Repositório Digital

A- A A+

A produção científica brasileira em Ciências Agrárias indexada na Web of Science : características e redes de colaboração (2000-2011)

.

A produção científica brasileira em Ciências Agrárias indexada na Web of Science : características e redes de colaboração (2000-2011)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A produção científica brasileira em Ciências Agrárias indexada na Web of Science : características e redes de colaboração (2000-2011)
Autor Vargas, Rosely de Andrade
Orientador Stumpf, Ida Regina Chitto
Co-orientador Vanz, Samile Andrea de Souza
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação. Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação.
Assunto Bibliometria
Ciências agrárias
Cientometria
Produção científica
[en] Agricultural sciences
[en] Bibliometrics
[en] Brazilian science
[en] Scientific collaboration
[en] Scientific communication
[en] Scientific production
[en] Scientometrics
[es] Bibliometría
[es] Ciencia brasileña
[es] Ciencias agrícolas
[es] Cienciometría
[es] Colaboración científica
[es] Comunicación científica
[es] Producción científica
Resumo Este estudo apresenta uma análise bibliométrica da produção científica brasileira em Ciências Agrárias indexada no Science Citation Index Expanded (SCI-EXPANDED) e no Social Sciences Citation Index (SSCI), da base de dados Web of Science (WoS), no período de 2000 a 2011. O corpus da pesquisa foi composto por 45.163 artigos de autores vinculados a instituições do Brasil. Para organização e análises dos dados foram utilizados os softwares Bibexel, Excel 2007 e Pajek. Os resultados mostram que o número de artigos brasileiros em Ciências Agrárias na base de dados aumentou 344%, partindo de 1.546 documentos em 2000 e atingindo 6.866 documentos em 2011. A ampliação da coleção de revistas do Brasil na WoS e a publicação de maior número de fascículos anuais por parte de várias revistas nacionais de Ciências Agrárias, recentemente inseridas na base, foram os principais fatores para esse crescimento. A análise dos idiomas de publicação revelou a predominância do inglês, com participação de 57% no total da produção, enquanto o português foi empregado em 42% das publicações. Embora tenham sido encontrados artigos em 799 periódicos de 46 países, 53,5% da produção foi publicada em revistas nacionais com baixo fator de impacto. Entre as temáticas com maior número de artigos, destacaram-se a Agricultura (31,6%), Ciências Veterinárias (15,6%), Ciências das Plantas (10%), Zoologia (9,4%) e Ciência e Tecnologia de Alimentos (7,5%). Na análise de autoria institucional, foram identificadas 5.910 organizações do Brasil e do exterior, mas a produção científica concentrou-se num conjunto de 50 instituições. Esse conjunto, formado majoritariamente por universidades e institutos de pesquisa das esferas públicas, do Sudeste e Sul do país, foi responsável por 66,5% da produção. Dentre os 45.163 artigos, apenas 1.022 documentos, 2,2% do total, foram publicados por um único autor, indicando um considerável grau de colaboração entre pesquisadores. A participação de artigos com autoria múltipla no total das publicações passou de 96,1%, em 2000, para 98,4% em 2011. No que se refere à colaboração intrainstitucional, foram identificados 26.764 artigos em coautoria, 59,3% do total de publicações. A porcentagem de artigos com colaboração entre instituições, de 47,3% em 2000, foi ampliada para 64,2% em 2011. No caso de artigos escritos por pesquisadores do Brasil com pares de outros países, o resultado foi negativo: em 2000, 21,7% da produção envolvia colaboração científica com um ou mais países estrangeiros. Em 2011, a taxa diminuiu para 15,4%. As relações colaborativas mais significativas ocorreram com EUA, França e Alemanha. A baixa taxa de colaboração científica internacional pode ser apontada como o ponto fraco da produção científica das Ciências Agrárias indexada na WoS entre 2000 e 2011. Por outro lado, o expressivo crescimento das publicações e o aumento do número de artigos em coautoria entre pesquisadores e entre instituições nacionais destacam-se como pontos fortes. Esses avanços ocorreram num contexto marcado pela ampliação da coleção de revistas do Brasil na WoS, pelo aperfeiçoamento das revistas científicas nacionais e também pela expansão da pós-graduação na grande área, no país, e pelo consequente aumento do número de doutores e mestres titulados.
Abstract This study presents a bibliometric analysis of the Brazilian Agricultural Sciences scientific production indexed in the Science Citation Index Expanded (SCI-Expanded) and in the Social Sciences Citation Index (SSCI), of Web of Science (WoS) database, from 2000 to 2011. The sample consisted of 45,163 papers of authors from Brazilian institutions. Bibexcel, Excel 2007 and Pajek were used for data organization and analysis. The results reveal that the number of Brazilian articles in the field of Agricultural Sciences in the database has increased by 344%, from 1,546 papers in 2000 to 6,866, in 2011. The increased collection of Brazilian journals in the WoS and the raise in the number of issues published annually by the Brazilian Agricultural Sciences journals recently indexed in the database were the main drivers for this growth. The analysis of papers publication language showed a predominance of English, with 57% of total production, followed by Portuguese, with 42% of the publications. Although Brazilian articles have been found in 