Repositório Digital

A- A A+

Gênero, identidade e diferença no romance

.

Gênero, identidade e diferença no romance

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Gênero, identidade e diferença no romance
Autor Talasca, Luana Compara
Orientador Maggio, Sandra Sirangelo
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Curso de Letras: Licenciatura.
Assunto Brontë, Charlotte 1816-1855. Jane Eyre
Crítica literária
Literatura inglesa
Romance
[en] Angel in the house
[en] Gender studies
[en] Literary criticism
[en] Reception
Resumo Quando foi lançado, em 1847, o romance Jane Eyre teve muitas de suas características condenadas pela crítica literária da época. A maneira como as emoções eram retratadas pelos personagens e, principalmente, o tipo de figura da mulher representada pela protagonista foram considerados inapropriados pelos analistas vitorianos. Durante muitas décadas, acreditou-se que a obra não deixava transparecer o contexto histórico no qual se inseria , ou que a autora não tinha conhecimento do que estava acontecendo a sua volta. Foi apenas com uma mudança de perspectiva e recepção por parte da crítica literária, ocorridas nas últimas décadas do século XX, que muito do que até então parecia invisível começou a ser compreendido. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho é apresentar uma leitura de Jane Eyre com vistas a desfazer esta impressão errônea sobre a acuidade histórica do romance. A metodologia utilizada consiste em identificar os pontos que desagradam a crítica vitoriana de modo a confrontá-los, aplicando conceitos propostos por Sandra Gilbert e Susan Gubar sobre estudos de gêneros. O objetivo é verificar em que medida as ações e as visões de mundo de determinados personagens, principalmente as da protagonista – contrariavam a ética de sua época – refletem e representam a sua maneira o momento histórico no qual a obra foi concebida. O foco do recorte efetuado recai sobre a figura do Anjo do lar.
Abstract When it was first published, in 1847, the novel Jane Eyre was condemned by literary critics of the time. The way the emotions were presented by the characters and mainly the behaviour and ideology of the protagonist, were deemed inappropriate by Victorians patterns. For more than one century it was believed that the work did not reflect the historical context from which derived, and that the author had no idea what was going on around her in her time. It was only after a change in critical perspective and reception – which took place in the last decades of the twentieth century – that much of what hitherto seemed invisible began to be understood. Thus, the aim of this work is to present a reading of Jane Eyre meant to undo this wrong impression about the historical accuracy of the novel. The methodology consists of identifying the points that fail to meet the Victorian expectations, so as to confront them with some concepts on gender studies proposed by Sandra Gilbert and Susan Gubar. The intention is to verify on what terms the actions and worldviews of certain characters, especially the protagonist, challenge the ethics of their time, and reveal some further aspects of the historical moment they are imbedded in. The focus of the analysis centers on the image of the Angel in the house.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/115643
Arquivos Descrição Formato
000956643.pdf (767.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.