Repositório Digital

A- A A+

Estudo de variáveis hemometabólicas em pacientes com isquemia cerebral traumática

.

Estudo de variáveis hemometabólicas em pacientes com isquemia cerebral traumática

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Estudo de variáveis hemometabólicas em pacientes com isquemia cerebral traumática
Autor Almeida, Andrea Garcia de
Orientador Netto, Carlos Alexandre
Co-orientador Stefani, Marco Antonio
Data 2005
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Neurociências.
Assunto Escala de coma de Glasgow
Isquemia cerebral
Traumatismo cranio-encefalico
Resumo O traumatismo craniano é uma das principais causas de morte em países industrializados e é responsável por mais de 50% dos 100.000 óbitos por trauma nos Estados Unidos a cada ano; isto tem causado crescente interesse em cuidados neuro-intensivos. O estudo de medidas indiretas do metabolismo cerebral, como pressão de perfusão cerebral (PPC), pressão intracraniana (PIC), pressão parcial de CO2 (PaCO2) e pressão arterial média (PAM), é necessário para guiar o tratamento e prevenir a ocorrência de dano isquêmico secundário. O objetivo deste estudo foi analisar a associação entre os parâmetros hemometabólicos e a ocorrência de isquemia cerebral traumática. Trinta e um pacientes foram prospectivamente seguidos nas Unidades de Tratamento Intensivo Pediátrico e do Trauma do Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre de abril a dezembro de 2003. Os pacientes eram 23 adultos (17 a 56 anos de idade) e 8 crianças (3 a 13 anos de idade) com traumatismo craniano grave. A idade média dos pacientes foi de 29 anos. Os critérios de inclusão foram escore inferior a oito na Escala de Coma de Glasgow e Tomografia Computadorizada (TC) de crânio alterada. Foram monitorizadas a pressão intracraniana, a pressão arterial média, a pressão arterial de CO2 e a pressão de perfusão cerebral. Isquemia cerebral foi identificada em 13 (56,5%) adultos e 7 (87,5%) crianças. Elevação da PAM foi associada com mortalidade (P<=0,005) em crianças. A elevação da PIC (P= 0,03) e a queda da PPC (P=0,007) em adultos foram associadas com isquemia cerebral. Pacientes adultos com baixa PPC apresentaram pior prognóstico, com elevação dos índices de mortalidade (P=0,045). Dos 14 pacientes (45,2%) que morreram, 13 (56,5%) eram adultos e 1(12,5%) era criança. Concluímos que a elevação da pressão intracraniana e da pressão arterial média e a queda da pressão de perfusão cerebral estão associadas com isquemia cerebral traumática e mortalidade nestes pacientes.
Abstract Head injury is one of the leading causes of death in the industrialized world and is responsible for more than 50% of the 100.000 deaths from trauma in the United States each year. The past decade has seen a resurgence of the interest in the critical care. The indirect measurements study of brain metabolism, like cerebral perfusion pressure (CPP), intracranial pressure (ICP), arterial pressure CO2 (PaCO2) and mean arterial blood pressure (MABP) is necessary to guide treatment and prevent secondary cerebral ischemia. The aim of the present study was to analyse association between cerebral hemodynamic and metabolic parameters and traumatic brain ischemia occurrence. Thirty one patients were prospectively assessed in the Paediatric or Adult Intensive Care Unit at Pronto Socorro Hospital (HPS) from April at December, 2003. The patients were 23 adults (17 to 56 years old) and 8 children (3 to 13 years old) with severe traumatic brain injury. Mean age was 29 years old. Inclusion criteria were Glasgow coma scale (GCS) score below eight and abnormalities in computadorized tomography (CT) of the skull. The monitoring of intracranial pressure, mean arterial blood pressure, arterial pressure CO2 and cerebral perfusion pressure were recorded. Brain ischemia was identificated in 13 (56. 5%) adults and 7 (87. 5%) children. High MABP was associated with mortality (P<=0.005) in children. The high ICP (P= 0.03) and the low CPP (P=0.007) in adults were associated with brain ischemia. Fourteen patients (45. 2%) died, 13(56. 5%) were adults and 1(12. 5%) patient was child. Adults patients with low CPP had worse outcome with high rate mortality (P=0.045). In conclusion, high intracranial pressure, high mean arterial blood pressure and low cerebral perfusion pressure were associated with traumatic brain ischemia and mortality in these patients.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/13231
Arquivos Descrição Formato
000642999.pdf (1.460Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.