Repositório Digital

A- A A+

Significados das aulas de música na escola : um estudo narrativo com duas estudantes do Ensino Médio

.

Significados das aulas de música na escola : um estudo narrativo com duas estudantes do Ensino Médio

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Significados das aulas de música na escola : um estudo narrativo com duas estudantes do Ensino Médio
Autor Soares, Iuri Correa
Orientador Maffioletti, Leda de Albuquerque
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
Assunto Educação musical
Ensino médio
Narrativa
[en] Narrative inquiry in music education
[en] Narratives by students
[en] Scholar musical education
Resumo Este trabalho se insere na área de Educação Musical, especificamente na educação musical escolar, vista sob a perspectiva dos alunos. Teve como objetivo compreender os significados que as participantes atribuem às experiências que tiveram nas aulas de música da escola. A pesquisa baseia-se em princípios metodológicos e epistemológicos do método (auto)biográfico, a partir de Bolívar (2012) e Abrahão (2004), em diálogo com a pesquisa narrativa de Connelly e Clandinin (1990) e Clandinin (2006). Participaram desta pesquisa duas estudantes do 1º ano do ensino médio, ex-alunas do pesquisador, que tiveram aulas de música na escola durante a educação infantil e séries iniciais e que, em encontros ocasionais com seu ex-professor de música, manifestavam sentir saudades das aulas. Para a produção de informações foram realizados um encontro preliminar e três entrevistas narrativas com as participantes. A análise narrativa das informações produziu sete tramas que resultaram em sete textos narrativos. Os textos narram diferentes tipos de significação atribuída pelas participantes às aulas de música. Os primeiros textos as mostram significando as aulas de música como parte de um conjunto de experiências que constituem a época da qual elas sentem saudades e como momento de integração entre fenômeno sonoro e movimento corporal. Elas também identificam a influência das aulas de música em quem elas são hoje e mostram que, dependendo da perspectiva, podem considerá-las ou não como momentos de aprendizagem musical. A aula é caracterizada como agradável pelo modo animado como o professor atua, pela autonomia dos estudantes na realização das tarefas, pelo aspecto socializador e pelo resultado esteticamente bonito da prática musical. A aula é caracterizada como agradável pelo modo animado como o professor atua, pela autonomia dos estudantes na realização das tarefas, pelo aspecto socializador e pelo resultado esteticamente bonito da prática musical. As participantes consideram importante e desejável ter aulas de música em seu nível de ensino atual, mas encontram dificuldades em conceber isso na prática. Em um tempo futuro de suas vidas, elas projetam que a música terá importante significado. As articulações entre as tramas narrativas permitem argumentar que há relação entre a caracterização da aula de música como experiência agradável e sua não significação como momento de aprendizagem musical. Essa relação passa pelo modo como os espaços de aprendizagem são constituídos pela cultura escolar. Permitem também perceber que as participantes constroem os significados das aulas de música a partir da característica coletiva pela qual o dia-a-dia das experiências musicais que vivenciaram está estruturado. Finalmente, essas articulações sugerem que cada participante tem seu modo particular de se relacionar com as experiências da aula de música e esse modo norteia a produção de significados que atribuem a elas. Uma delas se conecta pelo aspecto das relações sociais de integração proporcionadas pela aula de música e a outra através do aspecto prático, do fazer musical. A pesquisa contribui para ampliar a compreensão do significado das aulas de música na escola trazendo a perspectiva de estudantes que estão longe dessa prática há mais de quatro anos. O trabalho procura relacionar a produção de significados das participantes a um contexto escolar maior e, com isso, chama atenção para a complexidade de ações envolvidas nessa produção.
Abstract This work is set on Musical Education research field, particularly on the musical education at school, considered from the students’ perspective. It aimed to comprehend meanings that participants assign to the experiences lived in musical education at school. It is based on methodological and epistemological principles of (self)biographical research method, from Bolívar (2012) and Abrahão (2004) in dialogue with narrative inquiry of Connelly and Clandinin (1990) e Clandinin (2006). Participants of this research were two first year high school students, former researcher´s music students, that took music education at school on kindergarten and elementary levels and that told their former teacher, occasionally, they missed music classes. Information was produced by one preliminary meeting and three narrative interview with participants. Narrative analysis built seven plots that generated seven narrative texts. Texts narrates different kind of signification that participants assign to the music class. In the first texts participants signify music classes as a part of a set of experiences that constitute the time that they miss and as an integration moment between sound and body movement. They also identify music class influences in who they are in present and demonstrates that they may or may not signify music class as musical learning moments, according to the point of view. Music class is characterized as enjoyable because of the lively way that the teacher works, of the students’ autonomy in doing activities, the socializing aspect and the beautiful musical practice production. Participants consider that is an important and desirable issue in their current scholar level to have music class, but they find difficulties in conceiving that practically. In future, participants project that music will have important meaning for them. Articulations between narrative plots allow argue that there is a relationship between characterizing music class at school as an enjoyable experience and not signifying it as a musical learning moment. This relationship has to do with how learning places are constituted by scholar culture. They also allow us to perceive that participants built the meanings of music class from an essentially collective characteristic that structures musical experiences that participants lived. Finally, these articulations suggest that each participant has a particular way to relate to the music class experiences and this way guides the production of meaning they assign to music classes. One participant connects through social relation aspect the music class provides and the other one connects through the aspect of practice, musical practicing. This research contributes to extend the understanding of the meaning of music class at school taking the perspective of students that have been away of this practice for more than four years. This work wants to relate participants’ production of meaning to a wide scholar context and through this way it puts light to the complexity of the actions involved in that production.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/111891
Arquivos Descrição Formato
000951964.pdf (733.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.