Repositório Digital

A- A A+

Diferentes infâncias e a prática pedagógica do professor de Educação Física : estudo na rede municipal de Portão/RS

.

Diferentes infâncias e a prática pedagógica do professor de Educação Física : estudo na rede municipal de Portão/RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Diferentes infâncias e a prática pedagógica do professor de Educação Física : estudo na rede municipal de Portão/RS
Autor Rocha, Fioravante Corrêa da
Orientador Wittizorecki, Elisandro Schultz
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano.
Assunto Educação física escolar
Educação infantil
Etnografia
Prática pedagógica
[en] Different childhoods
[en] Early childhood education
[en] Ethnography
[en] Physical education
[en] Teaching practice
Resumo A presente dissertação de mestrado tem como tema de estudo as diferentes infâncias e a prática pedagógica dos professores de Educação Física (EF) da Rede Municipal de Ensino de Portão/RS (RMENP). Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa, realizada em três escolas, com a colaboração de quatro docentes de EF atuantes em turmas de Educação Infantil. A escolha do tema de pesquisa surge a partir das minhas reflexões acerca da prática pedagógica do professor de EF na Educação Infantil. Entendo a infância atravessada por marcadores, além dos biológicos, de contexto histórico, econômico, político e de condições sociais em que a criança vive. Nesse sentido, analisando minha experiência docente, propus as seguintes indagações: de que forma um professor de EF articula sua prática pedagógica para contemplar as infâncias presentes em suas aulas? Essas diferentes infâncias são identificadas e interpretadas pelo professorado de EF nas escolas? Com base nessas inquietações, construí o problema de pesquisa, cuja pergunta-chave se constitui na seguinte questão: como as diferentes infâncias são interpretadas pelos professores de Educação Física da Educação Infantil e como esse entendimento influencia a sua prática pedagógica? De modo a buscar elementos empíricos que ajudassem a responder a problemática do estudo, elegi como decisão metodológica a etnografia. Essa escolha é coerente com os objetivos da pesquisa, na medida em que me permite compreender o que os professores fazem, desde sua perspectiva, mediados pela sua cultura e pela cultura escolar em que estão imersos. O trabalho de campo teve duração de cinco meses, e por meio dos registros no diário de campo, das observações dos participantes, diálogos, entrevistas semiestruturadas e análise documental, articulados com a revisão de literatura, foi possível construir as seguintes categorias de análise: (1) Infância, escola e família; (2) Da infância dos professores à formação acadêmica; (3) A prática pedagógica dos professores de EF e as diferentes infâncias. Frente às mudanças da sociedade, a escola é compreendida como uma instituição além de educadora também assistencial. Esses elementos colaboram para uma construção social da infância que se articula por vários fatores, como: gênero, organização familiar, situação socioeconômica, crenças, cultura, etnias e religião. Assim, a materialização dessas diversidades pode gerar atitudes de isolamento, timidez, agressividade, aproximação ou afastamento com o docente. Dessa forma, há uma demanda por novas estratégias e atribuições na prática pedagógica dos professores de EF. Essa prática pedagógica está alicerçada pela cultura dos docentes, que é a articulação da sua infância, história escolar e formação acadêmica. Por fim, analiso que há professores que formulam uma concepção ingênua de infância. Apesar de perceberem as diferentes infâncias no seu contexto escolar, não há articulação consistente com sua prática pedagógica por ela estar alicerçada prioritariamente nos aspectos motores, sem referenciar questões socioculturais.
Abstract This master’s thesis has as its object of study the different childhoods and the pedagogical practice of Physical Education (PE) teachers of Municipal Schools in Portão/RS, South Brazil. This is a qualitative research conducted in three schools, with collaboration of four PE kindergarten teachers. The choice of research topic arises from my reflections about the pedagogical practice of PE kindergarten teachers. I understand that childhood has markers, beyond the biological ones, regarding historic, economic, and political contexts and social conditions in which the child lives. In this sense, analyzing my teaching experience, I pose the following questions: how PE teachers articulate their practice to contemplate the childhoods present in their classes? Are these different childhoods identified and interpreted by PE teachers in schools? Based on these concerns, I formulated the research problem, which has as its key question the following: how different childhoods are interpreted by PE teachers in the kindergarten and how this understanding influences their practice? To seek empirical evidence to help me answer the research problem, I chose ethnography as study method. This choice is consistent with the research objectives, for it allows me to understand what teachers do from their perspective, mediated through their culture and the school culture in which they are immersed. The fieldwork lasted five months, and through the records in a journal, observation of the participants, dialogues, semi-structured interviews and documentary analysis, articulated with literature review, I could create the following categories of analysis: (1) Children, school and family; (2) From teachers’ childhood to academic training; (3) The pedagogical practice of PE teachers and different childhoods. Faced by society changes, the school is understood not only as an education institution, but also as a social welfare institution. These elements help a social construction of childhood, which is articulated by several factors, such as gender, family structure, socioeconomic status, beliefs, culture, ethnicity, and religion. Thus, the realization of these differences may generate attitudes of isolation, shyness, aggressiveness, closeness or distance by the teacher. There is then a demand for new strategies and attributions for the pedagogical practice by PE teachers. This pedagogical practice is based on the teachers’ culture, which is the articulation of their childhood, school history and academic background. Finally, I analyze that teachers have a naive conception of childhood. Although they realize the different childhoods in their school setting, they do not articulate with their practice, which is based on motor aspects without reference to sociocultural issues.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/117396
Arquivos Descrição Formato
000966259.pdf (1.635Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.