Repositório Digital

A- A A+

Acolhimento na atenção básica à saúde : políticas, significados e evidências

.

Acolhimento na atenção básica à saúde : políticas, significados e evidências

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Acolhimento na atenção básica à saúde : políticas, significados e evidências
Autor Giordani, Jessye Melgarejo do Amaral
Orientador Hilgert, Juliana Balbinot
Data 2015
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto Acolhimento
Atenção primária à saúde
Avaliação em saúde
Resumo Em função da complexidade da atenção básica à saúde, é preciso que as equipes de saúde desenvolvam dispositivos que permitam a qualificação do cuidado, como o acolhimento, que pode ser compreendido como mecanismo de ampliação/facilitação do acesso; como tecnologia de cuidado; e como dispositivo de organização do processo de trabalho em equipe. O objetivo deste estudo é avaliar o acolhimento na atenção básica à saúde, na perspectiva das equipes de saúde, utilizando uma abordagem epidemiológica complementada com elementos das ciências sociais para que haja um aprofundamento dos enfoques re-significando, organizando e ampliando a produção do conhecimento científico sobre o acolhimento na atenção básica à saúde. Foram utilizadas duas abordagens metodológicas: quantitativa e qualitativa. A fase quantitativa trata de um estudo observacional transversal multinível realizado a partir dos dados secundários do PMAQ-AB. Foram incluídas no estudo 13.751 equipes de atenção básica à saúde, de todas as macrorregiões brasileiras. Os dados do primeiro nível (equipe de saúde) são referentes às entrevistas estruturadas realizadas com os profissionais dos serviços de saúde e os dados do segundo nível (contextual) dizem respeito às características dos municípios. O desfecho foi a realização de acolhimento pela equipe de saúde. Em relação às variáveis independentes contextuais, foram utilizadas as fontes do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e do Ministério da Saúde: macrorregião, perfil municipal, índice de Gini e cobertura populacional de Estratégia de Saúde da Família. As variáveis independentes individuais foram selecionadas do PMAQ-AB: realização de reunião de equipe, estudo da demanda espontânea, consideração da opinião do usuário e existência de ações de educação permanente. Regressão de Poisson Multinível foi utilizada para obtenção das razões de prevalências brutas e ajustadas em uma modelagem hierárquica. A prevalência de realização de acolhimento pelas equipes de saúde foi 78,3% (IC95%: 77,6-79,1). Na análise hierárquica, após os ajustes, entre os fatores contextuais, a maior prevalência de realização de acolhimento foi entre as equipes que pertenciam à macrorregião sul em comparação à região nordeste (RP 1,37 IC95%: 1,27-1,48). Foi possível compreender a distribuição desigual da prática de acolhimento no Brasil, bem como seus condicionantes e o quão importante é o efeito contextual nessas iniquidades, principalmente em relação às diferenças macrorregionais. Em relação à fase qualitativa, trata-se de uma revisão sistemática da literatura cuja abordagem foi a metassíntese. Para a busca dos documentos foram utilizados os descritores: i)“Acolhimento” AND “Atenção Primária à Saúde”; ii)“User embracement” AND “Primary Health Care”; e iii)“Acogimiento” AND “Atención Primaria de Salud”; nas bases de dados Scopus, Web of Science, Pubmed, Scielo, Lilacs, BDENF e PAHO, sem limites de tempo e idioma. Somente foram aceitos documentos tipo artigos originais que utilizaram metodologia qualitativa investigando o significado do acolhimento para os profissionais de atenção básica à saúde. O processo contou com uma avaliação crítica dos documentos baseada no JBI-QARI. As informações foram analisadas por meio da análise temática de Minayo. Foram identificados 210 documentos sobre o tema, dos quais apenas 14 foram selecionados para integrar a metassíntese. A partir do processo de categorização, emergiram três temas: as concepções sobre o acolhimento; o serviço de saúde; e as dificuldades. A produção científica sobre acolhimento possui uma característica brasileira e invisibilidade internacional, além de ser relativamente pequena. Portanto, através do processo de desenvolvimento das duas abordagens metodológicas e da interpretação dos seus resultados, foi possível perceber o quanto é importante a interação de aspectos de origem teórico-metodológica distintas para compor um cenário de interpretação de uma conjuntura que pressupõe influências de cunho político e social, sendo dessa forma possível ampliar a visão de determinado tema, colaborando para seu melhor desenvolvimento. A evidência das diferenças entre as regiões na realização de acolhimento pelas equipes de saúde foi complementada pelo significado atribuído às experiências das equipes de saúde sobre acolhimento e discutida/comparada com as políticas de saúde.
Abstract Regarding the complexity of primary health care, it is necessary to health teams develop devices that allow the qualification of care, as the user embracement, which can be understood as facilitating access; as care technology; and as an organizing of the work process. The aim of this study is to evaluate the user embracement in primary health care from the perspective of health teams, using an epidemiological approach complemented with elements of the social sciences for re-meaning, organizing and expanding the production of scientific knowledge on the user embracement in primary health care. Two methodological approaches were used: quantitative and qualitative. The quantitative phase is a multilevel cross-sectional observational study conducted from secondary data from PMAQ-AB. The study included 13,751 primary care health teams, from all Brazilian regions. Data from the first level (health teams) are related to structured interviews conducted with professionals of health services and the data from the second level (contextual) relate to the characteristics of municipalities. The outcome was the realization of user embracement by health care team. Regarding contextual independent variables, sources were used by the United Nations Development Programme and the Ministry of Health: macro-region, Municipal Profile, Gini index and population coverage of the Family Health Strategy. Individual independent variables were selected from the PMAQ-AB: health team meetings, study of spontaneous demand, consideration of user opinions for planning, and existence of permanent education actions. Multilevel Poisson regression was used to obtain the crude and adjusted prevalence ratios in a hierarchical modeling. The prevalence of user embracement by health teams was 78.3% (95% CI: 77.6 to 79.1). In the hierarchical analysis, after adjustments, between the contextual factors, the highest prevalence of user embracement was between health teams of macro-region south compared to the north-east region (PR 1.37 95% CI: 1.27 to 1.48) . It was possible to understand the unequal distribution of user embracement in Brazil, as well as their constraints and how important is the contextual effect on these inequities, especially in relation to macro-regional differences. Regarding the qualitative phase, it is a systematic review of literature whose approach was meta-synthesis. For the search of documents, descriptors were used: i) "Home" AND "Primary Health Care"; ii) "User embracement" AND "Primary Health Care"; and iii) "Acogimiento" AND "Atención Primaria de Salud"; in the following databases: Scopus, Web of Science, PubMed, Scielo, Lilacs, BDENF, and PAHO, without time and language limits. Only original documents were accepted as articles that used qualitative methods to investigate the meaning of user embracement to professionals of primary health care. The process included a critical evaluation of documents based on JBI-QARI. Data were analyzed using thematic analysis of Minayo. 210 documents have been identified and only 14 were selected to join the meta-synthesis. The categorization process revealed three themes: Conceptions of user embracement; The health service; and Difficulties. The scientific literature on user embracement has a Brazilian characteristic and international invisibility, besides being relatively small. Therefore, through the development process of the two methodological approaches and interpretation of their results, it was revealed how the interaction of different theoretical and methodological aspects is important to compose the interpretation of a situation that involves influences from political and social dimensions, enabling wide open the view of a particular theme, contributing to its better development. The evidence of the differences between the regions in achieving the user embracement by health teams has been complemented by the meaning given from the experiences of health teams on user embracement and discussed / compared to health policies.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/132120
Arquivos Descrição Formato
000982271.pdf (1.459Mb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.