Repositório Digital

A- A A+

Atividade anti-trichomonas vaginalis de saponinas

.

Atividade anti-trichomonas vaginalis de saponinas

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Atividade anti-trichomonas vaginalis de saponinas
Autor Rocha, Tábitha Dahmer
Orientador Gosmann, Grace
Co-orientador Tasca, Tiana
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Farmácia. Curso de Farmácia.
Assunto Saponinas
Trichomonas vaginalis
Resumo Trichomonas vaginalis é o protozoário que parasita o trato urogenital humano, causando a tricomonose, uma doença sexualmente transmissível de importância mundial. A partir de relatos de efeitos adversos graves e toxicidade causados pelo metronidazol, fármaco de escolha no tratamento da tricomonose, bem como do aparecimento de resistência dos parasitos a essa medicação, demonstrou-se necessária a pesquisa por novas substâncias com atividade anti-T. vaginalis e efeitos adversos menos intensos. Nesse aspecto, saponinas são compostos vegetais com caráter anfifílico, para os quais já foram descritas diversas atividades biológicas, inclusive a antiprotozoária. Para se testar a atividade anti-T. vaginalis de saponinas e seu mecanismo de ação em membrana de parasitos, oito frações de saponinas foram selecionadas. Estas foram incubadas com trofozoítos de T. vaginalis em um teste de suscetibilidade in vitro, o qual demonstrou que os extratos butanólico das folhas de Ilex paraguariensis e aquoso de Quillaja brasiliensis e as frações de saponinas de Gypsophila sp., Quillaja saponaria e Passiflora alata tiveram atividade anti-Trichomonas. As concentrações inibitórias mínimas (CIM) de cada fração testada foram determinadas e variaram de 0,025% até 0,1%. A fim de investigar o mecanismo de ação das saponinas ativas, na célula do parasito, foram realizados experimentos envolvendo lise de hemácias e dosagem da liberação da enzima citosólica lactato desidrogenase (LDH) por trofozoítos de T. vaginalis. Todas as saponinas com atividade anti-T. vaginalis causaram aproximadamente 100% de hemólise e levaram a liberação de até 50% do conteúdo total de LDH dos parasitos, quando testadas em suas respectivas CIM. Esses resultados apontam para uma ação das saponinas em membranas celulares.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/115601
Arquivos Descrição Formato
000758381.pdf (666.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.