Repositório Digital

A- A A+

Avaliação dos efeitos in vitro do ácido hexacosanóico sobre parâmetros de estresse oxidativo em córtex cerebral de ratos jovens

.

Avaliação dos efeitos in vitro do ácido hexacosanóico sobre parâmetros de estresse oxidativo em córtex cerebral de ratos jovens

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação dos efeitos in vitro do ácido hexacosanóico sobre parâmetros de estresse oxidativo em córtex cerebral de ratos jovens
Autor Borges, Clarissa Günther
Orientador Wajner, Moacir
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Curso de Biomedicina.
Assunto Ácidos graxos
Antioxidantes
Erros inatos do metabolismo
Estresse oxidativo
Radicais livres
Resumo A adrenoleucodistrofia ligada ao X (ALD-X) é uma doença peroxissomal na qual ácidos graxos de cadeia muito longa (VLCFA) acumulam-se nos tecidos dos pacientes, sendo o ácido hexacosanóico (HXCO) o principal ácido graxo acumulado. A doença é caracterizada principalmente por disfunção neurológica e possui variados fenótipos. Considerando que os mecanismos da fisiopatologia da doença são pouco conhecidos, o presente estudo investigou os efeitos in vitro do ácido hexacosanóico sobre diversos parâmetros de estresse oxidativo em córtex cerebral de ratos jovens. Nossos resultados mostraram que o HXCO não induz lipoperoxidação, já que os níveis de substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBA-RS) não sofreram modificação, assim como não provoca dano oxidativo proteico, pois a formação de carbonilas não foi alterada. Além disso, os níveis de DCF e e a produção de óxido nítrico (NO) não se alteraram, sugerindo que a geração de espécies reativas não está envolvida nesse processo. O ácido hexacosanóico também não alterou os níveis de glutationa (GSH) e o estado antioxidante total (TAS), o que demonstra que o ácido não interfere nas defesas antioxidantes do cérebro. Os resultados presentes indicam que o ácido hexacosanóico no meio de incubação (in vitro) não induz estresse oxidativo em córtex cerebral de ratos jovens. Logo, pode-se dizer que este mecanismo patológico provavelmente não está envolvido nos danos neurológicos encontrados em pacientes afetados pela ALD-X.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/102530
Arquivos Descrição Formato
000934285.pdf (676.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.