Repositório Digital

A- A A+

Manejo da dor lombar crônica inespecífica por médicos de Unidades Básicas de Saúde de Porto Alegre

.

Manejo da dor lombar crônica inespecífica por médicos de Unidades Básicas de Saúde de Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Manejo da dor lombar crônica inespecífica por médicos de Unidades Básicas de Saúde de Porto Alegre
Autor Bartz, Patrícia Thurow
Orientador Vieira, Adriane
Data 2015
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano.
Assunto Coluna vertebral
Dor lombar
Fisioterapia
[en] Attitudes
[en] Chronic pain
[en] Health knowledge
[en] Medical care
[en] Pain management
[en] Practice
[en] Practice guidelines as topic
[en] Primary health care
Resumo As atitudes e crenças sobre a dor lombar crônica inespecífica (DLCI) dos profissionais de saúde estão associadas com as de seus pacientes, assim como com os resultados do tratamento. Por sua relevância, alguns estudos já foram realizados com o intuito de identificar as atitudes e crenças ligadas à orientação de tratamento que os médicos adotam no manejo da DLCI, bem como investigar a associação entre suas características demográficas e profissionais e suas atitudes e crenças. No entanto, no Brasil encontramos apenas uma pesquisa sobre esse tema, com fisioterapeutas que atuavam em hospitais e clínicas particulares. Os objetivos desta dissertação foram: 1) revisar os documentos que abordam o manejo da DLCI localizados na Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde; 2) descrever atitudes e crenças relacionadas à orientação de tratamento dos médicos de Unidades Básicas de Saúde (UBS) conveniadas a Prefeitura de Porto Alegre (PREFPOA) e identificar a associação entre suas características demográficas e profissionais e as suas atitudes e crenças relacionadas à orientação de tratamento da dor lombar crônica inespecífica. Esta dissertação foi composta por dois artigos, sendo que cada artigo inclui um dos objetivos citados. Para atingir o objetivo 1, realizamos uma revisão de documentos na língua portuguesa sobre o manejo da dor lombar publicados na Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde. Para atingir o objetivo 2, todos os médicos de UBS da PREFPOA foram convidados para participar do estudo. Como critérios de inclusão, foi determinado que para participar da pesquisa o médico deveria atender pelo menos um paciente com DLCI por semana e estar trabalhando na atenção básica há pelo menos seis meses. Para coleta de dados, utilizamos um questionário demográfico e profissional e o Pain Attitudes and Beliefs Scale for Physiotherapists, para avaliar as atitudes e crenças, sendo composto por duas orientações de tratamento: biomédica e comportamental. Os resultados do artigo 1 indicam que não há um documento na língua portuguesa que oriente os profissionais a utilizarem a orientação biopsicossocial no manejo de pacientes com DLCI. Os resultados do artigo 2, em que participaram do estudo 110 médicos, com idade média de 47,18(±9,52) anos, indicam uma média de 27,75(±6,89) na orientação biomédica e de 22,76(±4,44) na orientação comportamental, sendo que os médicos consideraram o papel do estresse e de questões psicossociais no manejo da DLCI, mas também relacionaram a dor à presença de lesão tecidual. Tanto na orientação biomédica quanto na comportamental as diferenças entre os grupos foram pequenas, considerando as variáveis demográficas e profissionais. Conclui-se que existe uma carência de documentos na língua portuguesa para guiar os profissionais a utilizarem a orientação biopsicossocial no manejo da DLCI, os médicos de UBS da PREFPOA apresentaram atitudes e crenças ligadas tanto à orientação biomédica quanto comportamental e nenhuma característica analisada estava associada às atitudes e crenças dos médicos.
Abstract Attitudes and beliefs about chronic nonspecific low back pain of health professionals are associated with their patients, as well as the results of treatment. For its relevance, some studies have been conducted in order to identify the attitudes and beliefs related to orientation treatment that physicians adopt in the management of chronic nonspecific low back pain and investigate the association between their demographic and professional characteristics and their attitudes and beliefs. However, in Brazil we found only research on this subject, with physiotherapists who worked in hospitals and private clinics. The objectives of this dissertation were: 1) to review the documents that address the management of chronic nonspecific low back pain located in the Virtual Health Library of the Ministry of Health; 2) describe attitudes and beliefs related to the orientation treatment of the Basic Units of Health linked the Porto Alegre Prefecture and identify the association between their demographic and professional characteristics and their attitudes and beliefs related to orientation treatment of chronic non-specific low back pain. This dissertation was composed of two articles, wherein each article includes one of said goals. To article the goal 1, we conducted a review of documents in Portuguese on the management of low back pain published in the Virtual Library of Health Ministry of Health. To article the goal 2, Porto Alegre Prefecture’ Basic Units of Health’ all physicians were invited to participate in the study. As inclusion criteria, it was determined that to participate in the survey the physician should meet at least one patient with chronic nonspecific low back pain a week and be working in primary care for at least six months. To collect data, use demographic and professional questionnaire and Pain Attitudes and Beliefs Scale for Physiotherapists, to assess attitudes and beliefs, being composed of two treatment guidelines: biomedical and behavioral. The results of Article 1 indicate that there is a document in the Portuguese language to guide professionals to use the biopsychosocial orientation in the management of patients with chronic nonspecific low back pain. The results of Article 2, in the study 110 physicians with an average age of 47.18 (± 9.52) years, indicate an average of 27.75 (± 6.89) in biomedical orientation and 22.76 (±4.44) in the behavioral orientation, and the physicians considered the role of stress and psychosocial issues in the management of chronic nonspecific low back pain, but also related pain to the presence of tissue injury. Any biomedical orientation as the behavioral differences between groups were small, considering demographic variables and professionals. It is concluded that there is a lack of documents in Portuguese to guide professionals to use the biopsychosocial guidance in the management of chronic nonspecific low back pain, Porto Alegre Prefecture’ Basic Units of Health’ physicians of presented attitudes and beliefs related to both biomedical and behavioral guidance and no analyzed characteristic was associated with attitudes and beliefs of physicians.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/140978
Arquivos Descrição Formato
000991388.pdf (870.1Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.