Repositório Digital

A- A A+

Saúde mental e qualidade de vida em trabalhadores da fundação de atendimento sócio-educativo do Estado do Rio Grande do Sul

.

Saúde mental e qualidade de vida em trabalhadores da fundação de atendimento sócio-educativo do Estado do Rio Grande do Sul

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Saúde mental e qualidade de vida em trabalhadores da fundação de atendimento sócio-educativo do Estado do Rio Grande do Sul
Outro título Mental health and quality of life of workers from the socio-educational assistance foundation of Rio Grande do Sul
Autor Feijó, Fernando Ribas
Orientador Oliveira, Paulo Antonio Barros
Data 2015
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva.
Assunto Epidemiologia
Qualidade de vida
Saúde coletiva
Saúde do trabalhador
Saúde mental
[en] Epidemiology
[en] Mental health
[en] Occupational health
[en] Public health
[en] Quality of life
Resumo O trabalho nas Fundações de Atendimento Sócio-Educativo tem sido descrito como grande fonte de adoecimento psíquico. A natureza da atividade desses trabalhadores, em um contexto de condições laborais precárias, inclui, em muitas situações, o convívio cotidiano com violência, estresse e desgaste mental, entre outras condições adversas no trabalho às quais os servidores estão expostos. Este estudo objetivou investigar as associações entre a dimensão psicossocial do trabalho desses funcionários públicos com os sintomas de ansiedade, de depressão e com a qualidade de vida. Utilizou-se metodologia epidemiológica em uma pesquisa de corte transversal, com uma amostra de 214 trabalhadores da instituição, buscando descrever a exposição ao estresse ocupacional e analisando associações de variáveis do estresse com os desfechos (ansiedade, depressão, qualidade de vida). Evidenciaram-se altas prevalências e níveis de estresse, ansiedade, depressão e baixos escores de qualidade de vida em toda a amostra estudada. As casas de internação demonstraram piores resultados em todos os desfechos estudados. As altas demandas psicológicas, o baixo apoio social e o trabalho de alta exigência estiveram associados à ansiedade e depressão. Confirmou-se a hipótese de que um elevado estresse ocupacional está associado a piores escores da qualidade de vida nesses trabalhadores. A ansiedade e a depressão estiveram fortemente correlacionadas a piores escores na qualidade de vida. Diante dessa realidade, é urgente que a instituição desenvolva uma política permanente em saúde do trabalhador que intervenha nos processos de trabalho em todos os níveis da Fundação, com ênfase na organização do trabalho, de modo a prevenir desfechos de saúde mental e a promover uma melhora na qualidade de vida dos servidores.
Abstract Working on Socio-Educational Assistance Foundation has been described as an important factor of development of mental disorders among employees of these institutions. Their job, in a context of poor working conditions, includes, in many situations, a daily exposure to violence, stress and mental strain, besides other adverse working conditions which labourers face on work. This study aimed to investigate associations between psychosocial factors at work and symptoms of anxiety, depression and quality of life of workers. We used epidemiological methodology in a cross-sectional study, with a sample of 214 workers, seeking to describe the exposure to occupational stress in the workplace and to analyse associations between these variables and outcomes (anxiety, depression, quality of life). Workers had high prevalence and high level of stress, anxiety, depression and had low scores of quality of life in the sample. Workers from juvenile detention centres showed worst results in all outcomes, compared to workers from the administrative centre. High psychological demands, low social support and high-strain job were associated with anxiety and depression. We confirmed the hypothesis that high occupational stress is associated to worse scores of quality of life of workers. Anxiety and depression were strongly correlated with lower scores on quality of life. Therefore developing a permanent policy on occupational health to intervene in the work processes at all levels of the Foundation is an urgent need. Interventions should focus on organizational factors, in order to prevent mental health outcomes and to improve quality of life in this group of civil servants.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/132899
Arquivos Descrição Formato
000984771.pdf (2.231Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.