Show simple item record

dc.contributor.advisorAbegg, Claídespt_BR
dc.contributor.authorSoto, Karen Luciane Zappe Pereirapt_BR
dc.date.accessioned2016-05-19T02:09:31Zpt_BR
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/141298pt_BR
dc.description.abstractObjetivos: Investigar a associação entre a necessidade clínica e a autopercepção de necessidade de tratamento ortodôntico em adolescentes com idades entre 15 e 19 anos de municípios do Estado do Rio Grande do Sul. Metodologia: Foi realizado um estudo transversal com 1630 adolescentes na faixa etária de pesquisa, matriculados em escolas de 36 municípios do Estado do Rio Grande do Sul. Os critérios clínicos utilizados para determinar a necessidade de tratamento ortodôntico foram preconizados pelo Índice de Estética Dental (DAI). O instrumento utilizado para avaliar a autopercepção da necessidade de tratamento foi o Componente Estético (AC) extraído do Índice de Necessidade de Tratamento Ortodôntico (IOTN). Resultados: Dos 1.618 adolescentes examinados, 54,8% (894) eram do sexo feminino. Em relação ao índice DAI, observou-se 67,8% não apresentaram má oclusão e, portanto, não tinham necessidade de tratamento ortodôntico, 15,3% apresentaram má oclusão definida cuja necessidade de tratamento ortodôntico é eletiva, 9,7% dos adolescentes apresentaram condições de oclusão com necessidade de tratamento recomendável e 7,3% apresentaram má oclusão incapacitante sendo altamente recomendável o tratamento ortodôntico. Quanto à autopercepção e, de acordo com a classificação reduzida do IOTN, a maioria absoluta dos examinados, 86,4%, relataram não necessitar de tratamento ortodôntico, 3,2% demonstraram uma percepção de necessidade eletiva e 2,6% relataram necessitarem de tratamento. Houve associação positiva significativa entre DAI e IOTN, pois a proporção de sujeitos que avaliaram a necessidade de tratamento ortodôntico aumentou com a recomendação, pelo dentista, da necessidade de tratamento. No entanto, é importante destacar, apesar dessa associação, que a maior parte dos sujeitos não acreditava necessitar de tratamento ortodôntico, independentemente da recomendação pelo dentista. Discussão: Os resultados deste estudo mostraram que apenas um percentual reduzido dos adolescentes participantes perceberam-se com necessidade de tratamento, comparado com a avaliação clínica. A maloclusão influenciou negativamente a qualidade de vida relacionada à saúde bucal nas atividades diárias comer, sorrir e falar. Conclusões: A maioria dos adolescentes avaliados não apresentou necessidade de tratamento ortodôntico e apesar de haver associação positiva significativa entre avaliação clinica e autopercepção, a maioria dos adolescentes entrevistados não percebia necessidade de tratamento ortodôntico. Estas avaliações devem ser consideradas no momento da indicação do tratamento das maloclusões, especialmente em saúde pública, devido a escassez de recursos frente a demanda que costuma ser maior que a oferta de serviços no Sistema Único de Saúde Brasileiro (SUS).pt_BR
dc.description.abstractObjectives: Investigate the association between clinical needs and self-perceived need for orthodontic treatment in adolescents aged 15 to 19 years municipalities of Rio Grande do Sul State. Methodology: Was a cross-sectional study of schoolchildren between 15 and 19 years old in 36 municipalities of Rio Grande do Sul state. The clinical criteria used to determine the need for orthodontic treatment were recommended by the Dental Aesthetic Index (DAI). The instrument used to assess the self-perceived need for treatment was the Aesthetic Component (AC) extracted from Orthodontic Treatment Need Index (IOTN). Results: Of the 1,618 teens surveyed, 54.8% (894) were female. Regarding the DAI index, there was 67.8% did not have malocclusion and therefore had no need for orthodontic treatment, 15.3% presented malocclusion defined whose need for orthodontic treatment is elective, 9.7% of adolescents showed occlusion conditions in need of treatment recommended and 7.3% showed poor disabling occlusion is highly recommended orthodontic treatment. As the perception and according to the classification of IOTN reduced, the absolute majority of the examined, 86.4% reported no need orthodontic treatment, 3.2% showed a perceived need for elective and 2.6% reported require treatment. There was a significant positive association between DAI and IOTN because the proportion of subjects who assessed the need for orthodontic treatment increased with the recommendation of the need for treatment by a dentist. However, it is important to note, despite this association, most of the subjects believed not require orthodontic treatment, regardless of the recommendation by the dentist. Discussion: The results of this study shows that only a small percentage of participants adolescents perceived themselves in need of treatment, compared with clinical evaluation. The malocclusion negatively influenced the quality of life related to oral health in daily activities eat, smile and speak. Conclusions: Most adolescents studied showed no need for orthodontic treatment and despite there being significant positive association between clinical evaluation and self-perception, most of the adolescents interviewed did not understand the need for orthodontic treatment. These assessments should be considered when the treatment of malocclusions statement, especially in public health due to lack of resources forward the demand being greater than supply services in the Brazilian Unified Health System (SUS).en
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectSelf-perceptionen
dc.subjectSaúde coletivapt_BR
dc.subjectOrtodontiapt_BR
dc.subjectMalocclusionen
dc.subjectMá oclusãopt_BR
dc.subjectOrthodonticsen
dc.subjectPublic healthen
dc.subjectAutopercepçãopt_BR
dc.titleNecessidades de tratamento ortodôntico em adolescentes do Rio Grande do Sul : relação entre autopercepção e avaliação profissionalpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.identifier.nrb000992121pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentEscola de Enfermagempt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Saúde Coletivapt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2015pt_BR
dc.degree.levelmestradopt_BR


Files in this item

Thumbnail
   

This item is licensed under a Creative Commons License

Show simple item record