Repositório Digital

A- A A+

Incluindo o projeto terapêutico singular na agenda da atenção básica em contexto de vulnerabilidade e não adesão ao tratamento da tuberculose

.

Incluindo o projeto terapêutico singular na agenda da atenção básica em contexto de vulnerabilidade e não adesão ao tratamento da tuberculose

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Incluindo o projeto terapêutico singular na agenda da atenção básica em contexto de vulnerabilidade e não adesão ao tratamento da tuberculose
Outro título Including the comprehensive therapeutic projects in the agenda for basic care in a context of vulnerability and nonadherence to treatment for tuberculosis
Outro título Inclusión del proyecto terapéutico singular en el rol de la atención básica en contexto de vulnerabilidad y no adhesión al tratamiento de la tuberculosis
Autor Hahn, Giselda Veronice
Orientador Oliveira, Dora Lúcia Leidens Corrêa de
Data 2015
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.
Assunto Assistência à saúde
Saúde coletiva
Tuberculose
Vulnerabilidade em saúde
[en] Comprehensive therapeutic project
[en] Health care
[en] Nursing
[en] Public health
[en] Tuberculosis
[es] Asistencia a la salud
[es] Enfermería
[es] Proyecto terapéutico singular
[es] Salud colectiva
[es] Tuberculosis
Resumo O estudo teve por objetivo analisar os limites e possibilidades de inclusão do Projeto Terapêutico Singular (PTS) na agenda da Atenção Básica (AB) em contexto de vulnerabilidade e não adesão ao tratamento da tuberculose (TB). Foi realizado estudo de intervenção, com abordagem qualitativa. A investigação ocorreu em dois municípios do interior do Estado do Rio Grande do Sul que possuem doentes cadastrados nos serviços de saúde com histórico de abandono do tratamento da TB. Foram desenvolvidos três PTS por equipes que atuam na AB junto à usuários não aderentes ao tratamento, com vistas a promover a adesão. Também foram coletadas informações com profissionais que atuam em serviços de referência municipal em TB, gestores de serviço de saúde e com análise documental. Os dados foram analisados com base no quadro conceitual da vulnerabilidade proposto por Ayres e colaboradores. A retomada das histórias singulares dos usuários desenvolvida pelas equipes durante a operacionalização dos PTS trouxe à tona o contexto de vulnerabilidade vivido por cada um deles, indicando uma necessária revisão das ações tradicionalmente realizadas, de modo a dar conta dos determinantes sociais dessa vulnerabilidade. A análise revelou que o modo como os profissionais compreendem a problemática da TB, em especial nas situações de não adesão ao tratamento, tem repercussão direta na forma como as ações programáticas são planejadas e executadas e em como a rede de serviços está organizada nos municípios estudados. Essa organização resulta na produção de novas situações de vulnerabilidade, especialmente de vulnerabilidade programática, que se somam às já existentes. O modus operandi da AB, ainda fortemente marcado pelo modelo biomédico, aliado às deficiências na infraestrutura dos serviços, à falta de interlocução entre eles e à precariedade das ações de referência e contra referência foram entraves importantes ao pleno desenvolvimento dos PTS. Conclui-se que, em função da atual conjuntura de atenção e gestão dos serviços de saúde dos municípios estudados, fica difícil dar conta das singularidades dos usuários com TB não aderentes ao tratamento. Isto implicou na continuidade da não adesão ao tratamento da TB dos usuários acompanhados pelos PTS. A abordagem participativa da pesquisa possibilitou aos profissionais que acompanharam os PTS a análise crítica sobre sua atuação no contexto estudado, o que, espera-se, pode repercutir positivamente na proposição de novos modos de atender as necessidades singulares dos usuários com TB não aderentes ao tratamento.
Abstract The study aimed to analyse the limits and possibilities of including the Comprehensive Therapeutic Project (CTP) in the agenda of Primary Care (PC) in the context of vulnerability and non-adherence to the treatment of tuberculosis (TB). An intervention study was carried out, with a qualitative approach. The investigation was conducted in two cities hinterland of the state of Rio Grande do Sul, which have users registered in health services with a record of quitting the TB treatment. Three CTPs were developed by teams that work with non-adherent treatment patients in PC, regarding the promotion of adherence. Information was also provided by professionals from municipal reference services in TB, by health service managers and from document review. Data was analysed on the basis