Mostrar el registro sencillo del ítem

dc.contributor.advisorCavedon, Neusa Rolitapt_BR
dc.contributor.authorFantinel, Letícia Diaspt_BR
dc.date.accessioned2009-02-04T04:12:04Zpt_BR
dc.date.issued2008pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/15022pt_BR
dc.description.abstractEste estudo busca desvendar aspectos da cultura organizacional de dois restaurantes pertencentes à mesma rede, compreendendo sua dimensão simbólica através de representações de espaço e tempo, e desenvolvendo comparações acerca de suas semelhanças e diferenças. Em virtude da complexidade do tema, foram utilizados aportes teóricos da Antropologia e outras ciências humanas. Partese do pressuposto de que a compreensão das representações sociais pode servir de fundamento para a interpretação do universo simbólico organizacional. Sob essa ótica, a adaptação dos modelos de gestão à cultura organizacional é uma maneira de gerarem-se ações administrativas que respondam às necessidades organizacionais. Uma das organizações localiza-se no centro histórico da capital gaúcha (Chalé da Praça XV, um espaço antigo, anteriormente valorizado e hoje um tanto degradado sob vários aspectos), e a outra, em um shopping center (Bistrô do shopping, relativamente distante do centro, área privada, mais valorizada pela população). O método etnográfico foi utilizado na identificação das representações que circulam nos dois espaços. As visitas foram realizadas em iguais períodos de tempo em ambos os restaurantes, totalizando um período de cinco meses em campo. Foram identificadas as representações de tempo e espaço elaboradas por funcionários, clientes e administradores das duas organizações, e desvendadas as homogeneidades e heterogeneidades das culturas organizacionais presentes nas duas empresas, sob a perspectiva das representações encontradas. As categorias de análise foram as seguintes: contexto em que os restaurantes estão inseridos, diferentes espaços e tempos dos restaurantes, relação com o passado da cidade, uniformes dos garçons, cardápios, música ao vivo, supervisão e gerência, clientes e representações acerca do outro restaurante. Os resultados indicam que as categorias de análise estabelecidas evidenciaram as heterogeneidades presentes nos dois espaços: o Bistrô, enquanto caracterizado como não-lugar, e o Chalé, lugar antropológico. Fez-se uma relação entre o que ocorre nos dois restaurantes e o que acontece no restante da cidade. Por fim, colocam-se algumas alternativas para que se pense a gestão dos estabelecimentos, atualmente administrados de maneira muito semelhante.pt_BR
dc.description.abstractThis study aims at bringing to light aspects of the organizational culture of two restaurants that belong to the same company, understanding their simbolic dimension by researching representations of space and time, and making comparisons where similarities and differences might be established. Because of the complexity of the subject, theoretical concepts and frameworks from Social Anthropology and other human sciences were used. We understand that the comprehension of social representations can support the interpretation of the organizational simbolic universe. From this point of view, adaptating the management models to the organizational culture is a way of providing effective management actions. One of the organizations is placed on historic center of the capital of Rio Grande do Sul (Chalé da Praça XV, an ancient space, place valued in the past, but nowadays it´s considered a victim of urban degradation), and another, located inside a shopping mall (Bistrô do shopping, a little far from center, private and commercial area, space valued by local population). The etnographic method has been used to bring to light representations present in both spaces. The etnographic fieldwork was conducted in both restaurants, on demanding a period of five months. Representations of time and space produced by employees, clients and managers of both organizations were identifyed, putting under the spot similarities and differences of organizational cultures, from the perspective of the representations found. The analysis categories were: context of the restaurants, different spaces and times, relationship with the past of the city, waiters´ uniforms, menus, live music, supervision and management, clients e representations about the other restaurant. The results show that the analysis categories established make clear the differences present in both organizations: the Bistrô, while seemed like a non-place, and the Chalé, like an anthropological place. It was done a comparison between both restaurants and the city in general. At the end, some alternatives were presented to help to define the management in those cases, nowadays done on a very similar way.en
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectCultura organizacionalpt_BR
dc.subjectSocial representationsen
dc.subjectSpaceen
dc.subjectComportamento organizacionalpt_BR
dc.subjectTimeen
dc.subjectEspaço urbano : Porto Alegre (RS)pt_BR
dc.subjectAntropologia cultural : Antropologia socialpt_BR
dc.subjectOrganizational cultureen
dc.subjectIdentidade culturalpt_BR
dc.subjectIdentidade organizacionalpt_BR
dc.subjectEtnografia : Pesquisa etnograficapt_BR
dc.subjectRepresentações sociaispt_BR
dc.subjectEspaço e tempopt_BR
dc.titleCultura organizacional, lugar e memória : representações de espaço e tempo em dois restaurantes em Porto Alegrept_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.identifier.nrb000675806pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentEscola de Administraçãopt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Administraçãopt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2008pt_BR
dc.degree.levelmestradopt_BR


Ficheros en el ítem

Thumbnail
   

Este ítem está licenciado en la Creative Commons License

Mostrar el registro sencillo del ítem