799 journals, from 46 countries, 53.5% out of the total production were published in national journals, having low impact factor. Among the subjects with the highest number of articles, there were: Agriculture (31.6%), Veterinary (15.6%), Plant Science (10%), Zoology (9.4%) and Food Science and Technology (7.5%). In the analysis of institutional authorship, 5,910 organizations, both from Brazil and foreign, were identified, but the bulk of scientific production was concentrated in a set of 50 institutions. This group, mainly formed by public universities and research institutes located in the Southeast and South of the country, accounted for 66.5% of the total production. Out of the 45,163 published papers only 1,022 documents, corresponding to 2.2%, were published by a single author, suggesting a high degree of collaboration among researchers. The percentage of articles with multiple authors in the total number of publications increased from 96.1% in 2000 to 98.4%, in 2011. With regard to intra-institutional collaboration, 26,764 co-authored articles were identified, representing 59.3% of total production. The proportion of articles in collaboration between institutions rose from 47.3% in 2000 to 64.2% in 2011. In the case of papers written by Brazilian researchers and co-authored by foreign peers, there was a decrease. In 2000, 21.7% of total production involved scientific collaboration with at least one foreign country. In 2011, this figure decreased to 15.4%. The most significant collaborative relationships were established with the U.S., France and Germany. The low rate of international collaboration appears as a weakness of the Brazilian scientific production in Agricultural Sciences indexed by WoS between 2000 and 2011. Conversely, the significant growth of publications and the increased number of papers in co-authorship both between researchers and national institutions stand out as strengths. These advances have occurred in a context of expansion of Brazilian journals collection indexed by WoS, marked by the improvement of national scientific journals and even by the expansion of postgraduate programs in the field of Agricultural Sciences in Brazil, and the consequent increase in the number of graduate masters and PhD.
Resumen Este estudio presenta un análisis bibliométrico de la producción científica brasileña en Ciencias Agrícolas indexadas en la base de datos Web of Science (WoS), en el Science Citation Index Expanded (SCI-Expanded) y en el Social Sciences Citation Index (SSCI), de 2000 a 2011. La muestra consistió en 45.163 artículos de autores de instituciones de Brasil. Para la organización y el análisis de datos se utilizaron los softwares Bibexel, Excel 2007 y Pajek. Los resultados muestran que el número de artículos brasileños en Ciencias Agrícolas en la base de datos se ha incrementado 344%, pasando de 1.546 documentos en 2000 para 6.866 documentos en 2011. La ampliación de la colección de revistas de Brasil en la WoS y el aumento en el número de ejemplares publicados anualmente por las revistas brasileñas de Ciencias Agrícolas recientemente inseridas en la base de datos fueron los principales factores de este crecimiento. El análisis de idiomas de publicación de los documentos reveló el predominio del inglés, con 57% en la producción total, seguido del portugués, con 42% de las publicaciones. Aunque se encontraron artículos brasileños en 799 revistas de 46 países, el 53,5% de la producción se ha publicado en revistas nacionales con bajo factor de impacto. Las materias en las que se publicaron más artículos fueron Agricultura (31,6% del total), Veterinaria (15,6%), Ciencias de las Plantas (10%), Zoología (9,4%) y Ciencia y Tecnología de los Alimentos (7,5%). En el análisis de co-autoría institucional fueron identificadas 5.910 organizaciones de Brasil y del extranjero, pero la producción científica se centró en un conjunto de 50 instituciones, formado principalmente por las universidades y los institutos de investigación, del ámbito público, de las regiones Sudeste y Sur del país, responsable del 66,5% de la producción total. Entre los 45.163 artículos sólo 1.022 documentos, 2,2% del total, fueron publicados por un autor, lo que indica un alto grado de colaboración entre los investigadores. El porcentaje de artículos con autoría múltiple en el número total de publicaciones aumentó de 96,1% en 2000 al 98,4% en 2011. Con respecto a la colaboración intrainstitucional, fueron identificados 26.764 artículos, el 59,3% de la producción. Las relaciones colaborativas más importantes se produjeron con los EE.UU., Francia y Alemania. La tasa reducida de colaboración internacional aparece como punto débil de la producción científica brasileña en Ciencias Agrícolas indexada en la WoS entre 2000 y 2011. Por otra parte, el importante crecimiento de las publicaciones y el incremento del número de artículos en coautoría entre los investigadores y entre las instituciones nacionales se destacan como puntos fuertes. Esta evolución tuvo lugar en un contexto marcado por la ampliación de la colección de revistas de Brasil en WoS, el perfeccionamiento das la revistas científicas nacionales e aún por la expansión del postgrado en el área en país y el consiguiente aumento en el número de titulados en cursos de maestría y doctorado.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/102304
Arquivos Descrição Formato
000934241.pdf (2.411Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.