Mostrar registro simples

dc.contributor.advisorKnauth, Daniela Rivapt_BR
dc.contributor.authorMartins, Rafael Steffenspt_BR
dc.date.accessioned2020-09-12T04:04:59Zpt_BR
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10183/213432pt_BR
dc.description.abstractINTRODUÇÃO: Dados do Ministério da Saúde estimam que 66% das 900 mil pessoas vivendo com HIV/Aids no Brasil registraram dispensação de medicamentos antirretrovirais em 2018. Dessas, 17% estavam em baixa adesão e 8% abandonaram o tratamento até 2019. Aderir ao tratamento antirretroviral (TARV) é um processo complexo e diversos fatores, além de características como fatores sociodemográficos dos pacientes, podem impactar na adesão. OBJETIVO: Analisar como eventos clínicos e sociais podem impactar na adesão ao tratamento antirretroviral para o HIV. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo de coorte com 528 pacientes que realizaram o tratamento para o HIV em um Serviço de Assistência Especializada (SAE) em um município no sul do Brasil. Foram analisadas 3429 consultas realizadas entre os anos de 2004 a 2017. Para cada consulta, foram coletados dados clínicos e do tratamento dos pacientes. Buscou-se avaliar o efeito de determinados fatores pontuais sobre a adesão ao TARV. A adesão, aferida pelo autorrelato dos pacientes em cada consulta, foi o desfecho do estudo. O modelo de regressão logística, via Equações de Estimação Generalizadas (GEE), foi usado para estimação das associações. RESULTADOS: Sobre as características dos pacientes da amostra, 67,8% possuem até 8 anos de estudo e cerca de 24,8% dos pacientes têm histórico de uso de drogas como crack e/ou cocaína. Entre os homens, verificou-se aumento nas chances de adesão nas consultas em que os pacientes estavam assintomáticos (RC = 1,43; IC 95% 1,05 – 1,93). Também aumentaram as chances de adesão possuir mais de 8 anos de estudo (RC = 2,32; IC 95% 1,27 – 4,23) e não apresentar histórico de uso de crack (RC = 2,35; IC 95% 1,20 – 4,57). Entre as mulheres, ter mais de 24 anos de idade (RC = 1,82; IC 95% 1,09 – 3,02), nunca ter usado cocaína (RC = 2,54; IC 95% 1,32 – 4,88) e estar em gestação (RC = 3,28; IC 95% 1,83 – 5,89) estiveram associados à adesão. CONCLUSÃO: Além de características sociodemográficas definidas, eventos pontuais que podem ocorrer na trajetória de pacientes em tratamentos 11 longos, como início de uma nova gestação e não apresentar sintomas, podem impactar nas chances de adesão dos pacientes ao TARV.pt_BR
dc.description.abstractINTRODUCTION: Data from the Brazilian Ministry of Health estimate that 66% of the 900,000 people living with HIV in Brazil registered antiretroviral medication dispensation in 2018. Among these patients, 17% were in low adherence and 8% abandoned treatment until the end of 2018. Adhering to antiretroviral treatment (ART) is a complex process and several factors can impact adherence. OBJECTIVE: Analyze how clinical and social events can impact adherence to antiretroviral treatment for HIV. METHODOLOGY: This is a cohort study with 528 patients, who treat HIV at a Specialized Assistance Service (SAE) in a city in southern Brazil. There were analyzed 3429 consultations between the years of 2004 and 2017. For each consultation, we collected data of the treatment and the clinical condition of the patients. We aimed to estimate the effect of certain specific factors on adherence to ART. Adherence, as measured by patients’ self-report at each visit, was the study's outcome. It was used the logistic regression model, via Generalized Estimation Equations (GEE), to estimate associations. RESULTS: Regarding the characteristics of the patients in the sample, more than 67.8% had less than 9 years of study and about 24.8% of the patients had a historic with drugs, such as crack and/or cocaine. Among men, there was an increase in the chances of adherence in consultations in which patients were asymptomatic (OR = 1.43; 95% CI 1.05 - 1.93). The chances of adherence also increased in patients who have more than 8 years of study (OR = 2.32; 95% CI 1.27 - 4.23) and no historic of crack use (OR = 2.35; 95% CI 1.20 - 4.57). Among women, being over 24 years of age (OR = 1.82; 95% CI 1.09 - 3.02), never having used cocaine (CR = 2.54; 95% CI 1.32 – 4.88) and being pregnant (OR = 3.28; 95% CI 1.83 - 5.89) were associated with adherence. CONCLUSION: Further than those defined socio demographic characteristics, events such as the beginning of a new pregnancy and not having symptoms, can impact the chances of patients adhering to ART. 13en
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsOpen Accessen
dc.subjectCooperação do pacientept_BR
dc.subjectAidsen
dc.subjectAdherenceen
dc.subjectPacientes desistentes do tratamentopt_BR
dc.subjectAdesão à medicaçãopt_BR
dc.subjectAntiretroviral therapyen
dc.subjectCondições sociaispt_BR
dc.subjectTreatmenten
dc.subjectAlvorada (RS)pt_BR
dc.subjectHIVpt_BR
dc.subjectSíndrome de imunodeficiência adquiridapt_BR
dc.subjectTratamentopt_BR
dc.subjectTerapia antirretroviral de alta atividadept_BR
dc.titleAdesão ao tratamento antirretroviral para o HIV/AIDS : uma análise dos eventos marcadores associados à adesão em um estudo de coorte no município de Alvorada - RSpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisor-coVigo, Álvaropt_BR
dc.identifier.nrb001117533pt_BR
dc.degree.grantorUniversidade Federal do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Medicinapt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Epidemiologiapt_BR
dc.degree.localPorto Alegre, BR-RSpt_BR
dc.degree.date2020pt_BR
dc.degree.levelmestradopt_BR


Thumbnail
   

Este item está licenciado na Creative Commons License

Mostrar registro simples