegada e ganho de peso diário dos leitões, tanto no D10 como no D20 da lactação (P>0,05). A interação entre o dia da pesagem e o tratamento não afetou nenhuma dessas variáveis (P>0,05). No geral, as taxas de sobrevivência dos leitões foram 90,3% e 88,3% no D10 e D21, respectivamente, sem diferença entre os tratamentos (P>0,05). Não houve efeito do dia da lactação (D10 ou D20), do tratamento ou da interação entre eles, sobre a proteína bruta e conteúdo de aminoácidos do leite (P>0,05). A suplementação de 1% de arginina utilizando top dressing na dieta de lactação de fêmeas suínas, de ciclo 1 a 7, não influencia o desempenho e sobrevivência dos leitões na maternidade e não altera a relação lisina:arginina bem como o teor de proteina e de aminoácidos no leite.
Abstract The central objective of both studies was to test the effect of amino acid supplementation in prolific sows, in which fetal growth and milk production is a big challenge.The first study was conducted to evaluate the effect of arginine and/or amino acids blend (lysine, methionine, threonine and tryptophan) supplementation in gestation diet of prolific primiparous sows on the placental efficiency and piglet’s birth weight. Pregnant gilts were distributed into four treatments: Argiblend – supplemented with 1% of arginine from D25 to D80 and 20g of blend from D81 to D112 of gestation; Arginine - supplemented with 1% of arginine from D25 to D80; Blend - 20g of blend from D81 to D112; and Control – basal diet from D25 to D112. There was no treatment effect (P>0.05) on the gestation body weight gain of sows, total number of piglets born, born alive piglets, stillborn piglets, mummified fetuses, average birth weight, coefficient of whithin-litter weight variation, proportion of low birth weight piglets (≤850g or ≤1000g), placental efficiency and vascular endothelial growth factor expression. The effect of amino acid supplementation was also evaluated taking into account the prolificity of females, which were separated in two categories: high (>14 piglets born) and low (≤14 piglets born) prolificity. In low prolificity females, the proportion of piglets with ≤850g was lower in arginine and blend treatments compared with the Control group. In addition, females receiving blend had total litter birth weight and average birth weight greater and the proportion of piglets with ≤1000g lower than in Control group (P<0.05). In the present study, supplementing gestation diets with arginine and/or amino acid blend does not influence the average birth weight and birth weight variation in primiparous prolific sows. However, arginine and blend decrease the proportion of light piglets at birth and increase the average birth weight when the litter size is ≤ 14 piglets. The objective of the second study was to investigate the effect of arginine supplementation in the lactation diet on milk composition and the performance and survival of suckling piglets. Sixty four lactating Landrace x Large White sows, parity 1 to 7, were assigned in two treatments: Arginine – control diet supplemented daily with 1% arginine by top dressing during all lactation, and Control – control cornsoybean based diet. The sows remained with 12.8 piglets on average after cross fostering. The litters were weighed on D1, D10 and D21 of lactation and piglet mortality was recorded. Samples of milk (60 ml) were collected at D10 and D20 of lactation, from all functional teats. There was no effect of arginine supplementation on the average individual weight, litter weight and average daily gain of piglets at both D10 and D20 of lactation (P>0.05). The interaction between the day of weighing and treatment did not affect any of these parameters (P>0.05). Overall, survival rates were 90.3% and 88.3% until D10 and D21, respectively, with no difference between treatmens (P>0.05). There was no effect of the lactation day (D10 or D20), treatment or the interaction between them on the crude protein and amino acid content in milk (P>0.05). Supplementation with 1% of arginine by top dressing, in lactation diet of parity 1 to 7 sows, does not affect the performance and survival of piglets, as well as does not alter the amino acid content or lysine:arginine ratio of milk.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/99094
Arquivos Descrição Formato
000930465.pdf (463.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.