Repositório Digital

A- A A+

"Each one of us goes through life inside a bottle" : a reading of Brave new world in the light of Zygmunt Bauman's theory

.

"Each one of us goes through life inside a bottle" : a reading of Brave new world in the light of Zygmunt Bauman's theory

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título "Each one of us goes through life inside a bottle" : a reading of Brave new world in the light of Zygmunt Bauman's theory
Autor Casagrande, Eduardo Vignatti
Orientador Rosenfield, Kathrin Holzermayr Lerrer
Data 2016
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Filosofia.
Assunto Bauman, Zygmunt, 1925-
Crítica literária
Huxley, Aldous, 1894-1963
[en] Brave New World
[en] Dystopian literature
[en] Literary criticism
Abstract The present thesis proposes a reading of Aldous Huxley’s Brave New World (1932) in the light of Zygmunt Bauman’s concept of Liquid Modernity. The plot of the novel unfolds in the futuristic London of the 26th century, in the year 2540 of our Common Era, or – in the narrative – in the year 632 AF (After Ford). Underlying the dystopian scenario of technological advancement and highly developed organization, however, the themes discussed in the novel actually address the circumstances of the time and place of its own production, the beginning of the 1930’s, in a context of developing industrialization, political tension, and economic crises. In this research, I pursue the answer to the following question: “In what ways does Huxley’s fiction anticipate the kind of society its readers would be living in at our present time, three quarters of a century after its publication?” With the help of Professor Zygmunt Bauman’s theories, I build my interpretation of the metaphors found in the novel, that prognosticate the current conditions of free-market capitalism, consumerism, programmed obsolescence, that determine the ethics, the aesthetics and the ways of thinking of our present times. Bauman’s assumptions concern the liquidity of the contemporary world, where nothing is meant to last long. This premise generates a number of consequences such as overconsumption, frail human bonds, superficial critical thought, and supremacy of online over factual contacts among people. The thesis is devised in three chapters. In the first, I contextualize the concept of dystopia. In the second, I bring the necessary contextualization about the time, the work and the author. In the third, I introduce Bauman’s concepts of solid modernity and liquid modernity and connect them with the study of Brave New World. Finally. In Chapter IV, I present my reading of the novel. At the end of the research, I expect to find the answers to the posed question by establishing critical interrelations between the fictional aspects of the novel and the social features ongoing in our present time.
Resumo Esta dissertação propõe uma leitura do romance Admirável Mundo Novo (1932) de Aldous Huxley sob a luz dos conceitos de Zygmunt Bauman da Modernidade Líquida. A narrativa ocorre em uma Londres futurística no século 26, no ano 2540 de nossa Era Comum, ou – na narrativa no ano 632 AF (Após Ford). Subjacente ao cenário distópico de avanço tecnológico e organização altamente desenvolvida, porém, os temas discutidos no romance remetem à circunstância do tempo e lugar de sua produção, o início dos anos 1930, em um contexto de desenvolvimento industrial, tensão política e crise econômica. Nesta pesquisa, eu busco a resposta para a seguinte pergunta: “De quais maneiras a ficção de Huxley antecipa o tipo de sociedade seus leitores vivem no tempo presente, três-quartos de século após sua publicação? Com ajuda das teorias do Professor Zygmunt Bauman, eu construo minha interpretação das metáforas encontradas no romance, que prognosticam as atuais condições de capitalismo de mercado livre, consumismo, obsolescência programada que determinam a ética, a estética e a forma de pensar de nosso tempo presente. As hipóteses de Bauman concernem a liquidez do mundo atual, no qual nada deve durar muito. Esta premissa gera um grande número de consequências, tais como: fragilidade dos laços humanos, pensamento crítico superficial e supremacia dos contatos virtuais sobre ocontato de fato entre as pessoas. A dissertação está dividida em quatro capítulos. No primeiro, eu contextualizo o conceito de distopia. No segundo, eu trago a contextualização necessária sobre o tempo, a obra e o autor. No terceiro, eu introduzo os conceitos de Bauman sobre modernidade sólida e líquida e os conecto com o estudo de Admirável Mundo Novo. No capítulo IV, apresento minha leitura da obra. Ao final da pesquisa, espero encontrar respostas para a questão proposta estabelecendo inter-relações entre os aspectos ficcionais do romance e os traços sociais de nosso tempo atual.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/141236
Arquivos Descrição Formato
000992279.pdf (1.016Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.