of the conceptual framework of vulnerability proposed by Ayres et al.. The resumption of patients´ singular records as conducted by the teams throughout the development of CTPs highlighted the context of vulnerability experienced by each patient, indicating the need to review actions that are traditionally carried out, in order to deal with the social determinants of this vulnerability. The analysis revealed that the way by which professionals understand the problem of TB, especially in those non-adherent treatment situations, has a direct impact on how programmatic actions are planned and executed, and on how the network of services is structured in the studied cities. The way such services are organized results in the production of new situations of vulnerability, especially those of a programmatic kind, which add on to already existing ones. The modus operandi of PC, still strongly marked by the biomedical model, associated with deficiencies in services´ infrastructure, lack of dialogue between them, and the precariousness of reference and counter reference actions were significant obstacles to the CTPs´ development. One concludes that the current situation of the services in the studied cities regarding management and health care practices makes it difficult to meet non-adherent TB patients´ singularities. This resulted in the continuation of CTP patients’ non-adherence to the TB treatment. The participatory research approach allowed CTP professionals to develop a critical analysis of their role in the studied context, which may, hopefully, impact positively in the proposal of new ways to meet the unique needs of patients non-adherent to TB treatment.
Resumen El estudio ha tenido como objetivo analizar los límites y posibilidades de inclusión del Proyecto Terapéutico Singular (PTS) en la agenda de Atención Primaria (AP) en contexto de vulnerabilidad y no adhesión al tratamiento de tuberculosis (TB). Se ha realizado estudio de intervención, con abordaje cualitativo. La investigación ha ocurrido en dos municipios del interior del Rio Grande do Sul que poseen enfermos en la lista de los servicios de salud con historia de abandono del tratamiento de la TB. Se han desarrollado tres PTS por equipos que actúan en la AP junto a usuarios que no adhieren al tratamiento, con el objetivo de que lo hagan. También se han recolectado informaciones con profesionales que actúan en servicios de referencia municipal en TB, con gestores de servicios de salud y con análisis documental. Los datos se analizaron basándose en el cuadro conceptual de la vulnerabilidad propuesto por Ayres y sus colaboradores. La reanudación de las historias singulares de los usuarios desarrollada por los equipos durante la instrumentalización de los PTS ha mostrado el contexto de vulnerabilidad vivido por cada uno de ellos, indicando un repaso necesario de las acciones tradicionalmente realizadas, de manera a dar cuenta de los determinantes sociales de esa vulnerabilidad. El análisis ha revelado que el modo como los profesionales comprenden la problemática de la TB, en especial las situaciones de no adhesión al tratamiento, tiene repercusión directa en la forma como acciones programáticas son planificadas y ejecutadas y en como la red de servicios está organizada en los municipios estudiados. Esa organización resulta de la producción de nuevas y significativas situaciones de vulnerabilidad, especialmente la vulnerabilidad programática, la cuales se suman a las ya existentes. El modus operandi de la AP, aún fuertemente marcado por el modelo biomédico, aliado a las deficiencias en la infraestructura de los servicios, a la falta de interlocución entre ellos y a la precariedad de acciones de referencia y contra referencia han sido trabas importantes al pleno desarrollo de los PTS. Se concluye que, ante la actual coyuntura de atención y gestión de los servicios de salud de los municipios estudiados, resulta difícil dar cuenta de las singularidades de los usuarios con TB que no adhieren al tratamiento. Eso ha implicado la continuidad de no adhesión al tratamiento de la TB por parte de los usuarios acompañados por los PTS. El abordaje participativo de la investigación ha posibilitado a los profesionales que acompañaron los PTS un análisis crítico sobre su actuación en el contexto estudiado, lo que, se espera, pueda repercutir positivamente en la proposición de nuevos modos de atender a las necesidades singulares de los usuarios con TB no adherentes al tratamiento.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/129921
Arquivos Descrição Formato
000977780.pdf (2.208Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.