Repositório Digital

A- A A+

Saúde mental : uma análise das internações por transtornos mentais na rede pública de residentes de Sapucaia do Sul, RS, 2008-2012

.

Saúde mental : uma análise das internações por transtornos mentais na rede pública de residentes de Sapucaia do Sul, RS, 2008-2012

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Saúde mental : uma análise das internações por transtornos mentais na rede pública de residentes de Sapucaia do Sul, RS, 2008-2012
Autor Marques, Isinha Marmor
Orientador Rosa, Roger dos Santos
Data 2015
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Especialização em Saúde Pública.
Assunto Hospitalização
Psiquiatria
Saúde mental
Transtornos mentais
Resumo Contexto: Transtornos mentais (TM) ou neurobiológicos acometem cerca 450 milhões de pessoas em todo o mundo. TM era a principal causa de incapacitação mundial em 2001. No Brasil, 3% da população geral sofria com TM severos e persistentes e 12% da população necessitava de algum atendimento em saúde mental, contínuo ou eventual, em 2009. A prevalência de TM na população adulta é elevada (20-56%), principalmente em mulheres e em trabalhadores. Objetivo: Dimensionar as hospitalizações por TM na rede pública de usuários residentes no município de Sapucaia do Sul, RS, no período 2008-2012. Procedimentos metodológicos: Análise de dados do Sistema de Informações Hospitalares (SIH)/SUS, disponíveis publicamente, sob código de diagnóstico principal CID-10 F00 a F99. Cálculo de indicadores por sexo, faixas etárias, utilização de UTI, gastos por internação e município de hospitalização. Resultados: Ocorreram 2.772 internações (554/ano; 42,3/10.000hab./ ano), com predomínio do sexo masculino (58,2%; 50,6/10.000hab./ ano), superior em 1,5 vezes o coeficiente do sexo feminino (34,5/10.000hab./ano). A faixa etária 25-29 anos concentrou a maior média anual (82,2 internações/ano; 71,6/10.000hab./ano) enquanto a de 40-44 anos (68,4 internações/ano) o maior coeficiente populacional (74,0/10.000hab./ano). Não ocorreram hospitalizações com uso de UTI e somente 4 (0,1%) óbitos foram registrados, todos por diagnósticos relacionados à dependência química. A média de permanência foi de 9,8 dias (9,6 para homens e 10,0 para mulheres), com um pico de 17,7 dias entre 75-79 anos. Foram gastos cerca de R$ 252.436,01/ano ou R$ 455,33 por internação (R$ 46,62/dia), tendo como valor médio mais elevado R$ 840,50 por internação na faixa etária 75-79 anos. A maioria dos pacientes (94,2%) internou em hospital geral próprio do município. Conclusões: O estudo caracterizou a situação das hospitalizações por TM em Sapucaia do Sul, RS, evidenciando sua predominância em população adulta relativamente jovem do sexo masculino que é internada na própria cidade em internações de curta duração.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/131179
Arquivos Descrição Formato
000979899.pdf (214.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.