Repositório Digital

A- A A+

Validação do volume de amostra utilizado no ensaio de mercúrio total em águas por espectrometria de absorção atômica com geração química de vapor frio

.

Validação do volume de amostra utilizado no ensaio de mercúrio total em águas por espectrometria de absorção atômica com geração química de vapor frio

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Validação do volume de amostra utilizado no ensaio de mercúrio total em águas por espectrometria de absorção atômica com geração química de vapor frio
Autor Gabriel, Katia
Orientador Dessuy, Morgana Bazzan
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Química. Curso de Química Industrial.
Assunto Análise de água
Espectrometria de absorção atômica com vapor frio
Mercúrio : Determinação
Resumo A determinação de mercúrio em águas é de grande importância ambiental devido às propriedades tóxicas dos compostos que o contêm. A técnica comumente utilizada na determinação deste elemento é a Espectrometria de Absorção Atômica com Geração Química de Vapor Frio (CV-AAS). Ela baseia-se na redução química do mercúrio previamente convertido ao estado de oxidação Hg2+, a mercúrio metálico. O método analítico empregado para determinação de Hg em águas tem como referência o Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater de autoria das instituições Associação Americana de Saúde Pública (APHA), Associação Americana de Trabalhos em Água (AWWA) e Federação Ambiental da Água (WEF), internacionalmente conhecidas, sendo, portanto, considerado normalizado. O método normalizado descreve o uso de uma alíquota de amostra de 100 mL para cada determinação. Neste trabalho é proposta a redução do volume da alíquota da amostra de 100 para 20 mL, visando o preparo simultâneo de maior número de amostras, diminuindo o tempo de análise, o consumo de reagentes e os resíduos gerados. Portanto, neste trabalho, a metodologia foi testada empregando o volume de 20 mL, validando-o frente ao método normalizado. Devido à alteração do escopo para o qual o método foi concebido quanto ao volume, a confiabilidade analítica foi garantida através de estudos de exatidão, linearidade, seletividade, limites de detecção e quantificação, precisão e incerteza de medição. A faixa de concentração utilizada de 0,40 a 4,00 μg L-1 mostrou-se linear, com um coeficiente de determinação de 0,9984. A metodologia mostrou-se indiferente à presença de interferentes na matriz para a determinação do analito, aplicando-se o teste F para a seletividade. Os limites de detecção e de quantificação obtidos foram, respectivamente, de 0,25 e 0,36 μg L-1. A precisão do método foi comprovada pelos coeficientes de variação abaixo de 10% para repetitividade e reprodutibilidade. A incerteza de medição foi estimada considerando como principais fontes o desvio de repetitividade e reprodutibilidade do ensaio, o padrão da curva de calibração e suas diluições.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/139069
Arquivos Descrição Formato
000989019.pdf (965.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.